NFL

No Huddle – NFL vai revisar pancada de Jadeveon Clowney em Carson Wentz

Jadeveon Clowney, defensive end do Seattle Seahawks

No Huddle – O boletim de notícias de NFL do Quinto Quarto

– A National Football League vai dar mais uma olhada na jogada que encerrou precocemente a estreia do quarterback Carson Wentz, do Philadelphia Eagles, nos playoffs. O jornalista Tom Pelissero, da ‘NFL Network’, apurou que a liga está revisando a pancada que o defensive end Jadeveon Clowney, do Seattle Seahawks, deu em Wentz neste último domingo.

Ainda segundo Pelissero, uma suspensão não é esperada, mas uma multa é uma possibilidade.

Wentz estava no processo de tomar um tackle dado por Bradley McDougald, safety dos Seahawks, quando Clowney fez um contato de capacete contra capacete com o QB. Wentz saiu do jogo válido pela rodada de wild card dos playoffs da Conferência Nacional (NFC) e não retornou após entrar no protocolo de concussão.

Josh McCown substituiu Wentz pelo restante da derrota por 17 a 9.

O left tackle Jason Peters, dos Eagles, disse que falou a Clowney posteriormente que foi um golpe baixo a pancada, segundo a ‘ESPN’. Clowney se defendeu na entrevista pós-jogo e disse que não teve a intenção de machucar ninguém.

– O Cleveland Browns agora é o único time da National Football League com sua vaga de head coach ainda em aberto, depois que Dallas Cowboys, New York Giants e Carolina Panthers resolveram a situação neste início de semana. E, agora, a franquia de Ohio pode usar um pouco mais o seu tempo para tomar uma decisão final.

Jimmy Haslam, proprietário dos Browns, afirmou em uma coletiva no final da semana passada que o time será muito minucioso em seu processo de pesquisa, entrevista e avaliação antes de contratar um novo treinador para substituir o demitido Freddie Kitchens.

Os Browns já entrevistaram Mike McCarthy (contratado pelos Cowboys), Robert Saleh (coordenador defensivo do San Francisco 49ers), Brian Daboll (coordenador ofensivo do Buffalo Bills), Eric Bienemy (coordenador ofensivo do Kansas City Chiefs) e Greg Roman (coordenador ofensivo do Baltimore Ravens). E a equipe já tem entrevistas agendadas com Jim Schwartz (coordenador defensivo do Philadelphia Eagles) e Josh McDaniels (coordenador ofensivo do New England Patriots), segundo Tom Pelissero, jornalista da ‘NFL Network’.

– Mike McCarthy, novo técnico do Dallas Cowboys, não pretende mudar de coordenador ofensivo. O head coach deixou claro que gostaria que Kellen Moore permaneça na franquia texana como parte de sua comissão técnica. A informação foi apurada por Ian Rapoport, da ‘NFL Network’.

Agora, o profissional de 31 anos de idade poderá optar por permanecer nos Cowboys e aprender um novo sistema ofensivo sob o comando de McCarthy ou então retornar ao seu estado natal e se tornar o coordenador ofensivo da Universidade de Washington na comissão de Jimmy Lake, novo técnico dos Huskies.

– O safety Earl Thomas, do Baltimore Ravens, acredita saber o plano de jogo que será utilizado pelo Tennessee Titans na rodada de divisão dos playoffs da Conferência Americana (AFC).

“Acho que se (Ryan) Tannehill tentar passar a bola contra nós, eu não acho que isso pesará a favor deles. Nós sabemos que eles tentarão correr com a bola”, falou Thomas nesta terça.

Tannehill fez o ataque dos Titans crescer durante a temporada 2019, terminando como o QB com maior passer rating da liga (117.5). Ele lançou para 22 touchdowns e seis interceptações, liderando a franquia de Nashville em sete vitórias nos últimos 11 jogos.

Contudo, durante a vitória sobre o New England Patriots por 20 a 13, no último sábado, Tannehill teve um dos jogos menos produtivos por um QB em uma vitória nos playoffs. Ele se tornou apenas um de quatro QBs a passarem para menos de 75 jardas com pelo menos 15 passes tentados em uma vitória em pós-temporada, segundo o ESPN Stats & Information.

E, no triunfo sobre os Pats, os Titans utilizaram bastante o running back Derrick Henry, com 184 jardas em 34 carregadas.

Contra a defesa dos Ravens, a quinta melhor contra o jogo terrestre na NFL, as coisas devem ser mais complicadas para Henry.

– Aaron Jones, running back do Green Bay Packers, teve um ano incrível na posição. Mas ele não foi reconhecido como deveria.

Na temporada regular, ele anotou 19 touchdowns totais (16 terrestres e três aéreos), o que o deixou empatado com Christian McCaffrey, do Carolina Panthers, como melhor da NFL no quesito. Ele correu para 1.084 jardas em 236 carregadas e fez 46 recepções para 474 jardas.

Mesmo assim, nada de Pro Bowl e ele nem recebeu um voto sequer para o time All-Pro. E o camisa 33 dos Packers sabe que é subestimado por muitos.

“Neste ponto, estou acostumado a ser ignorado. Eu só preciso parar de me preocupar com o que as outras pessoas pensam de mim. Eu sei que tipo de jogador sou e me saí bem este ano. Estou orgulhoso de mim mesmo, tão honestamente neste momento, que o que as outras pessoas pensam não me incomoda. Eu sou um All-Pro, na minha opinião”, falou Jones, segundo o ‘The Athletic’.

– O running back Jay Ajayi foi dispensado pelo Philadelphia Eagles há duas semanas. E, agora, ele encontrou um novo esporte para o qual se dedicar. O Philadelphia Union, time da Major League Soccer (MLS), anunciou a contratação de Ajayi para representar o clube como um jogador profissional de FIFA. A informação foi apurada pelo ‘Verge’.

Sim, agora Ajayi vai para os eSports e será um cyberatleta.

“A Filadélfia sempre vai ocupar um lugar especial no meu coração. Sou abençoado por poder representar a cidade através dos eSports e por ser um dos primeiros atletas profissionais a se tornar um gamer profissional. Representar o Philadelphia Union para eMLS combina duas das minhas maiores paixões fora do futebol americano, que são futebol e games. Eu sou um competidor, então vocês vão me ver dar o meu melhor pelo Union em todos os eventos da eMLS neste ano”, falou Jay Ajayi.

Comments
To Top