NFL

No Huddle – LeSean McCoy: “é difícil substituir um cara como eu”

LeSean McCoy, running back do Buffalo Bills

No Huddle – O boletim de notícias de NFL do Quinto Quarto

– LeSean McCoy, running back do Buffalo Bills, teve sua pior temporada em termos estatísticos em 2018, quando correu para apenas 514 jardas e três touchdowns, e ele viu o grupo de RBs de sua equipe crescer nesta offseason. Mas engana-se quem acha que o camisa 25 está desanimado.

McCoy se mostrou confiante em relação às chances de ter um bom ano de recuperação em 2019.

“É difícil substituir um cara como eu”, disse o RB aos repórteres neste final de semana, segundo o ‘PennLive’. “Eu sou um bom jogador e sinto que agora, neste ano, eles colocaram muitos caras ao meu redor. A diretoria me deu alguns bons grandalhões na frente. E vamos ver o que acontece este ano. Eu me sinto bem e espero que esse ano fale por si só”, frisou o atleta, que está entrando em sua 11ª temporada na National Football League.

– De olho em como será o primeiro ano do Green Bay Packers sob o comando de Matt LaFleur, o ex-quarterback Brett Favre, um dos ídolos da franquia, deu sua visão sobre o possível conflito que pode haver entre o quarterback Aaron Rodgers, acostumado com a liberdade para mudar jogadas em campo, e LaFleur, cujo sistema ofensivo deve limitar a liberdade do QB na linha de scrimmage.

“Aaron ficará bem”, disse Favre aos repórteres neste final de semana, durante o American Family Insurance Championship, de acordo com o ‘Milwaukee Journal Sentinel’. “Eu acho que a questão é que ele precisa permanecer o mesmo. E eu não tenho que lhe dar nenhum conselho. Vocês sabem, ele vai lidar bem com isso”, observou.

“A questão é como eles vão lidar com isso com ele. E, obviamente, isso é muito importante. Quero dizer, há mais no time do que Aaron, mas todos nós temos que admitir que, quando ele está jogando e jogando bem, e geralmente quando ele está jogando ele joga bem, você não quer mudar o que está funcionando. Há outros fatores nos quais você tem que trabalhar”, opinou Favre. “Eu acho que você deve deixá-lo jogar o jogo dele e não perturbar muito. E vai ser interessante ver se isso acontecerá”, finalizou.

– O quarterback Drew Brees, ídolo do New Orleans Saints, ganhou mais de US$ 6 milhões em uma ação judicial em que o jogador alegou que um joalheiro do Condado de San Diego o vendeu diamantes superfaturados. O ‘San Diego Union-Tribune’ apurou que um júri do Superior Tribunal de Justiça deu a indenização na última sexta-feira (21) em um processo de fraude que Brees e sua esposa moveram contra um joalheiro de La Jolla no ano passado.

A ação afirmada que Vahid Moradi valorizou indevidamente as jóias que a família Brees comprou como um investimento de US$ 15 milhões, quando elas valiam milhões de dólares a menos.

– O running back Sony Michel, do New England Patriots, está “progredindo rapidamente” depois de passar por uma artroscopia no joelho e está correndo “a toda velocidade”, segundo apurou o jornalista Mike Giardi, da ‘NFL Network’, junto a várias fontes.

Michel está recebendo tratamento no TB12 Sports Therapy Center, em Foxborough, e anda passando “tempo considerável” por lá.

– O offensive tackle Nate Solder, que está entrando em seu segundo ano com a camisa do New York Giants, passou a maior parte da offseason afastado devido a uma lesão no tornozelo que exigiu a realização de uma artroscopia. Mas o left tackle não deve ficar na lateral do campo quando o training camp começar.

Solder disse ao jornalista Dan Duggan, do ‘The Athletic’, que seu tornozelo está “progredindo realmente bem” e que ele espera estar completamente pronto quando o training camp dos Giants começar, no dia 26 de julho.

“Não há motivo para pensar que eu não estarei lá para o training camp”, falou Solder, que acrescentou que ele já passou ao estágio de fazer menos reabilitação e mais treinamentos relacionados ao futebol americano.

– Jake Butt, tight end do Denver Broncos, estava indo bem na temporada passada quando uma ruptura no ligamento cruzado anterior encerrou seu ano precocemente. E, agora, o jogador, que está prestes a completar 24 anos, está pronto para voltar a conquistar seu espaço no elenco.

“Estou acostumado a ser um cara em quem o time pode confiar, acostumado a estar entre as primeiras opções do elenco. Para mim, eu provavelmente vou começar de baixo e trabalhar para chegar ao tipo. É um negócio completamente diferente para mim, mas não é nada do qual vou me esconder. Estou empolgado com a competição. Eu sei o que posso fazer como jogador de futebol americano”, afirmou Butt, segundo o jornal ‘The Denver Post’, demonstrando toda a sua confiança para 2019.

Comments
To Top