NFL

No Huddle – John Elway presta tributo ao ‘mentor’ Pat Bowlen

Pat Bowlen, proprietário do Denver Broncos, morre aos 75 anos de idade

No Huddle – O boletim de notícias de NFL do Quinto Quarto

– John Elway, ex-quarterback do Denver Broncos e atual executivo da franquia do Colorado, recebeu um voto de confiança por parte de Pat Bowlen em sua época de jogador. E, depois da morte do proprietário dos Broncos na noite da última quinta, aos 75 anos de idade, Elway prestou tributo ao amigo e mentor nesta sexta-feira (14).

“Pat me deu tanto e ele era alguém que eu sempre procurava. Ele deu a este time tudo o que precisávamos para sermos os melhores e competir por títulos, e o foco foi sempre no futebol americano. Isso é tudo que você pode pedir em um dono – mas ele fez mais. Ele era um tremendo mentor para mim e um tremendo amigo. Pat era um ótimo ouvinte, sempre perguntando o que estava acontecendo, e aprendi muito ao observá-lo. Ele era um líder fantástico. As coisas estivessem indo bem ou não, ele sempre deixava você saber o que precisávamos para melhorar”, falou Elway. “Ele fez um ótimo trabalho de aplicar pressão nos momentos certos, mas sempre confiou em seu pessoal do futebol americano para tomar as decisões corretas. Além de sua família, nada significava mais para Pat do que garantir que o Denver Broncos fosse bem-sucedido. O que ele fez por este time, esta cidade e toda a NFL nunca será igualado. Seu espaço nunca será preenchido”, prosseguiu.

“Eu vou sentir muita falta de Pat e sempre vou valorizar os momentos que tivemos juntos. Continuaremos a cuidar de seu time como se ele estivesse aqui hoje. Minhas mais profundas condolências vão para Annabel e toda a família Bowlen”, finalizou.

– Toda a NFL lamentou a morte de Pat Bowlen, inclusive o comissário Roger Goodell. O mandatário da liga rasgou elogios ao lendário proprietário do Denver Broncos em um comunicado emitido nesta sexta.

“Pat era movido pela vontade de ter sucesso e seu espírito competitivo fez dele um grande líder. Todos sentiremos muita falta dele e de sua gentileza, paixão e sabedoria”, falou Goodell, em nota oficial. “Pat tinha um profundo amor pelo futebol americano, pelos Broncos e pela cidade de Denver. Nos 35 anos em que ele foi dono dos Broncos, ele ajudou o time a ter 21 temporadas vitoriosas e sete aparições no Super Bowl, incluindo três títulos. Nossa liga também é melhor por causa das extraordinárias contribuições de Pat. Como copresidente do Comitê Executivo do Conselho de Administração da NFL e presidente do Comitê de Transmissão da NFL, Pat desempenhou um papel fundamental em muitas facetas da nossa liga que beneficiaram torcedores, jogadores e clubes”, frisou o comissário.

– O Houston Texans anunciou nesta sexta que não está mais atrás de Nick Caserio, executivo do New England Patriots, para sua vaga de general manager. Isso se dá depois de os Pats moverem acusações de aliciamento contra a franquia texana.

“Quando iniciamos o processo para entrevistar Nick Caserio para nossa posição de vice-presidente executivo/GM, consultamos o escritório da liga em várias ocasiões, seguimos os procedimentos descritos nas regras da liga e acreditamos que estávamos em plena conformidade. Nós agora tomamos conhecimento de certos termos do contrato de Nick com os Patriots. Assim que estivemos cientes desses termos do contrato, eu informei ao Sr. (Bob) Kraft que nós íamos parar de correr atrás de Nick”, disse Cal McNair, CEO e presidente dos Texans, em nota oficial.

Pouco depois, em nome de Kraft, os Patriots emitiram um breve comunicado: “o Houston Texans e o New England Patriots sempre tiveram uma grande relação de trabalho. Apreciamos o modo como Cal McNair lidou com esta situação”.

– Jay Gruden, técnico do Washington Redskins, deixou claro que o calouro Dwayne Haskins provou durante os treinamentos de offseason que tem potencial para brigar pela vaga de quarterback titular logo em sua primeira temporada na NFL.

