NFL

No Huddle – Robbie Gould diz que futuro nos 49ers “é complicado” e Tyreek Hill se reúne com investigadores da NFL

Robbie Gould, kicker do San Francisco 49ers

No Huddle – O boletim de notícias de NFL do Quinto Quarto

– O kicker Robbie Gould segue com seu futuro incerto no San Francisco 49ers, depois de ser marcado com a franchise tag, pedir para a franquia para ser trocado e não ter seu pedido atendido (pelo menos até agora). E o jogador falou sobre seu status atual.

“É uma situação complicada. A maneira que eu meio que encarei isso é que eu quero passar tempo com a minha família. E eu deixo meu agente lidar com isso, e se surgir alguma coisa que eu tenha que tomar uma decisão ou ficar sabendo, ele vai me ligar e me informar. Mas, neste momento, não há nada que eu realmente saiba, e estou simplesmente gostando de estar em casa e de estar em Chicago”, falou Gould à ‘NBC Chicago’. “Estou em um ponto da minha carreira em que minha família é o que vai ditar as decisões que tomo”, observou.

Gould passou as primeiras 11 temporadas de sua carreira no Chicago Bears e ainda tem sua residência na cidade. O veterano de 14 anos de experiência na NFL deve ser um free agent depois desta temporada e, provavelmente, terá a chance de voltar ao ex-time em 2020.

O kicker não participou dos treinos de offseason dos Niners e, como ele não assinou sua tag de US$ 4,971 milhões, ele não pode ser multado por perder o minicamp obrigatório, em junho.

– Tyreek Hill completou seu encontro com investigadores da NFL em Kansas City, nesta quarta, para uma conversa relacionada às acusações de agressão contra seu filho pequeno. O wide receiver do Kansas City Chiefs se reuniu com Lisa Friel, vice-presidente sênior do Conselho Especial para Investigações da NFL, e outros oficiais da liga.

Hill foi representado por seu advogado pessoal e um advogado da NFL Players Association (NFLPA), segundo o jornalista Ian Rapoport, da ‘NFL Network’.

Ainda não há prazo para uma decisão da liga sobre o caso envolvendo Hill, como acrescentou Rapoport.

– Josh Allen, quarterback do Buffalo Bills, demonstrou algumas dificuldades em sua primeira temporada na NFL em 2018, sofrendo com a pressão dos defensores, não enxergando alguns recebedores eventualmente e tudo mais. Mas, depois de uma offseason completa de treinos, o running back LeSean McCoy viu um QB mais preparado, sobretudo mentalmente.

“Ele parece melhor. Eu acho que ele parece mais confiante. Eu acho que, no ano passado, ele só jogou com seu talento. Algumas vezes, quando os quarterbacks são realmente talentosos, você ignora o quão esperto eles realmente são. Josh é inteligente”, falou McCoy, segundo Vic Carucci, do jornal ‘The Buffalo News’.

– Depois de Joe Theismann, ex-quarterback ídolo do Washington Redskins, falar que o calouro Dwayne Haskins não deveria ser titular já em 2019, chegou a vez de um representante da franquia tratar do assunto. Doug Williams, vice-presidente de administração de jogadores da organização, disse a Steve Wyche, da ‘NFL Network’, que o time está empolgado com a evolução do signal caller.

Além disso, Williams observou que qualquer decisão sobre titularidade será tomada em um esforço colaborativo entre ele, o técnico Jay Gruden, o presidente Bruce Allen e o proprietário Daniel Snyder.

“Eu sei que há boatos por aí de que ele pode acabar sendo titular, e isso pode acontecer, mas no final das contas, será com Jay, eu mesmo, provavelmente Bruce (Allen) e o proprietário, depois do que ele fizer durante a pré-temporada e vamos ver onde estamos como time para tomar essa decisão. Eu não quero dizer que ele será titular na semana 1 hoje, mas tem sido uma cena agradável e divertida ver o que Dwayne Haskins tem feito nas últimas semanas”, frisou.

– O New England Patriots é um dos times que mais teve mudanças em seu elenco nesta offseason, com perdas de atleta como os tight ends Rob Gronkowski (aposentadoria) e Dwayne Allen, os tackles Trent Brown, LaAdrian Waddle e Jared Veldheer, os defensive ends Trey Flowers e Adrian Clayborn, e os wide receivers Chris Hogan e Cordarrelle Patterson, entre outros.

Mas qual o segredo para os Pats continuarem dominando ano após ano? Em participação no programa Total Access, da ‘NFL Network’, nesta semana, o linebacker Kyle Van Noy falou um pouco do porquê a franquia de Foxborough ser diferenciada em uma liga em que há mudanças de elenco todos os anos.

“Bill (Belichick) faz um trabalho realmente ótimo na cultura que está sendo estabelecida com os jogadores que estiveram lá em suas passagens. Como Patrick Chung, Dont’a Hightower, Devin McCourty, Tom (Brady), eles estão lá há um bom tempo, Matthew Slater. Esses caras já estão em suas gerações, o padrão. E nós estamos apenas tentando manter esse legado em andamento”, falou. “Quando essa cultura é definida, não importa, nós todos temos o mesmo objetivo em mente e este é apenas vencer”, completou.

– Kyler Murray, quarterback calouro do Arizona Cardinals, conhece o ataque do head coach Kliff Kingsbury melhor do que a maioria de seus atuais companheiros de equipe. Mas o próprio signal caller sabe que vai demorar um pouco para atingir o entrosamento ideal.

Antes de fazer o primeiro arremesso do jogo do Arizona Diamondbacks, time da MLB, na última terça, Murray disse ao ‘Fox Sports Arizona’ que o time deve continuar a construir em cima dos treinamentos de offseason.

“Todo mundo não está em sintonia como eu estava com meus companheiros na universidade. Eu estou aqui apenas há alguns meses, então vai levar tempo, será preciso repetições. Mas estou preparado para os altos e baixos, mas até agora para mim tem sido ótimo. Os caras me aceitaram muito e mal posso esperar para a temporada começar”, falou.

– Oito anos depois de os Jaguars subirem seis posições no draft de 2011 para selecionar Blaine Gabbert, o ex-técnico Jack Del Rio falou um pouco sobre a troca no dia do draft e revelou que a negociação foi uma surpresa, inclusive para ele.

“Eu não tinha ideia de que íamos draftar Blaine Gabbert. Nenhuma ideia. Na verdade, saí para pegar algo para comer, porque a nossa escolha não era muito próxima. Estou lá sentado, enchendo meu prato, pensando: ‘oh, ótimo, nós temos mais algumas horas até escolhermos’. Então, olho para cima e vejo: ‘os Jaguars estão no relógio’. Fiquei tipo: ‘o que é que está acontecendo?’”, falou Del Rio, segundo a ‘ESPN Jacksonville 690’.

Sim, Gene Smith, ex-general manager dos Jaguars, fez a escolha sem dar qualquer indício disso ao seu head coach.

Infelizmente, a escolha não se provou correta com o tempo e Gabbert durou apenas três temporadas nos Jags, lançando para 22 touchdowns e sofrendo 24 interceptações em 28 jogos.

Comments
To Top