NFL

No Huddle – Robert Kraft agradece a Tom Brady em anúncio de jornal

Tom Brady e Robert Kraft

No Huddle – O boletim de notícias de NFL do Quinto Quarto

– A família Kraft fez um agradecimento a Tom Brady em um anúncio de página inteira que ele comprou na edição deste domingo (22) do jornal ‘Tampa Bay Times’.

No anúncio, há a seguinte frase voltada aos torcedores do Tampa Bay Buccaneers, novo time de Brady: “cuidem dele. Vocês têm um grande”.

O anúncio foi publicado dois dias depois que Brady assinou um contrato de dois anos de duração com os Bucs.

Abaixo do título “THANK YOU TOM” (“OBRIGADO, TOM”), a mensagem dos Kraft referiu-se a Brady como “o GOAT e sempre uma parte da nossa família”. GOAT é a sigla em inglês para “Greatest of All Time” ou “Melhor de Todos os Tempos”.

“Por 20 anos incríveis, você nos deu tudo o que tinha. Quando você chegou como um escolhido de sexta rodada – e a melhor seleção que essa franquia já fez – ninguém imaginou tudo o que você conseguiria ou o quanto logo significaria para uma região inteira”, dizia trecho da mensagem.

Atualmente com 42 anos, Brady sai dos Patriots com seis títulos de Super Bowl, 17 títulos da divisão AFC East, nove títulos da Conferência Americana (AFC) e 41 jogos como titular em playoffs desde 2001.

– O cornerback Darius Slay, adquirido pelo Philadelphia Eagles em troca com o Detroit Lions, disse neste final de semana que pretende usar a camisa número 24 em sua nova equipe para homenagear o falecido Tom Brady.

Slay utilizou a camisa número 23 em suas seis temporadas nos Lions.

“O número que eu vou usar? Eu vou com essa dois quatro, cara. Vou arrasar com dois quatro este ano. Modo Kobe. Mamba negra, baby. Descanse em paz para o GOAT, cara. Descanse em paz para um dos meus jogadores favoritos. (…) Acho que vou ficar bem em 24”, disse Slay, em um vídeo no Instagram Live.

O running back Jordan Howard utilizou esse número de camisa em 2019 nos Eagles, mas como ele assinou com o Miami Dolphins na semana passada, o número está vago.

Bryant, que cursou o ensino médio na Filadélfia, era um fã notável dos Eagles. Astro do Los Angeles Lakers, time da NBA, ele morreu em janeiro durante um acidente de helicóptero em L.A. que também vitimou sua filha Gianna e outros sete tripulantes.

– Jameis Winston é a carta fora do baralho do Tampa Bay Buccaneers depois da mega contratação de Tom Brady. E, neste final de semana, o antigo quarterback titular dos Bucs fez uma postagem via Twitter para agradecer por sua passagem pela franquia da Flórida.

Na mensagem, com uma foto do dia do draft, Winston escreveu: “foram grandes 5 temporadas como um Buccaneer. Todo amor e respeito, eu amo Tampa e espero ver todos vocês novamente em fevereiro. #SBLV #2020Vision #Dreamforever”.

Os dizeres deixam claro que o signal caller ainda sonha em ganhar um Super Bowl.

Os Bucs selecionaram Winston com a primeira escolha geral do draft de 2015 e o QB teve uma passagem de altos e baixos pela organização. Foram 72 jogos com a camisa dos Bucs, com 28 vitórias e 42 derrotas como titular, 121 passes para touchdown e 88 interceptações.

A temporada 2019 foi um resumo perfeito do que foi Winston em Tampa Bay. Ele estabeleceu o recorde da franquia, com 5.109 jardas aéreas, mas também se tornou o primeiro jogador na história da NFL a lançar para 30 TDs e 30 INTs na mesma temporada. Foram 33 TDs e 30 INTs, esta última a maior marca em toda a liga no ano.

Agora, os Buccaneers têm em seu futuro o astro Brady para comandar o ataque. Para efeito de comparação, o ex-quarterback do New England Patriots lançou 29 interceptações combinadas nos últimos quatro anos.

– Selecionado com a terceira escolha geral do draft de 2010, Gerald McCoy iniciou sua carreira no Tampa Bay Buccaneers, onde ficou até 2018. Na temporada passada, ele vestiu a camisa do Carolina Panthers. Agora, enfim, ele está chegando a uma franquia onde sonhava em jogar: Dallas Cowboys.

Contratado pela franquia texana na free agency, o defensive tackle frisou que jogar no America’s Team pesou muito em sua decisão.

“No geral, é a estrela”, disse McCoy, na ‘Sirius XM NFL Radio’, referindo-se ao símbolo dos Cowboys. “Eu cresci há duas horas e meia de distância (de Dallas) em Oklahoma City. Uma parte de todo mundo em algum momento torceu pelo Dallas Cowboys. Porque é tudo o que tínhamos”, afirmou.

Ele ainda foi além em sua admiração: “é quase como se um sonho se tornasse realidade, jogar por um time que você cresceu assistindo”.

Comments
To Top