NFL

No Huddle – Matt Ryan doa US$ 500 mil para ajudar comunidade negra em Atlanta

Matt Ryan, quarterback do Atlanta Falcons

No Huddle – O boletim de notícias de NFL do Quinto Quarto

– O quarterback Matt Ryan, do Atlanta Falcons, resolveu tomar uma atitude importante para ajudar a comunidade negra local. Nesta sexta-feira (5), através do seu Instagram, ele anunciou que está iniciando um levantamento de fundos para ajudar a melhorar a comunidade para afro-americanos na cidade de Atlanta.

Atualmente com 35 anos de idade, ele iniciou a campanha com uma doação de US$ 500 mil do próprio bolso e o QB estabeleceu a meta de angariar US$ 2 milhões na campanha.

“Na semana passada, assumi o compromisso de ouvir e aprender, e uma das mensagens que me impressionou foi a diferença entre reagir a uma situação e responder a uma situação”, escreveu Ryan. “Por muito tempo, reagi à injustiça social com empatia e apoio silencioso, mas falhei em seguir com apoio ativo. Sinto que chegou a hora de responder. Para TODOS nós respondermos. Eu vejo minha cidade com dores, e é por isso que estou iniciando uma angariação de fundos para ajudar a melhorar a comunidade de pessoas de cor na cidade de Atlanta. Estou iniciando com uma doação de US$ 500 mil e estou pedindo para você considerar doar também. Seja grande ou pequeno, você se juntará a mim para fazer a diferença. Nas próximas semanas / meses, estarei realmente ouvindo as necessidades da comunidade e trabalhando com líderes empresariais negros, personalidades do esporte, ativistas e organizações locais de base para obter orientação sobre como essas doações podem ser mais impactantes”, completou o jogador, na postagem no Instagram.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Last week I made a commitment to listening and learning, and one of the messages that hit home for me was the difference between reacting to a situation and responding to a situation. For far too long I have reacted to social injustice with empathy and silent support but failed to follow through with active support. I feel the time has come to RESPOND. For ALL of us to respond.⠀ ⠀ ⠀ I see my city hurting, which is why I’m starting a fundraiser to help improve the community for people of color in the city of Atlanta. I’m kicking it off with a $500K donation and am asking you to consider donating as well. Whether big or small, you will be joining me in making a difference.⠀ ⠀ ⠀ Over the next few weeks/months I’ll be really listening to the needs of the community and working with black business leaders, sports figures, activists and local grassroots organizations to get guidance on how these donations can be most impactful.⠀ ⠀ ⠀ The link is in my bio and let’s rise up as a community. It’s time.

Uma publicação compartilhada por Matt Ryan (@ryan_matt02) em

– Com a reabertura gradual da maior parte das instalações dos times da National Football League, as comissões técnicas puderam começar a retornar aos locais nesta sexta. E alguns head coaches voltaram aos seus times.

O técnico Zac Taylor, do Cincinnati Bengals, foi um dos técnicos que retornaram às instalações, um mês e meio antes do início dos training camps.

Vale lembrar que os jogadores ainda não têm permissão para retornar aos centros de treinamento e isso só deve ocorrer no final de julho, com o início dos camps.

No Pittsburgh Steelers, o técnico Mike Tomlin se apresentou no UPMC Rooney Sports Complex. Seguindo na AFC North, o Cleveland Browns publicou um vídeo no Twitter em que o técnico Kevin Stefanski chega nas instalações do time, em Berea, Ohio.

Atual campeão do Super Bowl, o Kansas City Chiefs viu Andy Reid retornar aos trabalhos.

O jornalista James Palmer, da ‘NFL Network’, noticiou que o técnico/general manager Bill O’Brien, do Houston Texans, retornou às instalações, assim como o técnico Vin Fangio voltou ao seu escritório no Denver Broncos.

Na Conferência Nacional (NFC), o Washington Redskins recebeu de volta parte de sua comissão técnica, entre eles o técnico Ron Rivera. E, no Green Bay Packers, Matt LaFleur voltou ao Lambeau Field.

Com o passar de junho, certamente teremos mais equipes recebendo seus staffs, em uma reabertura gradativa em meio à pandemia da COVID-19.

– Um número de jogadores importantes da National Football League publicou um vídeo idêntico em suas contas nas redes sociais na noite da última quinta (4). Na mensagem, os atletas convocam a liga para “condenar o racismo e uma opressão sistêmica dos negros … admitir o erro em silenciar nossos jogadores de protestar pacificamente … acreditar que vidas negras são importantes”.

