NFL

No Huddle – Dak Prescott não quer dar ‘desconto’ ao Dallas Cowboys

Dak Prescott, quarterback do Dallas Cowboys

No Huddle – O boletim de notícias de NFL do Quinto Quarto

– Como um quarterback selecionado na quarta rodada do draft de 2016, Dak Prescott faturou um valor muito baixo em seu contrato de calouro. Em 2019, ele deve ganhar US$ 2,025 milhões, muito menos do que vários jogadores piores do que ele ao redor da liga, e isso já representa mais do que ele faturou nas últimas três temporadas de forma combinada (US$ 1,62 milhão no total).

Agora, em seu primeiro contrato pós-acordo de calouro, o astro do Dallas Cowboys deseja embolsar muitos dólares. Assim como seus companheiros de equipe Amari Cooper, Ezekiel Elliott, Jaylon Smith e Byron Jones, entre outros.

E o signal caller deseja que todos recebam contratos condizentes com suas grandes importâncias para o time.

“Alguém dizer que você só pode suportar uma parte por causa do teto salarial ou só pode fazer isso ou aquilo, eu não sei quão justo é dizer isso. Porque com apostas, com tudo indo para esta liga, tudo vai continuar subindo”, disse o camisa 4 à jornalista Jori Epstein, do ‘USA Today’. “É importante para todos esses caras obterem todo o seu valor. Eu quero ver Zeke como o mais bem pago. Quero ver Amari como o mais bem pago. Quero me ver lá em cima. E eu não acho que isso é exagero. Porque, no final das contas, quando tudo passar, um ano ou dois depois, você não será o mais bem pago. É assim que o jogo funciona”, frisou.

A jornalista Jane Slater, da ‘NFL Network’, disse no programa Good Morning Football que Todd France, agente de Prescott, não tem planos de dar aos Cowboys um “desconto de casa”.

Sim, Dallas pode se preparar para soltar um belo cheque em cima de Prescott.

– Richie Incognito, guard do Oakland Raiders, foi suspenso por dois jogos pela NFL por violar a política de conduta pessoal da liga. A punição é resultado do envolvimento do atleta em um incidente em abril, ocorrido em uma casa funerária de Arizona, após a morte de seu pai.

Incognito foi preso e, posteriormente, assumiu a culpa por conduta desordeira.

O jogador de linha ofensiva estará elegível para retornar aos Raiders na semana 3, no duelo contra o Minnesota Vikings. Mike Mayock, general manager da franquia californiana, estava ciente da potencial punição antes de fechar contrato de um ano com Incognito em maio.

– O tight end Chris Herndon, do New York Jets, foi suspenso pelos primeiros quatro jogos da temporada 2019 devido a uma violação da política e programa de abuso de substâncias da NFL. A informação foi confirmada de maneira oficial pela franquia nova-iorquina.

A suspensão é derivada de uma prisão por dirigir embriagado em junho de 2018, em Nova Jersey. Herndon estará elegível para participar de todos os treinos e jogos de offseason e pré-temporada. Posteriormente, ele cumprirá a punição e poderá voltar ao elenco ativo dos Jets no dia 7 de outubro, um dia depois do jogo do seu time contra o Philadelphia Eagles.

Herndon é o melhor tight end no jogo aéreo à disposição atualmente no elenco do NY Jets.

– Rolando McClain, ex-Oakland Raiders e Dallas Cowboys, está tentando voltar à NFL. O hoje ex-jogador disse a Matt Zenitz, do ‘AL.com’, que ele está passando pelo processo de tentar ser reintegrado pela liga.

McClain atuou pela última vez na NFL em 2015, com a camisa dos Cowboys. Ele foi suspenso por tempo indeterminado em 2016, depois de vários testes antidoping falhos. Segundo Zenitz, o ex-linebacker está trabalhando junto à NFL Players Association (NFLPA) e passando pelo processo para tentar retornar aos gramados.

“Não estou nem um pouco satisfeito com o rumo da minha carreira profissional. Isso é para mim. Esse sou eu me olhando no espelho e conversando com meus filhos. Não, esse não é o gosto que quero deixar na minha boca”, falou McClain a Zenitz.

Prestes a completar 30 anos de idade, McClain disse que se sente mais saudável após a cirurgia no quadril pela qual passou em 2016.

– O wide receiver DeAndre Hopkins, do Houston Texans, faz parte do seleto grupo de atletas com overall 99 no próximo game da franquia Madden NFL. A NFL e a EA Sports divulgaram a ficha do jogador no Madden 20 nesta sexta (12) e ele se junta ao defensive tackle Aaron Donald, do Los Angeles Rams, ao linebacker Bobby Wagner, do Seattle Seahawks, e ao pass rusher Khalil Mack, do Chicago Bears.

– Al Riveron, vice-presidente sênior de arbitragem da National Football League, confirmou nesta sexta que a liga suspendeu seu programa de árbitros em tempo integral. Riveron disse a Omar Ruiz, da ‘NFL Network’, diretamente da Clínica de Arbitragem da NFL que o programa em tempo integral não será utilizado nesta temporada 2019.

Infelizmente, neste ano, esse programa não será usado. No entanto, como eu disse, nós usamos nossos árbitros durante o ano, nós os levamos para os times, os levamos para as reuniões ainda, esse programa de certo modo continuará, apenas não pelo nome que chamamos agora”, frisou.

A ‘ESPN’ noticiou em primeira mão que o programa não seria usado em 2019 como parte das discussões trabalhistas com a Associação dos Árbitros.

– O linebacker Elandon Roberts, do New England Patriots, deseja uma investigação mais aprofundada em um incidente ocorrido em março, no qual o atleta diz que foi assediado pela polícia fora de sua casa, no condado de Fort Bend, no Texas.

– Jimmy Garoppolo, quarterback do San Francisco 49ers, rasgou elogios ao wide receiver Dante Pettis, que teve três jogos de 77 ou mais jardas nos últimos cinco da temporada 2019 e quatro touchdowns.

“Dante é algo de especial. Sua habilidade física é diferente da maioria dos recebedores, e diferente de qualquer recebedor com quem já joguei. Como ele se move, é muito longo e desajeitado, mas ele faz funcionar. Ele tem explosão e poder suficientes para sair dos cortes quando não parece que ele pode”, falou. “Estou muito empolgado com isso. Isso torna meu trabalho mais fácil para alguém vencer em oportunidades de um contra um como essa. Ele é um talento tremendo e continua trabalhando, ralando para fazer grandes coisas acontecerem”, completou Jimmy G.

– Patrick Peterson tem tido um último ano turbulento. Isso desde outubro, quando o cornerback pediu ao Arizona Cardinals para ser trocado, em meio à sua frustração com o início de campanha 1-6 do time e com o novo esquema defensivo.

Então, em maio, ele foi suspenso pelos seis primeiros jogos da temporada depois de violar a política de substâncias para melhoria de desempenho da NFL.

Agora, chegou a vez de ele declarar sua devoção aos Cardinals.

“Eu amaria ser um Cardinal por toda a vida, mas vocês sabem como as coisas acontecem”, falou Peterson, segundo a SiriusXM NFL Radio’. “Caramba, algo pode mudar no mês que vem. As coisas acontecem não apenas no futebol americano, mas no mundo em geral. Então, eu amaria ser um Cardinal por toda a vida. Amaria ser um desses caras a trazer o primeiro título a essa organização”, observou.

Comments
To Top