NFL

No Huddle – Los Angeles Rams revela seus novos uniformes

Los Angeles Rams - novos uniformes

No Huddle – O boletim de notícias de NFL do Quinto Quarto

– O Los Angeles Rams resolveu dar um início oficial à sua nova era de SoFi Stadium, que será sua nova casa a partir de 2020, e lançou seus novos uniformes nesta quarta-feira (13).

O novo visual é, digamos, ousado e inclui uma camisa no tom que hoje é chamado de ‘off-white’. Traduzindo para o português claro, é um tom meio ‘creme’, que lembra muito roupa mal lavada (me desculpe que gostou desse uniforme).

O nome dessa versão dos três uniformes lançados é ‘bone’ (‘osso’, em tradução literal), sendo um pouco mais cinza do que o branco tradicional. Segundo os Rams, a tonalidade evoca sentimentos históricos e remete à cor real de um chifre de carneiro e as areias das praias de Los Angeles.

As calças do uniforme aparecem em três opções de cores: azul royal, amarelo e a ‘bone’. As versões royal e amarela parecem destinadas a combinar com a camisa do uniforme número 1, enquanto que a ‘bone’ é destinada para o uniforme número 2, para jogos fora de casa.O

O uniforme tem muitos e muitos detalhes, incluindo a inscrição ‘Rams’, e você pode conferi-lo no tweet abaixo.

– Nesta offseason, Christian McCaffrey recebeu um novo contrato do Carolina Panthers e estabeleceu um novo padrão para o mercado de running backs. E Saquon Barkley, astro do New York Giants, é um dos próximos que pode receber alguns bons milhões de dólares.

Mas o camisa 26 não está preocupado com isso neste momento e prefere focar em outras coisas.

“Eu acredito muito em cuidar das pequenas coisas primeiro. Eu serei o melhor jogador e líder que puder ser. Se eu cuidar disso, o resto vai cuidar de si”, falou Barkley aos repórteres nesta quarta, segundo Ralph Vacchiano, do ‘SNY’.

Selecionado com a segunda escolha geral do draft de 2018 pelos Giants, Barkley ganhou o prêmio de Calouro Ofensivo do Ano em 2018. Contudo, em sua segunda temporada na NFL, em 2019, ele foi afetado por lesões e não rendeu o esperado.

Agora entrando no terceiro ano de seu contrato de calouro, ele espera que as coisas melhores e que sua conta bancária esteja mais recheada dentro de alguns meses.

– O defensive end Taco Charlton está chegando ao Kansas City Chiefs, depois de passagens por Dallas Cowboys e Miami Dolphins, e ele prometeu que entregará a sua melhor versão à nova equipe, algo que seus dois times anteriores não tiveram.

“Eu acho que você poderia dizer isso”, falou Charlton, ao ser questionado se sua contratação recente pelos Chiefs poderia ser sua última chance de ver sua carreira ressurgir na NFL, trajetória esta que começou ao ser selecionado na primeira rodada do draft de 2017. “Meu pé está no acelerador desta vez. Não estou dizendo que dei todo o meu esforço em todos os lugares em que estive. Em todas as situações (anteriores), as coisas chegaram ao fim e foi meio que mútuo. Não foi realmente uma surpresa. (…) Eu estava me sentindo meio fora de posição um pouco no passado. Este ano, sinto-me confortável e utilizarei meus talentos da melhor maneira possível”, garantiu o pass rusher.

Charlton durou apenas duas temporadas na franquia texana, onde somou quatro sacks em 27 jogos. No ano passado, ele defendeu o Miami Dolphins e somou cinco sacks em 10 jogos, mas ele foi dispensado recentemente pela franquia da Flórida.

– O center Mike Pouncey, do Los Angeles Chargers, disse nesta quarta que os médicos o liberaram para atuar na temporada 2020 da NFL. O offensive lineman passou por uma cirurgia no pescoço na semana 5 da temporada passada e foi colocado na injured reserve, perdendo o restante do campeonato.

“Eu me sinto ótimo. Ainda é um processo voltando da cirurgia no pescoço, então estou apenas na fase de reabilitação. Mas sim, se você perguntar ao médico que fez a minha cirurgia, fui autorizado a jogar”, declarou Pouncey, em uma chamada no Zoom com os repórteres.

O center frisou que retornou à sua rotina normal de treinos e espera estar “totalmente pronto” quando a equipe puder voltar aos treinos.

A Califórnia permanece sob restrições “mais seguras em casa” devido à pandemia do novo coronavírus. Pouncey, que está jogando com um contrato de US$ 9 milhões por um ano, disse que estaria aberto para os Chargers jogarem em outros lugares se o estado não permitir o retorno dos esportes.

– Daniel Jones teve uma temporada de calouro animadora. Apesar disso, o jovem quarterback do New York Giants teve problemas com fumbles, sofrendo 18 em 2019. E ele quer corrigir isso antes da temporada 2020.

O QB afirmou que, durante a atual pandemia e o isolamento social, ele focou mais em melhorar a segurança da bola oval em suas mãos. Aos repórteres, o camisa 8 afirmou que está fazendo treinos diferentes e dando ênfase à técnica de “mindfullness”, segundo a jornalista Kimberly Jones, da ‘NFL Network’.

Jones se referiu ao problema como “uma correção simples”.

– A National Football League estendeu seu programa de treinos virtuais de offseason até o final de maio, como disse uma fonte ao jornalista Adam Schefter, da ‘ESPN’ norte-americana, nesta quarta.

A data anterior que havia sido estabelecida pela liga era o dia 15 de maio.

As equipes da NFL normalmente realizariam suas OTAs (organized team activities) em maio, seguidas por minicampos em junho. Devido à pandemia de coronavírus, essas atividades foram realizadas remotamente.

Treinadores e equipes de treinamento têm trabalhado com os jogadores, realizando instruções em sala de aula e atividades em campo por meio de aplicativos digitais, e não nas instalações da equipe, que estão fechadas desde o final de março. Essas reuniões virtuais podem ocorrer por quatro horas por dia, quatro dias por semana.

– O wide receiver T.Y. Hilton, do Indianapolis Colts, disse nesta quarta que deseja ser um “Colt por toda a vida” e ele planeja se aposentar ao final do próximo contrato.

Hilton está entrando no último ano de seu atual contrato. Ele e a franquia de Indiana tiveram algumas conversas sobre extensão, mas as coisas foram paralisadas com a atual pandemia do novo coronavírus.

“Precisa dos dois lados. Cabe ao (proprietário Jim) Irsay e ao (general manager) Chris (Ballard) fazer o trabalho. Eu quero ser um Colt. Então vocês ouviram isso de mim”, frisou o wideout.

Hilton, que completa 31 anos de idade em novembro, fez questão de dizer que, não importa a duração de seu próximo contrato com os Colts, este será seu último acordo na NFL.

Comments
To Top