NFL

No Huddle – New York Giants renova com Sterling Shepard por quatro anos

Sterling Shepard, wide receiver do New York Giants

No Huddle – O boletim de notícias de NFL do Quinto Quarto

– O New York Giants e o wide receiver Sterling Shepard chegaram a um acordo de extensão de contrato de quatro anos, com valor de US$ 41 milhões, que inclui US$ 21,3 milhões em garantias. A informação é do jornalista Adam Schefter, da ‘ESPN’ norte-americana.

A decisão se dá quase um mês depois de o time nova-iorquino trocar o wide receiver Odell Beckham Jr. com o Cleveland Browns. Vale lembrar que os Giants também trouxeram Golden Tate no mês passado e, assim como Shepard, ele tem sido mais produtivo no slot.

Atualmente com 26 anos de idade, Sterling Shepard somou 66 recepções para 872 jardas na temporada 2018, maiores marcas de sua carreira, anotando quatro touchdowns.

Selecionado na segunda rodada do draft de 2016 pelos Giants, com a 40ª escolha geral, Shepard soma 190 recepções para 2.286 jardas e 14 TDs em 43 jogos de temporada regular na NFL.

– Um dos principais recebedores de Aaron Rodgers no Green Bay Packers, Davante Adams parece saber como o quarterback vai responder aos questionamentos recentes em relação à sua liderança na franquia. O wide receiver acredita que Rodgers vai querer silenciar todo mundo com suas atuações.

– Uma citação foi emitida contra um homem de Missouri acusado de lançar um laser sobre o quarterback Tom Brady, do New England Patriots, durante a vitória dos Pats sobre o Kansas City Chiefs, na final da Conferência Americana (AFC) desta temporada passada. Os promotores disseram na terça que Dwyan Morgan, de 64 anos de idade, de Lee’s Summit, no Missouri, vai enfrentam uma acusação simples de distúrbio da paz, uma violação municipal.

Lasers são banidos da maioria dos eventos esportivos devido às distrações que ele causa e por razões de segurança, já que esse tipo de luz pode danificar a retina mesmo após um pequeno período de tempo.

– Pesquisadores parecem estar se aproximando de encontrar uma maneira de examinar atletas enquanto eles estão vivos para encontrar sinais de uma doença degenerativa do cérebro que tem sido ligada às frequentes pancadas na cabeça. Escaneamentos experimentais encontraram níveis mais altos de uma proteína anormal ligada à encefalopatia traumática crônica (ETC ou CTE, em inglês) em um estudo com ex-jogadores da National Football League que estavam tendo problemas de humor e raciocínio.

É a primeira vez que um estudo grande testou esses escaneamentos para detectar ETC com a pessoa viva. Atualmente, a ETC é apenas diagnosticada após a morte, com autópsias cerebrais.

– Conforme o draft de 2019 da NFL se aproxima, o nome de Josh Rosen, quarterback do Arizona Cardinals, está sendo cada vez mais ligado aos rumores de troca. O Washington Redskins, contudo, não deve ser incluído no grupo de interessados.

“Eles fizeram um pouco da lição de casa, ao menos tentaram descobrir qual seria o preço dos Cardinals. Mas eles não estão ativamente perseguindo ele e não sei se eles têm uma oferta séria sobre a mesa porque sei de fato que eles ainda estão pesquisando os caras no draft aparentemente”, falou o jornalista Mike Garafolo, da ‘NFL Network’, no Around The NFL podcast.

– O wide receiver Demaryius Thomas finalizou uma visita ao New England Patriots nesta quarta-feira, como apurou o jornalista Ian Rapoport, da ‘NFL Network’. Atualmente com 31 anos de idade, o recebedor está ainda se recuperando de uma ruptura no tendão de Aquiles, mas está no cronograma para voltar em breve.

– O New England Patriots está dando uma olhada de perto nos quarterbacks à disposição no draft de 2019 da NFL. O jornalista Ian Rapoport, da ‘NFL Network’, apurou que a franquia de Foxborough se reuniu com Daniel Jones, de Duke, e Will Grier, de Virginia, nesta quarta.

– Até agora, Josh Rosen segue como quarterback titular do Arizona Cardinals e Kyler Murray é apenas um dos prospectos do draft deste ano. Em meio aos rumores de troca envolvendo Rosen e a possível seleção de Murray, os Cardinals foram abordados sobre o assunto.

E o técnico Kliff Kingsbury fez questão de frisar que Rosen é atlético o suficiente para liderar qualquer sistema ofensivo na NFL, incluindo o ataque rápido que ele pretende implementar na franquia de Glendale. “Eu era bastante atlético no meu tempo. Eu era um pocket passer. Josh pode se mover. Ele pode estender jogadas mais do que as pessoas pensam”, falou o head coach, segundo Josh Weinfuss, da ‘ESPN’.

– O wide receiver A.J. Green, do Cincinnati Bengals, comparou sua empolgação ao “primeiro dia de escola” enquanto ele e seus companheiros se apresentaram ao primeiro dia de treinos voluntários do time. E um dos maiores motivos para isso é o novo head coach Zac Taylor.

“Apenas assistindo ao ataque, assistindo alguns dos melhores momentos dos Rams, e o playbook deles tornava isso muito empolgante. É minha primeira vez com um técnico de mentalidade ofensiva. Apenas ele sendo o head coach, estando nas salas de reunião passando por tudo, os planejamentos ofensivos, então foi muito empolgante para mim”, frisou Green.

– O quarterback Jameis Winston, do Tampa Bay Buccaneers, rasgou elogios ao tight end O.J. Howard e disse que a “lua” é o limite para o jogador atlético. “O céu é o limite realmente, nem mesmo o céu – provavelmente a lua. Por que limitá-lo lá? O cara, ele é incrível. Ele e Cam (Brate) realmente se complementam bem. Eu acho que O.J. pode aprender muitas coisas com Cam, eu acredito que ter esses dois caras vai levar nosso ataque ao tipo”, frisou o signal caller.

– Uma queixa civil alegando que o defensive tackle Marcell Dareus, do Jacksonville Jaguars, agrediu sexualmente uma mulher em Tampa em janeiro de 2017 e lhe passou uma doença sexualmente transmissível foi rejeitada.

– Larry Rose, ex-árbitro da NFL, está se juntando ao staff do técnico Bruce Arians no Tampa Bay Buccaneers antes da temporada 2019 e ele vai atuar como consultor de arbitragem dos Bucs, como anunciou a franquia nesta quarta. Suas funções vão incluir ajudar a comissão técnica dos Buccaneers e jogadores com interpretação e conhecimento das regras e estratégia de jogo, incluindo decisões de desafio com replay.

Rose tem 44 anos de experiência com arbitragem, tendo trabalhado em 350 jogos tanto nos níveis universitário e profissional. Ele tem 17 temporadas de experiência como side judge na NFL, tendo trabalhado em vários jogos de playoffs e no Super Bowl XLII. Ele se aposentou da NFL em 2013.

Comments
To Top