NFL

No Huddle – Novo acordo de trabalho deve aumentar vagas nos playoffs para 14

NFL logo

No Huddle – O boletim de notícias de NFL do Quinto Quarto

– Quando (e se) um novo acordo coletivo de trabalho (CBA) for finalizado, há a expectativa de que haja uma mudança significativa na estrutura dos playoffs da National Football League. E ela já seria adotada para a próxima temporada, como apurou o jornalista Adam Schefter, da ‘ESPN’ norte-americana.

Há um otimismo cada vez maior de que um novo acordo coletivo de trabalho possa ser selado em algum momento da próxima semana.

Sob a atual proposta, que os proprietários de times da NFL estão apoiando, o número de classificados para os playoffs subiria para sete em cada conferência, totalizando 14 times avançando à pós-temporada. Além disso, a temporada regular subiria de 16 para 17 jogos por equipe e a pré-temporada seria reduzida para três partidas por time.

Como parte do novo formato de playoff proposto, apenas um time da Conferência Americana (AFC) e um time da Conferência Nacional (NFC) teriam folga na primeira rodada do mata-mata, ao contrário da fórmula atual de dois times com esse privilégio por conferência. Isso causaria uma mudança brusca no formato dos playoffs, com seis jogos na rodada de wild card, sendo três no sábado e três no domingo.

As mudanças no formato dos playoffs tomariam efeito já na temporada 2020, partindo do pressuposto de que o novo CBA fosse finalizado antes disso.

“Isso foi acordado há um bom tempo. Não houve muita discordância nessa questão”, declarou uma fonte familiarizada com as negociações da CBA sobre a nova estrutura de playoffs da NFL.

Além disso, os jogadores dos times que conquistarem uma folga na primeira rodada dos playoffs receberiam pagamento referente à primeira semana da pós-temporada. Esse não era o caso sob o atual acordo coletivo de trabalho.

Agora, os times estão tentando trabalhar nas questões finais, incluindo conseguir que os jogadores aceitem uma temporada regular de 17 jogos. Isso ainda precisa ser finalizado e não entrará em vigor até 2021, na melhor das hipóteses.

– Ainda tratando sobre as negociações do novo CBA, os proprietários da NFL vão se reunir em Nova York nesta quinta para debater o status das atuais negociações trabalhistas com a NFL Players Association (NFLPA), como noticiou o jornalista Michael Silver, da ‘NFL Network’.

Os jogadores vão conversar sobre a proposta dos donos de times através de uma teleconferência na sexta, como apurou Tom Pelissero, também da ‘NFL Network’.

Se tudo for bem durante as próximas 48 horas, um novo acordo coletivo de trabalho entre a liga e a NFLPA poderia ser ratificado antes do início do ano novo da liga, no dia 18 de março, de acordo com Silver.

– O offensive tackle Greg Robinson, atualmente sem time, foi detido nesta quarta no Texas sob uma acusação pendente de tráfico de drogas, segundo registros oficiais.

Atualmente com 27 anos, Robinson atuou com a camisa do Cleveland Browns na temporada 2019. Ele foi fichado pela Drug Enforcement Administration, nesta terça, depois que os agentes federais disseram ter encontrado 71 quilos de maconha em um veículo alugado no qual ele e mais duas pessoas estavam.

Robinson e Jaquan Tyreke Bray, de 26 anos, foram acusados de possuir maconha com a intenção de vender, de acordo com os registros da prisão de El Paso County. Ambos foram mantidos sem fiança, aguardando uma aparição inicial perante um juiz dos EUA.

Se condenados, ambos podem ser condenados a até 20 anos de prisão federal.

– Kyle Long se aposentou recentemente. E, ao refletir sobre sua decisão de pendurar o capacete aos 31 anos de idade, o offensive lineman, três vezes selecionado ao Pro Bowl na carreira, disse que tudo foi simples: seu corpo não estava mais em condições de jogar no nível em que ele estava acostumado.

“Tive uma jornada e experiência incríveis na NFL. Não foi igual a nada que eu já fiz antes. Conheci pessoas ótimas, fiz coisas incríveis, mas no final das contas eu não consegui aguentar minha parte do peso como jogador de futebol americano. Quando você assina um contrato e eles dizem que vão te dar uma quantia X de dólares, você tem que fazer o seu trabalho e eu não fui capaz de ser saudável o suficiente e executar o meu trabalho o suficiente para proteger (Mitchell) Trubisky e fazer os running backs correrem pelos buracos”, disse Long na última terça, no programa NFL Total Access, da ‘NFL Network’.

– Alex Van Pelt, novo coordenador ofensivo do Cleveland Browns, disse aos repórteres nesta quarta-feira que ele planeja mudar o trabalho de pés do quarterback Baker Mayfield.

Van Pelt disse que ele deseja que o trabalho de pés do signal caller dos Browns seja “igual a Mozart, não ao Metallica”.

Entre os exemplos dados pelo coordenador dos Browns está o posicionamento do pé de Mayfield na formação shotgun antes do snap. Van Pelt que mudar o pé principal do QB do direito para o esquerdo, o que ele acredita que ajudará o jogador a ser mais fluido em seu three-step drop.

“Isso permite que o quarterback toque com mais ritmo”, explicou Van Pelt sobre a mudança de pés. “É uma conversa específica com um quarterback, mas é algo em que acredito. “Na minha opinião, ajuda nas três passadas, o jogo rápido. Há mais ritmo, não é tão robótico, é mais fluido”, analisou.

Comments
To Top