NFL

No Huddle – Josh Rosen está confiante de que pode ser franchise QB dos Dolphins

Josh Rosen, quarterback do Miami Dolphins

No Huddle – O boletim de notícias de NFL do Quinto Quarto

– Josh Rosen foi trocado pelo Arizona Cardinals com o Miami Dolphins na última sexta e, agora, ele está abraçando a nova oportunidade. E o quarterback está encarando o ano de 2019 como uma prova de fogo para ele provar à franquia da Flórida que pode ser a solução para os problemas de QB.

“Muito raramente você recebe uma segunda chance para causar uma primeira impressão. Eu sinto como se tivesse sido draftado duas vezes”, afirmou o signal caller, em sua entrevista coletiva de apresentação.

E Rosen causou uma boa primeira impressão em sua chegada a Miami, não fugindo das perguntas. Inclusive não fugiu das relacionadas aos Cardinals selecionarem o quarterback Kyler Murray e, pouco depois, terem o mandado para Miami. O QB se defendeu das críticas de que ele era um mau companheiro de equipe e mau líder de time.

“Eu acho que sou um bom companheiro de equipe. O que eu tentei fazer é não dizer ou fazer nada mais, apenas meio que ser eu e manter minha cabeça baixa e, eventualmente, a história será resolvida. Eu acho que acontece na maior parte do tempo. Tempo e consistência são os melhores remédios para curar a narrativa”, frisou Rosen.

Os Dolphins não têm um quarterback selecionado ao Pro Bowl desde Dan Marino, há 23 anos, sendo que essa é a maior seca em toda a NFL. E Rosen será o 20º quarterback a ser titular do time desde que Marino se aposentou, em 1999.

– Mesmo após a troca para adquirir Josh Rosen, o Miami Dolphins segue aberto à ideia de selecionar um quarterback no draft de 2020.

“Todo time nesta liga está procurando aquele cara que vai liderá-los aos títulos. E então, para nós, estamos em uma posição em que estamos tentando achar aquele cara, como muitos times da liga. Então, sim, foi uma decisão fácil. E não nos impede de fazer qualquer coisa no futuro. Quem sabe? Se as coisas saírem bem e sentirmos que ele é o cara, quem sabe? Mas não nos impede de fazer nada”, disse o general manager Chris Grier ao jornalista Albert Breer, do ‘The MMQB’.

– Recentemente draftado pelo New York Giants, o cornerback Corey Ballentine, da Washburn University, segue hospitalizado depois de ser baleado nos glúteos, segundo a universidade. Espera-se que ele receba alta nos próximos dias.

Dwane Simmons, seu companheiro de time em Washburn e amigo pessoal de Ballentine, foi morto no incidente ocorrido na manhã de domingo.

Ballentine foi selecionado na sexta rodada do draft de 2019 pelos Giants, no último sábado.

– A NFL e a NFL Players Association (NFLPA) revisaram o áudio que uma estação de TV colocou no ar na semana passada em que o wide receiver Tyreek Hill, do Kansas City Chiefs, e sua noiva discutem as lesões no filho do casal. A informação é do jornalista Dan Graziano, da ‘ESPN’ norte-americana.

A NFL historicamente se recusou a usar a lista de isenção do comissário durante a offseason, mas está considerando abrir uma exceção neste caso e pode ‘bloquear’ o atleta já nesta semana, porque Hill está sendo investigado por um suposto crime de agressão contra uma criança.

– Um juiz da Flórida novamente bloqueou nesta segunda a divulgação das imagens de uma câmera de segurança relacionada ao caso envolvendo Robert Kraft, proprietário do New England Patriots, que está sendo investigado em um incidente de solicitação de prostituição.

Joseph Marx, juiz do Condado de Palm Beach, decidiu manter bloqueadas as gravações de vídeo e áudio reunidas como prova no caso contra Kraft e outros 24 homens que, supostamente, estavam pagando por sexo no Orchids of Asia Day Spa, em Jupiter, na Flórida.

– Depois de ser muito criticado por selecionar o quarterback Daniel Jones com a sexta escolha geral do draft de 2019, Dave Gettleman está pedindo paciência. O general manager do New York Giants insiste que ele tomou as decisões corretas e que o futuro vai provar que isso é verdade.

“Em três anos, nós vamos ver quão louco eu sou”, falou Gettleman ao jornalista Peter King, em entrevista publicada na coluna Football Morning in America.

– O draft da NFL registrou números recordes tanto no local da cerimônia quanto na televisão. A liga disse nesta segunda que mais de 600 mil pessoas compareceram ao evento ao longo dos três dias em Nashville, no Tennessee, superando os 250 mil espectadores de dois anos atrás, na Filadélfia.

Já na TV, a Nielsen registrou que o draft teve média de 6,1 milhões de telespectadores ao longo dos três dias, contra 5,5 milhões do ano passado, primeiro ano em que todas as sete rodadas do processo de seleção de jovens jogadores foram transmitidas na TV.

– As expectativas para o Cleveland Browns antes da temporada 2019 são altas, mas uma casa de apostas em Las Vegas não coloca o time entre os favoritos sequer a avançar aos playoffs neste próximo campeonato.

O SuperBook at the Westgate Las Vegas abriu as odds (cotações) de todos os 32 times para irem (ou não) à pós-temporada e os Browns estão como favoritos para ficarem de fora da fase decisiva da disputa.

– A NFL e o Twitter anunciaram uma extensão de vários anos da parceria entre a liga e a rede social. O novo acordo inclui seis novos programas ao vivo para a temporada de número 100 da história da National Football League. Desde que as duas partes anunciaram o primeiro acordo de parceria, em 2013, a NFL desenvolveu programação ao vivo e distribuiu conteúdo sob demanda para o Twitter.

Comments
To Top