Os seguintes jogadores participaram no vídeo: “Davante Adams, Jamal Adams, Saquon Barkley, Anthony Barr, Odell Beckham, Ezekiel Elliott, Stephon Gilmore, DeAndre Hopkins, Eric Kendricks, Jarvis Landry, Marshon Lattimore, Patrick Mahomes, Tyrann Mathieu, Patrick Peterson, Sterling Shepard, Michael Thomas, Deshaun Watson e Chase Young.

E, nesta sexta, Goodell disse que a liga admite que foi errada “por não ouvir os jogadores da NFL anteriormente” e encoraja “todos para falar e protestar pacificamente”. Isso foi dito em um vídeo publicado nas redes sociais oficiais da National Football League.

– O New England Patriots se tornou a franquia mais recente a tomar atitude em meio aos protestos pedindo por mudanças significativas nos Estados Unidos.

A família Kraft está doando US$ 1 milhão na forma de 10 doações mensais de US$ 100 mil para organizações locais “que estão lutando pela igualdade, trabalhando para acabar com o racismo sistêmico e criar mudanças significativas em nossa comunidade”, de acordo com um anúncio no Twitter da equipe.

As organizações de base que receberão as doações mensais serão escolhidas em colaboração com os jogadores do Patriots, de acordo com o anúncio.

– Enquanto os protestos nos Estados Unidos continuam após a morte de George Floyd em Minnesota, os jogadores do Jacksonville Jaguars lideraram uma marcha nesta sexta.

“Para muitos americanos, agora é o momento. Nunca foi tão claro”, o time disse em seu Twitter oficial.

Vários jogadores, incluindo o wide receiver D.J. Chark e o kicker Josh Lambo, se dirigiram aos Jags antes de liderar a marcha para “aumentar a conscientização sobre a injustiça racial contra a comunidade negra”.

– Brad Seely, coordenador de special teams do Houston Texans, está se aposentando após 31 temporadas como treinador na National Football League. A novidade foi anunciada pela franquia texana nesta sexta-feira (5).

Desde que Seely assumiu o cargo em Houston, em 2018, os Texans saíram da 26ª posição entre unidades de special teams, segundo o Football Outsiders, para ter a quinta melhor da liga em 2018 e a quarta melhor da NFL na temporada passada.

Ao longo de sua carreira, Seely comandou 10 jogadores diferentes e, juntos, eles foram selecionados 17 vezes ao Pro Bowl como special teamers. Seely treinou em nove finais de conferência e ganhou três Super Bowls.

– O running back Devonta Freeman, atualmente um free agent, segue disponível no mercado. E, na última quinta, o técnico Bruce Arians disse que seu time estaria interessado em trazer Freeman, mas que o preço desejado pelo jogador era muito alto e que a franquia não tem esse dinheiro à disposição.

Então, o running back de 28 anos de idade utilizou as redes sociais para sugerir que os Bucs entrem em contato diretamente com ele para ver se um negócio é possível.

“Eu li na mídia que os Buccaneers de Tampa Bay estão interessados. Várias equipes estão interessadas, mas não podemos negociar através da mídia, os Buccaneers podem me contatar diretamente”, afirmou Freeman, em postagem na rede social.

– Um trabalhador que estava trabalhando no canteiro de obras do SoFi Stadium, em Inglewood, na Califórnia, morreu no local depois de cair do telhado nesta sexta. A informação foi confirmada por um porta-voz do empreiteiro.

A Joint Venture Turner-AECOM, empreiteira geral do local, disse que um ferreiro caiu da estrutura do telhado, e que as equipes de emergência foram chamadas imediatamente.

O SoFi Stadium abrigará o Los Angeles Rams e o Los Angeles Chargers, e deve ser inaugurado no início da temporada 2020 da NFL.

O SoFi Stadium, os Rams e os Chargers divulgaram um comunicado conjunto sobre o acidente.

“Estamos tremendamente tristes com a perda de um trabalhador da construção civil no local do estádio hoje. Nossos pensamentos e orações mais sinceros vão para a família e amigos do indivíduo que faleceu”, declararam, em nota oficial. “A segurança de nossa equipe de construção e de todos os nossos funcionários é a principal prioridade de nossas organizações, e continuaremos a trabalhar com nossos parceiros e autoridades locais para cumprir esse compromisso”, completaram.

Comments
To Top