NFL

No Huddle – Jay-Z defende parceria da Roc Nation com a NFL

Jay-Z, rapper

No Huddle – O boletim de notícias de NFL do Quinto Quarto

– Shawn Carter, mais conhecido como Jay-Z, falou nesta quarta-feira (14) sobre o acordo selado entre a Roc Nation, sua empresa de entretenimento, e a National Football League e abordou inclusive a questão de Colin Kaepernick.

Tanto Jay-Z quanto Roger Goodell, comissário da liga, tiveram que encarar diversas perguntas sobre Kaepernick, que se tornou uma figura polarizadora desde que protestou contra as desigualdades sociais e raciais nos EUA. O ex-quarterback do San Francisco 49ers está sem emprego na NFL desde o final da temporada 2016 e Jay-Z, um dos grandes apoiadores do atleta, teve que dar explicações sobre a parceria.

O rapper e empresário afirmou que, através da música e do entretenimento, ele pode ajudar a amplificar o programa Inspire Change, promovido pela NFL em prol da justiça social.

“Nós esquecemos que a questão toda de Colin era chamar a atenção para a injustiça sócia. Neste caso, isso é um sucesso. Esta é a próxima fase. Há duas partes de protestos. Você sai e protesta, e então a empresa ou o indivíduo diz: ‘eu ouço você. O que faremos na sequência?’”, frisou Carter. “Para mim é como ação, (um) item acionável, o que vamos fazer com ele? Todos ouviram, ouvimos o que você está dizendo, e todo mundo sabe que eu concordo com o que você está dizendo (a mensagem de Kaepernick). Então, o que vamos fazer? Sabe o que estou dizendo? (Ajudar) milhões e milhões de pessoas, ou ficamos presos em Colin não ter um emprego?”, pontuou.

– Após três semanas de training camp do Kansas City Chiefs, o tight end Travis Kelce não escondeu que está maravilhado com as perspectivas que a combinação entre os velozes wide receivers do time e o quarterback Patrick Mahomes trazem ao ataque da equipe para 2019.

“Qualquer coisa que quisermos fazer”, falou Kelce, ao ser questionado sobre o que a velocidade dos quatro principais WRs dos Chiefs (Tyreek Hill, Sammy Watkins, Demarcus Robinson e o calouro Mecole Hardman) podem permitir que o time faça. “Podem escolher. Nós temos 4.2, 4.3, talvez 4.1. Eu não sei o quanto Tyreek corre agora. Quem sabe? Nós temos caras que podem voar por todo o campo. A velocidade mata neste esporte. Se você tem isso, você está em vantagem. Nós estamos elevando o nível dos anos anteriores. Você pode dizer, da empolgação dos treinadores à atenção aos detalhes e de como os caras estão reagindo ao treinamento deles. Esse time vai ser incrível. Vamos nos divertir muito no lado ofensivo da bola”, completou.

– O wide receiver Kenny Stills, do Miami Dolphins, disse que ele e Stephen Ross, proprietário da franquia, se reuniram e “concordaram em discordar” depois de uma polêmica envolvendo um evento para arrecadação de fundos para o presidente Donald Trump.

Stills disse ao ‘Palm Beach Post’ na terça que ele e Ross conversaram por telefone para conversarem sobre os comentários públicos do WR de que o dono dos Dolphins não podia alegar que luta pela igualdade e contra o racisco, e, ao mesmo tempo, apoiar Trump.

“Não há muito o que discutir. Ele tem sentimentos sobre isso e se mantém firme nisso, e eu respeito isso. Mas eu discordo e disse a ele que não há ressentimentos. Não há nenhuma mágoa e vamos ganhar alguns jogos esse ano”, afirmou o atleta.

– O New York Giants passou por uma enorme mudança nesta offseason e viu talentos como Odell Beckham, Olivier Vernon e Landon Collins saírem da equipe. E John Mara, coproprietário da franquia nova-iorquina, admitiu nesta semana que, como seu time não estava vencendo com esses atletas, uma grande mudança era necessária.

“Você não gosta de ver todo esse talento saindo pela porta. Mas vamos encarar isso, tivemos uma temporada vencedora, em 2016, aqui e os outros cinco ou seis anos não foram tão bons desde que vencemos aquele nosso último Super Bowl. Então, precisávamos de algumas mudanças drásticas”, frisou Mara, segundo Tom Rock, do ‘Newsday’.

– O tempo passa, o tempo voa, e nada de o Dallas Cowboys acertar as extensões de contrato com o quarterback Dak Prescott, o running back Ezekiel Elliott e o wide receiver Amari Cooper. Mas Jerry Jones, proprietário da franquia texana, pediu paciência aos torcedores e fez uma analogia muito boa (porém macabra) para mostrar seu ponto de vista.

“Imagine se você fosse o motorista de um carro, e sofreu um acidente e sua mão foi quase decepada, mas você não entendeu sua anatomia. Você olha para baixo, está jorrando sangue, você abre a porta e corre para o meio do mato e ou sangra até a morte ou morre de choque. O homem educado olha para baixo, conhece sua anatomia, aperta e sabe que sua melhor chance é esperar por ajuda. Isso é porque ele conhece muito isso e já fez. Então, eu estou apertando e esperando por ajuda. Essa é a minha lição para hoje”, falou Jones, segundo o site oficial dos Cowboys.

– O quarterback Baker Mayfield, astro do Cleveland Browns, sabe que seu time terá que lidar com as altas expectativas geradas para esse ano. E, em entrevista ao ‘Complex Sports’, o signal caller observou como a equipe terá que lidar com isso e que sabe todos esperam que eles percam.

“Eu diria que o burburinho não importa. As expectativas para nós dentro do vestiário no ano passado foram maiores do que o que realizamos. Fora do vestiário, as pessoas nos jogavam no lixo antes da temporada. Eles não esperaram muito de nós só porque, no ano anterior, os Browns foram 0-16. Então, sabe, você só pode melhorar a partir daí. E eu acho que, agora, precisamos ter a mesma mentalidade. Fica dentro do vestiário”, pontuou. “Você tem que acreditar e levar uma semana de cada vez. Porque eu não diria que todos querem nos vencer. Eu acho que, na imprensa e tudo o que vem junto com o hype em torno do nosso time agora, as pessoas querem nos ver perder, apenas porque esse hype é tão real. Mas temos que ir lá e levar uma semana por vez. Estamos tentando ganhar a cada semana”, finalizou Mayfield.

– O defensive end reserva Bryan Cox Jr., do Carolina Panthers, foi citado nesta quarta por posse de maconha e por dirigir em alta velocidade durante a volta de sua participação no training camp do time, em Spartanburg, na Carolina do Sul.

“O clube está ciente de que Bryan Cox Jr. foi fichado pela polícia hoje. Estamos no processo de busca de informações e estivemos em contato com a NFL e Bryan. Não teremos mais comentários neste momento”, falou um porta-voz dos Panthers, em nota emitida pela franquia.

Comments
To Top