NFL

No Huddle – Gerald McCoy afirma: “estarei jogando em algum lugar”

Gerald McCoy, defensive tackle do Tampa Bay Buccaneers

No Huddle – O boletim de notícias de NFL do Quinto Quarto

– A offseason está passando e o futuro de Gerald McCoy com o Tampa Bay Buccaneers segue sendo, em grande parte, uma incógnita. O defensive tackle veterano vem se mantendo afastado dos treinos voluntários de offseason do time e, enquanto isso, vem circulando rumores de que ele é um candidato a ser trocado ou cortado.

Neste final de semana, McCoy prometeu que estará no campo de treinamento em algum momento, mas não assegurou que será com a camisa dos Bucs.

“Eu estarei jogando futebol americano em algum lugar”, falou McCoy ao jornalista Mike Cairns, do ‘Spectrum Bay News’, na noite deste sábado.

Questionado se vai seguir em Tampa, McCoy acrescentou: “eu não sei. Vamos ver. (…) Os torcedores sabem que eu os amo. Estarei em campo em algum momento”.

Atualmente com 31 anos de idade, McCoy tem três anos remanescentes em seu contrato com os Bucs e ainda precisa receber US$ 39 milhões. Entretanto, ele não pesaria nada em termos de ‘dinheiro morto’ caso a franquia opte por cortá-lo.

– Jay Gruden, técnico do Washington Redskins, gostou do que viu em seus primeiros trabalhos com o quarterback calouro Dwayne Haskins, selecionado pelo time na primeira rodada do draft de 2019.

“Estamos no patamar mínimo agora, mas estou muito impressionado com o seu conjunto de habilidades, com certeza. Ele realmente pode lançar”, disse o head coach à imprensa neste sábado, depois do segundo dia do minicamp de calouros dos Redskins. “Ele é simplesmente um cara grande, sólido. É uma grande presença lá e a bola simplesmente sai voando de sua mão. Ele também tem a capacidade de acelerar e tem ótimo toque, também, para algumas das bolas curtas. Ele mostrou que pode fazer, neste curto período de tempo, todos os lançamentos… ele meio que mostrou de tudo um pouco nestes dois dias”, frisou.

– Pelo menos no futuro próximo, Joe Flacco não precisará se preocupar com seu posto de titular no Denver Broncos. Adquirido pela franquia do Colorado em uma troca com o Baltimroe Ravens nesta offseason, Flacco viu os Broncos selecionarem o quarterback Drew Lock na segunda rodada do draft de 2019.

Mas o técnico Vig Fangio disse à imprensa neste domingo que Flacco não vai perder seu posto de titular na offseason e que a única disputa de QBs na organização por enquanto será pela vaga de reserva.

“Joe (Flacco) vai receber todas as repetições no primeiro time”, falou o técnico, que está em seu primeiro ano no cargo, ao ser questionado como as repetições dos QBs vão ser divididas durante as OTAs (organized team activities). “Então, temos uma competição aberta depois disso e vamos jogar aleatoriamente com os dois e três quando fizermos nossas repetições”, completou.

– O técnico Brian Flores, do Miami Dolphins, deixou claro que a competição entre Josh Rosen e Ryan Fitzpatrick pela vaga de quarterback titular do time para 2019 está oficialmente aberta.

“Quanto à posição de quarterback, como qualquer outra posição, haverá uma competição lá. Nessa posição, buscamos liderança, buscamos, obviamente, precisão, estamos buscando alguém que, na maior parte do tempo, possa liderar o time. E montar campanhas de sucesso e nos colocar em boa posição no jogo terrestre e no jogo de passe, do ponto de vista da proteção. Então, há muita coisa acontecendo, é uma posição de liderança e haverá alguma competição nessa posição, com certeza”, frisou o head coach, em teleconferência.

– O linebacker Telvin Smith, do Jacksonville Jaguars, não está feliz com a maneira como algumas pessoas reagiram à sua decisão de se afastar do futebol americano na temporada 2019 da NFL. Smith publicou um story no Instagram neste sábado no qual falou que está irritado com as críticas e lembrou às pessoas que há mais coisas na vida além do esporte.

“Por que é tão louco eu querer me afastar do esporte? Vocês todos relaxem. Tudo é sólido, sabe? Parem de enlouquecer. Está ficando ruim. Sabem o que quero dizer? Futebol americano não é tudo. É melhor vocês todos acordarem para a vida”, falou o defensor.

– Agora com o tight end Jared Cook em seu elenco, o New Orleans Saints pretende utilizar as jogadas que usava na época de Jimmy Graham para tirar melhor proveito de sua nova arma ofensiva.

“A base já está aqui, a base para isso já está aqui porque já tivemos um cara como (Graham)”, falou Dan Campbell, treinador de tight ends dos Saints, segundo o ‘The Times-Picayune’. “Nós vamos fazer o que (Cook) faz de melhor, vamos usar aquelas jogadas, mas vamos ver tudo o que ele pode fazer. Vamos testá-lo”, completou.

Jimmy Graham foi trocado com o Seattle Seahawks em 2015, depois de ter uma média de quase 1.100 jardas recebidas por temporada em seus últimos quatro anos em Nova Orleans. Nenhum outro TE dos Saints chegou perto dessa produtividade desde então.

Comments
To Top