NFL

No Huddle – Anthony Lynn diz que Colin Kaepernick se encaixaria no Los Angeles Chargers

Colin Kaepernick, quarterback da NFL

No Huddle – O boletim de notícias de NFL do Quinto Quarto

– O técnico Anthony Lynn, do Los Angeles Chargers, disse aos repórteres nesta quarta-feira (17) que o quarterback Colin Kaepernick, atualmente um free agent, se encaixa no que o time quer fazer ofensivamente.

O head coach disse que “seria uma loucura não tê-lo na sua lista de interesse”, mas frisou que a franquia californiana ainda não entrou em contato com o QB de 32 anos de idade.

“Eu não falei com Colin, não sei ao certo o que ele quer fazer em sua carreira, mas Colin definitivamente se encaixa no estilo de quarterback para o sistema que vamos executar”, falou Lynn, segundo a ‘ESPN’ norte-americana. “Estou muito confiante e feliz com os três quarterbacks que tenho, mas você nunca pode ter muitas pessoas esperando na pista”, pontuou.

Atualmente, o grupo de QBs dos Chargers é composto por Tyrod Taylor, o calouro Justin Herbert, selecionado na primeira rodada do Draft NFL 2020, e o prospecto em desenvolvimento Easton Stick.

O futuro de Kaepernick na NFL gerou interesse renovado em meio aos protestos contra o racismo sistêmico e a brutalidade policial nos Estados Unicos, movimento que Kap iniciou em 2016, quando ainda jogava na liga.

– O presidente dos Estados Unidos Donald Trump disse nesta quarta que Colin Kaepernick deveria receber uma oportunidade de voltar a jogar na NFL. Vale lembrar que Trump foi um dos críticos mais duros quando o então quarterback do San Francisco 49ers iniciou protestos durante o hino do país, lá em 2016.

“Se ele merece, ele deveria. Se ele tem a capacidade de jogar. Ele começou muito bem e depois não acabou muito bem em termos de jogador. Ele foi ótimo em seu ano de estreia. Eu acho que ele foi muito bom em seu segundo ano. E então algo aconteceu. Portanto, o seu jogo não estava à altura”, disse Trump, durante uma entrevista à ‘WJLA-TV’, afiliada da ‘ABC’ em Washington D.C. “A resposta é absolutamente que eu faria. Em relação a se ajoelhar, eu adoraria vê-lo ter outra chance. Mas obviamente ele tem que ser capaz de jogar bem. Se ele não pode jogar bem, acho que seria muito injusto”, completou.

Kaepernick protestou pacificamente contra a injustiça social e a brutalidade policial, ajoelhando-se durante o hino dos EUA durante a temporada de 2016 e não foi contratado por uma equipe desde que saiu dos 49ers. rump disse durante uma manifestação política de 2017 que os donos dos times da NFL deveriam demitir jogadores que não ficassem em pé durante o hino nacional antes dos jogos.

– Kareem Jackson, safety do Denver Broncos, testou positivo para o COVID-19. O próprio jogador confirmou a informação ao jornalista James Palmer, da ‘NFL Network’, nesta quarta.

Jackson, que vem treinando em Houston, disse a Palmer que ele foi testado nesta manhã. Ele disse que teve sintomas semelhantes aos da gripe, calafrios e congestão nos últimos dias.

O defensive back é o segundo jogador dos Broncos a revelar o diagnóstico positivo de coronavírus. O pass rusher Von Miller, MVP do Super Bowl 50, testou positivo para o vírus no meio de abril e, então, no dia 30 de abril, disse que um novo teste deu negativo, indicando que ele estava curado.

Kareem Jackson somou duas interceptações em 13 jogos com a camisa da franquia do Colorado em 2019, seu primeiro ano nos Broncos.

– O quarterback Kyler Murray, do Arizona Cardinals, não hesitou ao ser questionado se ele vai se ajoelhar durante o hino dos Estados Unidos na temporada 2020 da NFL.

Sim, vou me ajoelhar “, disse Murray, indo na mesma linha dos colegas de profissão Adrian Peterson, running back do Washington Redskins, e Baker Mayfield, quarterback do Cleveland Browns, além de Bill O’Brien, técnico do Houston Texans, entre outros. “Eu defendo o que é certo e essa é a questão. Eu chamo do jeito que vejo, e o que está acontecendo está completamente errado, então eu definitivamente vou me ajoelhar”, frisou.

– O Denver Broncos perdeu um de seus maiores ídolos nesta quarta, já que o ex-offensive lineman Jerry Sturm morreu aos 83 anos de idade.

A carreira de Sturm começou na Canadian Football League (CFL) antes de ele chegar aos Broncos, onde iniciou sua trajetória na então AFL em 1961. Sturm atuou em todas as três posições da linha ofensiva (center, guard e tackle), mas jogou mais no interior, sendo selecionado duas vezes para o time All-Star da AFL (1964 e 1966).

As contribuições de Sturm foram reconhecidas pelo Broncos em 2019, quando ele foi selecionado como membro da equipe Top 100 da franquia de todos os tempos.

Depois que seu tempo em Denver terminou após a temporada 1966, Sturm jogou outros seis anos profissionalmente no New Orleans Saints (1967-1970), no Houston Oilers (1971) e no Philadelphia Eagles (1972).

– A National Football League está trabalhando para adaptar os protocolos referentes ao COVID-19 e às diretrizes para testes de coronavírus.

O diretor médico da NFL, Dr. Allen Sills, deixou isso bem claro durante uma teleconferência na quarta, dizendo que ele falou aos times com reclamações sobre protocolos que “não parecerá normal porque não será normal”, de acordo com o jornalista Mike Garafolo, da ‘NFL Network’.

Na semana passada, o técnico John Harbaugh, do Baltimore Ravens, eeclamou publicamente sobre os requisitos estabelecidos pela liga em um memorando para todas as 32 equipes, chamando-as de “humanamente impossíveis” de atender.

Contudo, essas diretrizes não foram rigorosas e Sills disse que os protocolos ainda estão sendo desenvolvidos, com uma chance muito provável de que a estratégia de testes pareça diferente do início ao fim da temporada à medida que a ciência evolui, de acordo com Tom Pelissero, também da ‘NFL Network’.

Comments
To Top