NFL

No Huddle – Jalen Ramsey não pretende fazer boicote no L.A. Rams

Jalen Ramsey, cornerback do Los Angeles Rams

No Huddle – O boletim de notícias de NFL do Quinto Quarto

– Jalen Ramsey está entrando no ano final de seu contrato de calouro e aguarda ansioso pelo seu primeiro acordo polpudo na National Football League. Mas o cornerback do Los Angeles Rams, trocado pelo Jacksonville Jaguars no ano passado, não está preocupado com as negociações e indicou aos jornalistas nesta terça (26) que ele não planeja boicotar os treinos da franquia californiana se um acordo não for finalizado neste meio de ano.

“Os Rams sabem onde eu estou e isso é tudo o que importa no final das contas. Isso será tratado. Eles entraram em contato com meu agente. Eles estão em sintonia. Eles sabem o que se passa. Eu sei o que se passa. Eu vou deixá-los lidar com isso. Não posso me preocupar com isso. Eu posso controlar o que posso controlar. Todo mundo sabia que tipo de situação seria quando eles trocaram para me adquirir. Não é preciso falar muito sobre isso. Isso será tratado. Vou deixar então lidar com o lado dos negócios. Vou me concentrar no futebol americano”, afirmou Ramsey, segundo Steve Wyche, da ‘NFL Network’.

Trocado pelos Jaguars com os Rams no meio da temporada 2019 por duas escolhas de primeira rodada do draft, Ramsey sabe que tem vantagem nas negociações com o time de Los Angeles. Tanto que, por seu discurso, ele deixa transparecer a confiança de que um próximo contrato será selado no momento correto.

Em seu último ano em Jacksonville, Ramsey chegou ao training camp em um carro-forte, deixando claro que queria uma extensão com os Jags. Jacksonville não quis abrir o bolso para o cornerback. E, então, Ramsey forçou sua saída de Duval através de uma troca com o L.A. Rams.

Ramsey deve faturar US$ 13,703 milhões no quinto ano de seu contrato de calouro.

Sendo um dos principais CBs da NFL, o jogador de 26 anos de idade deve estabelecer novos números para a posição. O Miami Dolphins fechou um contrato de cinco anos, com valor de US$ 82,5 milhões (US$ 16,5 milhões por ano) com Byron Jones. E Ramsey pode facilmente aguardar por um contrato próximo dos US$ 20 milhões por ano.

“Há muito diálogo. A expectativa em adquiri-lo é que ele fosse um Ram por um longo tempo. Fomos buscar esse cara com a esperança de que não seja algo de curto prazo”, falou o técnico Sean McVay sobre as conversas entre os Rams e os representantes de Ramsey, segundo Wyche.

– Joe Flacco foi contratado pelo New York Jets na semana passada para ser o reserva de Sam Bradford. E, mesmo sabendo que não estará pronto para o início da temporada regular de 2020, Flacco espera aproveitar a oportunidade ao máximo quando chegar a sua hora.

Ex-QB do Baltimore Ravens e do Denver Broncos, Flacco passou por uma cirurgia no pescoço em abril que vai deixá-lo afastado além do que o próprio jogador se referir como “Dia 1” nesta terça. Apesar disso, os Jets parecem ter ficado confortáveis o suficiente para acertar um contrato de um ano com Flacco na semana passada.

Flacco está focado em sua reabilitação para poder voltar a jogar se necessário. E o veterano chega aos Jets para passar um pouco da sua experiência na NFL ao ainda jovem Sam Darnold, que entra em sua terceira temporada como profissional.

“Quero, antes de tudo, ajudar a equipe de todas as formas possíveis, mas também ser um cara em quem Sam possa se apoiar e com quem (ele) possa aprender. Essas são as duas coisas mais importantes: ajudar os caras da equipe e Sam a fazer tudo o que puderem”, frisou Flacco, segundo o ‘Newsday’.

Para Flacco, é a oportunidade também de tentar resgatar sua carreira na NFL e, quem sabe, voltar a ser titular na reta final de sua carreira. Aos 35 anos de idade, ele ainda não planeja se aposentar em um futuro próximo.

“Para mim, pessoalmente, quero jogar futebol americano. Aconteceu algumas coisas, me machuquei, tive que fazer uma cirurgia. Eu tenho que encontrar meu caminho de volta para a liga. Eu quero jogar nos próximos anos. Eu acho que esses caras me deram uma grande oportunidade e espero que eu possa tirar o máximo proveito, seja qual for a minha situação e meu papel”, ressaltou.

– O mundo segue cheio de incertezas em meio à pandemia do novo coronavírus (COVID-19), mas o otimismo em relação à temporada 2020 da NFL começando em setembro continua dentro da liga. Stephen Ross é um dos integrantes deste grupo de otimistas.

O proprietário do Miami Dolphins acredita que todos verão o futebol americano da NFL em 2020, ainda que ele não seja igual antes na televisão e nos estádios.

