NFL

No Huddle – Novos uniformes do NY Jets e jogadores da AAF começam a assinar com times da NFL

New York Jets revela seu novo uniforme para a temporada 2019

No Huddle – O boletim de notícias de NFL do Quinto Quarto

– O New York Jets fez sua primeira grande mudança de uniformes nas últimas duas décadas e revelou um novo look para combinar com as alterações no time. Na noite desta quinta, a franquia nova-iorquina lançou a nova roupa, com as cores intituladas “Gotham Green, Spotlight White e Stealth Black”.

Os capacetes agora são verdes e o look é inspirado nos Jets do final dos anos 1970, dos anos 80 e no começo dos anos 90. Aqueles times utilizaram capacetes verdes e uniformes verdes mais intensos e, na época, a equipe disputou cinco jogos de playoffs e chegou à final da Conferência Americana (AFC).

Esta é apenas a quarta mudança de uniformes na história de 60 anos da franquia e Christophen Johnson, CEO da organização, frisou que a nova roupagem é o início de uma “nova era” nos Jets. Vale lembrar que a organização trouxe o running back Le’Veon Bell e contratou o técnico Adam Gase nesta offseason, entre outras mudanças.

– A Alliance of American Football (AAF), que encerrou suas operações nesta semana, anunciou nesta quinta que todos os seus jogadores estão autorizados a assinar com times da NFL e as movimentações não demoraram a começar.

O Kansas City Chiefs se tornou o primeiro time a trazer um atleta da AAF e contratou o cornerback Keith Reaser, que estava atuando no Orlando Apollos, melhor time da liga antes do encerramento das operações por tempo indeterminado. Ele somou três interceptações e 12 tackles em oito jogos.

Os Chiefs vão dar US$ 100 mil ao atleta, na forma de um bônus de assinatura de US$ 50 mil, um bônus de treinamentos de US$ 25 mil e um bônus de elenco de US$ 25 mil.

Reaser, que foi selecionado na quinta rodada do draft de 2014 pelo San Francisco 49ers, já tinha uma passagem anterior pelos Chiefs em 2017-18 e atuou em apenas uma partida com a camisa da franquia antes de ser dispensado em setembro de 2018. Ele disputou 29 jogos na NFL com os Niners entre 2015 e 2017.

Quem também chegou a um acordo com um ex-jogador da AAF foi o Carolina Panthers, que trouxe o wide receiver Rashad Ross. Ele liderou a liga com sete recepções para touchdown com a camisa do Arizona Hotshots. Ross teve experiências com times da NFL e passou por Chicago Bears e Washington Redskins, exercendo mais a função de retornador de chutes.

– O running back Mark Walton, do Cincinnati Bengals, se entregou à polícia nesta quinta-feira e está enfrentando quatro acusações, incluindo uma de portar uma arma escondida. Essas alegações se dão depois do terceiro incidente extracampo de Walton neste ano. Todas as acusações são relacionadas a um incidente ocorrido em março, em Miami.

– O quarterback Robert Griffin III, do Baltimore Ravens, acreditava que tinha uma chance de ser contratado pelo Jacksonville Jaguars para ser titular em 2019 caso a franquia da Flórida não tivesse fechado com Nick Foles. RGIII afirmou que os Jaguars tentaram adquiri-lo em troca no ano passado, no final da pré-temporada, e antes do prazo final de trocas em outubro.

– Mesmo com seu time sem uma escolha de primeira rodada no draft de 2019, o técnico Sean Payton, do New Orleans Saints, não se arrepende da troca fechada com o Green Bay Packers no ano passado para subir à 14ª posição geral e escolher o pass rusher Marcus Davenport.

“Nós gostamos disso. Quando ele jogou no ano passado, sentimos que vimos algumas características realmente boas, e sentimos que esse cara será um jogador dominante para nós”, afirmou, segundo Mike Triplett, da ‘ESPN’.

– Terrell Owens, que recentemente entrou no Pro Football Hall of Fame, vai anunciar a escolha do San Francisco 49ers na terceira rodada do draft de 2019. Ele será um de diversos ex-astros da NFL a anunciarem escolhas no final de abril.

– Andrew Whitworth, left tackle veterano do Los Angeles Rams, ainda não engoliu a derrota para o New England Patriots no Super Bowl LIII e, em entrevista a Andrew Siciliano, da ‘NFL Network’, que ele considera o revés o pior de toda a temporada para o time.

“Foi, provavelmente, nosso pior jogo da temporada lá”, analisou.

– Phillip Lindsay, running back do Denver Broncos, não estabeleceu um cronograma para seu retorno, depois de fraturar seu punho direito na véspera de Natal, mas ele sabe que continuará a ter que mostrar a que veio na NFL. “Essa temporada acabou agora e tenho que me provar novamente”, falou o jogador, que teve um excelente ano de calouro e foi selecionado para o Pro Bowl depois de correr para 1.037 jardas e nove touchdowns em 2018.

– Arizona Cardinals está recebendo o defensive end Nick Bosa e o defensive tackle Quinnen Williams para visitas, enquanto analisa dois dos principais prospectos para o draft de 2019 da NFL. A informação é de Ian Rapoport, da ‘NFL Network’.

Comments
To Top