NFL

No Huddle – Ron Rivera após demissão: “eu vou treinar novamente” na NFL

Ron Rivera, técnico do Carolina Panthers

No Huddle – O boletim de notícias de NFL do Quinto Quarto

– A passagem de nove anos de Ron Rivera pelo Carolina Panthers terminou na última terça e sem um título de Super Bowl. Mesmo assim, o head coach teve um trabalho marcante, ganhando duas vezes o prêmio de Técnico do Ano da NFL, chegando ao Super Bowl 50 (quando perdeu para o Denver Broncos), ganhando dois títulos seguidos da divisão NFC South e se tornando o treinador mais vencedor da história da organização.

Os Panthers tiveram quatro aparições nos playoffs com Rivera no comando. Para efeito de comparação, a organização foi quatro vezes aos playoffs em 16 temporadas antes de ele assumir o cargo em 2011.

Confira nossa opinião sobre a saída de Rivera no nosso podcast de quinta (só clicar no play para ir até o momento exato)

Na manhã desta quarta, Rivera se reuniu com a imprensa da Carolina do Norte, algo incomum para um técnico recém-demitido, e isso mostra muito do prestígio que o head coach tem na franquia. Entre diversos assuntos, o head coach de 57 anos de idade prometeu que pretende seguir treinando caso receba uma oportunidade.

“Eu acredito que vou ter outra oportunidade, e vou treinar novamente”, disse ele, rindo, ao afirmar que tirará as próximas quatro semanas de folga antes de voltar aos trabalhos.

Rivera frisou que seu desejo imediato de conseguir um novo emprego é intensificado pelo desejo de ser uma influência na vida de jovens jogadores.

“Eu amo treinar e não apenas treinar porque se trata de vencer jogos de futebol americano, mas treinar porque você tem uma oportunidade de impactar jovens homens e pessoas e é isso que quero fazer. Quero ser capaz de treinar pessoas, impactar pessoas, vencer jogos de futebol americano e espero vencer um Super Bowl…”, ressaltou. “São jovens como Greg Olsen e Eric Reid que vão mudar este mundo e torná-lo um lugar melhor”, completou.

Olsen, aliás, se manifestou nesta quarta sobre o desligamento de Rivera e falou sobre o primeiro dia sem Rivera como treinador.

“Este é o pior dia do qual participei na NFL. Perder um treinador e ter uma mudança de treinador no topo, eu nunca passei por isso antes. Eu tive muita sorte em 13 temporadas de ter jogado por apenas dois treinadores e Ron foi nove anos disso”, lamentou.

– Bruce Arians, técnico do Tampa Bay Buccaneers, citou no passado o quarterback Jameis Winston como parte fundamental da sua decisão de ter saído da aposentadoria para assumir o comando da franquia da Flórida. Mas, nesta quarta, o head coach se recusou a falar se Winston faz parte dos planos da organização para além da temporada 2019, quando o contrato de calouro do QB acaba.

“Eu vou passar essa adiante. Vou esperar até o final de dezembro”, falou Arians, que publicamente sempre apoiou Winston ao longo da temporada, mesmo reconhecendo que os turnovers cometidos pelo signal caller são um problema.

Fontes disseram à ‘ESPN’ norte-americana que os Bucs seguem indecisos em relação ao futuro de Winston. O QB lançou 20 interceptações neste ano, maior marca da liga, com 22 conexões para TD. E, desde que entrou na liga, em 2015, ele sofreu 101 turnovers no total, pior marca da NFL.

– Lamar Jackson, quarterback astro do Baltimore Ravens, está no ritmo de superar o recorde de Michael Vick de maior número de jardas corridas por um QB em uma temporada da NFL. E o signal caller da franquia de Maryland tem chances de ultrapassar seu ídolo de infância quando os Ravens visitam o Buffalo Bills, neste final de semana.

“Seria uma honra. Mike Vick é meu jogador favorito. Fazer isso é incrível. Ele teve esse recorde por um bom tempo. Seria muito legal, mas estou focado na vitória de qualquer maneira”, falou Jackson.

