NFL

No Huddle – Patrick Peterson é suspenso; GM assistente dos Falcons deixa cargo

Patrick Peterson, cornerback do Arizona Cardinals

No Huddle – O boletim de notícias de NFL do Quinto Quarto

– O cornerback Patrick Peterson, do Arizona Cardinals, está sendo suspenso pelos primeiros seis jogos da temporada 2019 por violar a política de substâncias para melhoria de desempenho da National Football League. A informação foi confirmada pelos jornalistas Ian Rapoport, da ‘NFL Network’, e Adam Schefter, da ‘ESPN’ norte-americana.

Os detalhes do que Peterson fez e quando a violação foi cometida seguem confidenciais, segundo das determinações da política. Mas o jogador retirou sua apelação e a suspensão deve ser anunciada oficialmente em algum momento da próxima semana, segundo a ‘ESPN’.

Peterson vai perder a estreia dos Cards na temporada regular, contra o Detroit Lions, e os jogos contra o Baltimore Ravens (fora), Carolina Panthers e Seattle Seahawks (casa), Cincinnati Bengals (fora) e Atlanta Falcons (casa). O defensive back estará elegível para voltar a jogar no dia 20 de outubro, contra o New York Giants.

O cornerback foi titular em todos os 128 jogos que disputou desde que foi selecionado pelos Cardinals no draft de 2011 e suas 23 interceptações o deixam empatado com a terceira maior marca da NFL no período.

Três vezes selecionado para o time All-Pro, Peterson não compareceu ao minicamp voluntário da franquia de Glendale, no mês passado, porque ele tem estado chateado com o time. Houve especulações de troca envolvendo o defensor, mas agora ele não deve ser reintegrado até pouco antes do prazo final para trocas.

Patrick Peterson tem dois anos remanescentes em seu contrato e deve faturar um salário-base de US$ 11 milhões na temporada 2019 e US$ 12,05 milhões em 2020. A suspensão de seis jogos vai custar mais de US$ 3,8 milhões ao cornerback em pagamentos de jogo.

– Scott Pioli, general manager assistente do Arizona Cardinals, deixou seu cargo na franquia nesta quinta-feira, depois de cinco temporadas. O time disse que Pioli está saindo do emprego para buscar novas oportunidades.

“Nós compreendemos e respeitamos a decisão que Scott, Dallas e sua família tomaram hoje e desejamos o melhor a eles. Nos últimos cinco anos, Scott não apenas teve um tremendo valor para mim, mas para toda a organização Falcons. Ele é um amigo querido e sua falta será sentida em nossa organização. Continuamos a avaliar a estrutura dentro de nossa organização e seguindo em frente com nossos próximos passos”, falou Thomas Dimitroff, general manager dos Falcons, em nota oficial.

Pioli se juntou a Dimitroff em 2014, depois de quatro temporadas como GM do Kansas City Chiefs.

– O quarterback Drew Lock, calouro do Denver Broncos, disse ao site ‘TMZ’ nesta última quarta que o veterano Joe Flacco tem sido “ótimo” com ele, ao ser questionado sobre o comentário que Flacco fez no começo desta semana, observando que não é seu trabalho ser um mentor para o jovem signal caller.

Lock, que conversou com o ‘TMZ’ depois de chegar no Los Angeles International Airport, não quis falar especificamente sobre a declaração de Flacco, mas disse que está aprendendo com seu companheiro de equipe.

“Ele me ensinou muito até agora. Ele está lidando com vencer jogos de futebol americano, eu estou lidando com tentar aprender. (…) Estamos no mesmo grupo de quarterbacks. Ele tem sido ótimo comigo”, falou o QB, selecionado na segunda rodada do draft de 2019.

– O tight end Kyle Rudolph, do Minnesota Vikings, tem sido alvo de rumores de troca, até sendo cotado para ser cortado ou ter seu contrato ajustado para que o time abra espaço no salary cap. Mas, enquanto seu futuro não é definido, o TE deixou claro que não está interessado em aceitar nenhum corte salarial ou contrato vantajoso apenas para o time.

Ao repórter Sid Hartman, do ‘Minneapolis Star Tribune’, Rudolph disse que não há “nenhuma maneira” de ele aceitar receber menos.

“Não, não vou, sou muito jovem para isso”, frisou o tight end de 29 anos de idade.

– Sean Lee, linebacker veterano do Dallas Cowboys, se disse animado para jogar ao lado de nomes como os jovens Jaylon Smith e Leighton Vander Esch.

“Esse é um sonho que está se tornando realidade, jogar com dois jovens que amam o futebol americano. Jogadores All-Pro que jogaram de maneira inacreditável no ano passado e realmente ajudaram nosso time a sair de uma campanha difícil no início da temporada, ter voltado aos trilhos e chegar aos playoffs é realmente por causa desses caras, como eles jogaram bem e todo o grupo, toda a defesa”, afirmou Lee, segundo o ‘Dallas Morning News’.

– Dak Prescott está entrando no ano final de seu contrato com o Dallas Cowboys e o quarterback deve faturar US$ 2,025 milhões em 2019. Mas uma extensão de contrato deve ser realizada em um futuro não tão distante. E, se depender do signal caller, ele não quer sair da franquia texana.

“Eu quero ser um Cowboy para sempre. Eu acho que as pessoas que estão fazendo o acordo sentem isso da mesma maneira, então para mim não há pressa. Eu sei que vai sair”, falou Prescott, segundo o site oficial do Dallas Cowboys. “Eu quero ser um Cowboy, tenho certeza que serei um Cowboy por muito tempo. (…) Eu não tenho nenhuma preocupação ou ansiedade de não acontecer ou tentar fazê-lo mais cedo ou mais tarde. Sem preocupações. Isso vai sair”, finalizou.

Comments
To Top