“Ah, com certeza”, falou o head coach, segundo a ‘ESPN’ norte-americana, referindo-se a dar uma chance a Haskins de conquistar a vaga de titular para a semana 1 da temporada regular. “Eu seria bobo de não deixar. Ele colocou o suficiente nas gravações para dizer que merece uma chance, sem dúvidas. Eu não sei bem o que ele pode fazer na NFL neste sistema, porque é novo para ele, mas sua habilidade garante o fato de que, ei, vamos dar uma olhada neste grande filho da p***”, brincou Gruden.

– Os promotores da Califórnia vão julgar novamente Kellen Winslow II, ex-jogador da NFL, em relação às oito acusações que foram deixadas como abertas pelo júri que condenou o ex-atleta por estupro.

A promotoria anunciou sua decisão nesta sexta, no Tribunal Superior do Condado de San Diego, em Vista. O novo julgamento está marcado para começar no dia 30 de setembro. Atualmente com 35 anos de idade, Winslow foi considerado culpado na última segunda (10) de estuprar uma moradora de rua de 58 anos de idade e de duas acusações de conduta obscena envolvendo outras duas mulheres.

– Na última quinta, o jornalista Michael Silver, da ‘NFL Network’, apurou que vários jogadores do Cleveland Browns abordaram Baker Mayfield no vestiário para expressar seu descontentamento em relação aos comentários feitos contra o running back Duke Johnson. Mas, ao que parece, o problema não será carregado até o training camp, no final de julho.

Falando durante seu camp de futebol americano para jovens, na sexta, o wide receiver Jarvis Landry se referiu à situação como um “não-problema”, segundo vários repórteres presentes no local. E o wideout também observou que ele não espera que Mayfield e Johnson tenham problemas trabalhando juntos.

A confusão começou durante o minicamp dos Browns na semana passada, quando Johnson reiterou seu desejo de ser trocado. Mayfield sugeriu que a situação de Johnson foi “auto-infligida” e disse: “ou você está neste trem ou não está, está se movendo”.

– Jalen Ramsey pareceu tranquilo com a ideia de que o Jacksonville Jaguars não vai renegociar seu contrato com dois anos remanescentes. Mas, em um chat no Instagram Live com seu companheiro de equipe, o running back Leonard Fournette, Ramsey notou que ele não vai dar nenhum desconto aos Jags em um futuro acordo.

“No ano que vem, especialmente depois de eu mostrar meu jogo, eles virão até mim. ‘Ei, você sabe que queremos conversar com você…’ (assobios). Esse número será tão cruel. Esse número será tão cruel, eles só vão olhar (olhos arregalados). Eles vão dizer ‘oh, Deus, não podemos ter um desconto? 20% off?’. Não (balançando a cabeça). Eu vou dizer a eles que no ano passado eles poderiam ter conseguido esse desconto. Este ano? Não (balança a cabeça rapidamente). Eu preciso de tudo isso”, falou.

– Agora sem Antonio Brown e Le’Veon Bell na franquia, vários jogadores do Pittsburgh Steelers deram declarações sobre como o entrosamento do time e o clima melhorou. O técnico Mike Tomlin, contudo, foi cauteloso e disse que ainda é muito cedo para falar sobre o estado da equipe.

“Você não pode julgar entrosamento ou cultura até se deparar com a adversidade. Nesta época do ano, todos os 32 times estão invictos e não marcaram pontos. Houve algum bom ensino e aprendizado. A jornada em si é o indicador disso, algumas das adversidades que a jornada proporciona. Obviamente, quando você está em um ambiente de treinamento, e é altamente competitivo e fisicamente e mentalmente desafiador, essa será a primeira adversidade real que o time vê”, frisou Tomlin, segundo o ‘Pittsburgh Post-Gazette’.

– O cornerback Darius Slay, do Detroit Lions, não participou do minicamp obrigatório do time, em meio ao seu desejo por um novo contrato, e ele deixou em aberto a chance de continuar a boicotar as atividades no training camp, no final de julho. “Eu estarei lá? Vamos ver. O tempo vai dizer”, disse Slay, segundo o ‘Detroit Free Press’.

Comments
To Top