Em sua primeira temporada completa como quarterback titular na NFL, Jackson precisa de 63 jardas corridas para ultrapassar Vick, que correu para 1.039 jardas em 2006. Com sua grande velocidade e capacidade atlética, Jackson está com média de 81,4 jardas corridas ao longo de 12 jogos.

– Russell Wilson começou a temporada 2019 da NFL como principal candidato ao prêmio de MVP, mas desde então ele viu Lamar Jackson se tornar o favorito nesta disputa. Mas engana-se quem acha que o quarterback do Seattle Seahawks está perdendo o sono com isso.

“Eu acho que, em última análise, a realidade é que o que realmente me interessa é ganhar o Super Bowl, sabe? É o que realmente queremos fazer. Estar na conversa, ter a chance de, potencialmente, colocar essa conquista do MVP na prateleira, seria uma bênção, com certeza”, falou Wilson, em participação recente no podcast RapSheet and Friends. “Esses elogios, essas coisas importam, essas coisas são reais, mas o que mais me importa é tentar levar seu time até a linha de chegada e tentar vencer. Tive a sorte de vencer um Super Bowl, já fui a dois. É com isso que eu realmente me importo, de conseguir outro anel, espero”, afirmou.

– Xavier Rhodes cedeu uma das jogadas mais importantes na derrota do Minnesota Vikings para o Seattle Seahawks, no último Monday Night Football, e ficou visivelmente irritado na lateral. O cornerback arremessou o capacete no chão em uma interação que teve uma agitação e uma discussão com o técnico Mike Zimmer que foi flagrada pelas câmeras da ‘ESPN’. Após tirar os últimos dias para se acalmar, o defensive back pediu desculpas.

“Eu só quero começar dizendo que peço desculpas à organização, ao meu time, à minha família, pela maneira como reagi naquele campo. Não é assim que devo me comportar, especialmente como líder neste time. Peço desculpas definitivamente ao Coach (Mike) Zim(mer) e as coisas que ele me ensinou, nunca devo reagir dessa maneira em relação a ele ou ao meu time, ponto final. Eu sei meu papel, preciso desempenhá-lo melhor”, disse Rhodes, segundo a ‘ESPN’.

– O safety Glover Quin, ex-Detroit Lions, disse nesta quarta no The Pat McAfee Show que ele não sabe se se ex-time será capaz de melhorar a sua situação na temporada (a campanha atual dos Lions é de 3-8-1) e questionou o quanto a equipe lutaria pelo técnico Matt Patricia.

“No momento, eles estão lutando. Não é uma situação ótima e não é uma situação em que, tipo, eu não sei se eles podem lutar contra isso agora porque não sei se o amor e o gosto pelo estilo de Patricia faz os jogadores quererem lutar contra isso”, afirmou Quin, que passou as últimas seis temporadas de sua carreira nos Lions antes de se aposentar neste ano, depois que os Lions o dispensaram, em fevereiro.

– Melvin Gordon ficou afastado dos treinos de offseason do Los Angeles Chargers na esperança de conseguir um novo contrato. Isso não se concretizou. Agora, o running back está com futuro incerto além desta temporada.

“Eu não sei, cara. É difícil olhar e dizer que você garante algo quando está perdendo. Eu só tenho que fazer o meu trabalho. Ninguém conhece a situação deles. É o lado de negócios da coisa. Não sei se estarei aqui ou algum outro lugar. Espero que esteja aqui”, falou Gordon, segundo o jornal ‘L.A. Times’.

– O running back LeSean McCoy, do Kansas City Chiefs, e sua ex-namorada chegaram a um acordo em uma ação judicial que a mulher moveu contra seu ex-parceiro, segundo registros da corte.

Delicia Cordon entrou com o processo no ano passado acusando McCoy de não protegê-la de uma invasão violenta, ocorrida em julho de 2018, na casa de propriedade do jogador em Milton, perto de Atlanta. Cordon foi agredida e ficou sangrando, e US$ 133 mil em jóias foram roubadas.

McCoy, que atuava no Buffalo Bills na época, não estava em casa na época. Cordon posteriormente modificou o processo para acusar o atleta de abusar dela fisicamente e de planejar a invasão. O RB negou de forma veemente as acusações.

Comments
To Top