“Acho que definitivamente haverá uma temporada de futebol americano este ano. A verdadeira questão é: haverá torcedores nos estádios? Acho que agora, hoje, estamos planejando ter torcedores nos estádios. Mas a NFL está olhando e é muito flexível, para que possamos começar a tempo e realmente trazer o entretenimento que é realmente tão necessário para todos nós neste país”, falou Ross, em aparição na ‘CNBC’. “Eu acho que é uma coisa que sentimos falta dos nossos esportes. Não acho que muitas pessoas percebam isso até que não o tenham mais. Mas certamente a NFL, acho, estará pronta para ir e acho que todos estamos ansiosos por isso. Eu sei que estou. Fizemos muitas coisas aqui em Miami e estamos preparados de qualquer maneira, e espero que haja torcedores nos estádios”, completou.

– Um número crescente de franquias da NFL está reabrindo suas instalações, depois de sete times inicialmente fazerem isso no dia 19 de maio, primeiro dia em que a liga inicialmente permitiu que fosse realizada tais reaberturas.

Nesta terça, o Denver Broncos, o Jacksonville Jaguars, o Green Bay Packers e o Baltimore Ravens foram os times a reabrirem suas unidades.

Os times podem reabrir suas instalações desde que estejam de acordo com os “regulamentos estaduais e locais, estejam em conformidade com requisitos adicionais de saúde pública em sua jurisdição e tenham implementado os protocolos” designados pela NFL para a segurança de todos os funcionários.

No dia 19, Arizona Cardinals, Kansas City Chiefs, Indianapolis Colts, Dallas Cowboys, Atlanta Falcons, Pittsburgh Steelers e Houston Texans iniciaram o processo de reabertura. Um dia depois, o Cincinnati Bengals também se juntou ao grupo.

– Com as instalações do Baltimore Ravens indisponíveis aos jogadores devido à pandemia de coronavírus, o quarterback Lamar Jackson, atual MVP da NFL, está hospedando seus companheiros de equipe do Baltimore Ravens para alguns treinos informais no sul da Flórida na próxima semana.

O wide receiver Miles Boykin disse a repórteres em uma videoconferência que ele vai treinar algumas jogadas com Jackson, com o wide receiver Marquise ‘Hollywood’ Brown e outros no que se acredita ser o maior encontro da equipe nesta offseason.

E enquanto os Ravens anunciaram nesta terça que reabriram suas instalações de treinamento na Fase 1 do processo da NFL, elas ainda estão fechadas para jogadores e treinadores. Como muitas outras equipes, as atividades de treino de offseason de Baltimore já teriam começado agora.

– Em uma notícia péssima para a defesa do New Orleans Saints, o defensive end Noah Spence foi colocado pelo New Orleans Saints na lista de reservas/lesões não-relacionadas ao futebol americano (NFI list) devido a uma ruptura no ligamento cruzado anterior do joelho sofrida enquanto ele treinava por conta própria. A informação foi confirmada por Ian Rapoport, da ‘NFL Network’.

Os Saints preencheram a vaga que ficou aberta no elenco contratando o linebacker Anthony Chickillo, ex-Pittsburgh Steelers, de acordo com Rapoport.

Spence sofreu a lesão enquanto se preparava para o training camp dentro de suas próprias instalações, pois os times seguem sem poder se reunir para trabalhar em campo devido à pandemia do COVID-19.

Aos 26 anos de idade, Spence está vendo sua temporada 2020 terminar antes mesmo de começar.

– Parris Campbell não teve um bom ano de calouro na NFL em 2019, disputando apenas sete jogos. O wide receiver originário da Universidade de Ohio State fez apenas 18 recepções para 127 jardas e um touchdown com a camisa do Indianapolis Colts.

Apesar dos números modestos, o técnico Frank Reich está ansioso para ver o que o jovem wideout poderá fazer em 2020.

“Estou super entusiasmado com Parris e onde está seu potencial. Não conseguimos vê-lo o suficiente (no ano passado). Ele se machucou muito. Tenho orgulho da maneira como Parris tem lidado com offseason. Ele está fazendo todo o possível. Ele está trabalhando duro. Fico muito em contato com ele, com os treinadores e o que ele está fazendo e vendo todo o processo se desenrolar. Ele é realmente determinado”, falou o head coach dos Colts, segundo a rádio ‘107.5 The Fan’. “Ele ainda precisa fazer as coisas do seu jeito e se manter saudável. Ele também perdeu muito tempo de treino. Não foi só que ele perdeu jogos. Ele perdeu muito tempo de treino. Ele perdeu a maior parte do (programa de offseason de 2019). Já estivemos com ele o suficiente, vejo coisas em Parris, vejo boas habilidades de wide receiver”, completou Reich.

– A offseason de 2020 da NFL tem sido a mais incomum devido à pandemia do COVID-19. Assim, alguns times que estão adotando a continuidade no elenco e na comissão técnica levam vantagem na preparação para a temporada 2020.

E, na divisão NFC East, apenas uma franquia segue com a mesma comissão técnica: o Philadelphia Eagles. O Dallas Cowboys trouxe o head coach Mike McCarthy, o New York Giants contratou Joe Judge e o Washington Redskins acertou com Ron Rivera.

Enquanto isso, Doug Pederson segue como o comandante principal dos Eagles. E o pass rusher Brandon Graham vê isso como uma grande vantagem para o time da Filadélfia.

“Estou totalmente com isso. É tudo uma questão de ter uma vantagem e sinto que temos uma vantagem agora. Temos o mesmo técnico. Tudo o que temos a fazer é garantir que aproveitemos essa offseason como devemos”, afirmou Graham, segundo o site oficial dos Eagles.

Comments
To Top