NFL

No Huddle – Geno Smith acerta novo contrato com Seahawks

Geno Smith, quarterback do Seattle Seahawks

No Huddle – O boletim de notícias de NFL do Quinto Quarto

– O quarterback Geno Smith vai continuar no Seattle Seahawks. Ele acertou um novo contrato de um ano com a franquia do estado de Washington, segundo Ian Rapoport, da ‘NFL Network’.

Smith passou a temporada 2019 com a camisa dos Seahawks, ainda que não tenha disputado um jogo sequer na temporada regular.

O QB tem rodado a NFL desde que sua passagem de quatro anos pelo New York Jets terminou em 2017. Ele passou por New York Giants e Los Angeles Chargers antes de se mudar para Seattle.

Na última vez em que entrou em um jogo, em 2018, ele acertou um passe de quatro lançados para oito jardas. Ele chegou a ser titular em um jogo dos Giants em 2017, temporada na qual ele completou 21 passes de 36 para 212 jardas e um touchdown em duas partidas.

Selecionado pelos Jets na segunda rodada do draft de 2013, com a 39ª escolha geral, Geno não engrenou na liga, mas ao menos vem se mantendo como um QB viável, nem que seja como um reserva.

– Apesar de estar no radar do New York Jets, o cornerback Logan Ryan segue disponível no mercado, depois de anunciar que não retornaria ao Tennessee Titans para 2020.

Na última terça, Mike Garafolo, da ‘NFL Network’, apurou que os Jets estão interessados em Ryan. E, nesta quinta, o defensive back participou do programa Good Morning Football, também da ‘NFL Network’, apenas para anunciar que segue disponível na free agency e está aberto às ofertas.

“Os Jets, faz muito sentido. Eu sou da região, fui para Rutgers, a 20 minutos de lá. Então, eu estou familiarizado com Nova Jersey, sou de colarinho azul, foi assim que eu cresci. Saí de Rutgers na terceira rodada para New England (Patriots) e tive que fazer o meu trabalho e continuo fazendo isso. Isso faria sentido, com certeza”, falou Ryan. “Mas, como eu disse, estou tentando o melhor para minha família e tudo mais. Obviamente, existem muitos rumores por aí. Não posso confirmar nada porque obviamente ainda não assinei. Veremos. Obviamente, quero fazer um acordo quando quer que seja, e estou aberto a isso. Então, vamos ver o que acontece lá. Mas também estou aberto a praticamente 30 outras franquias, exceto os Titans. Estou completamente aberto para negócios”, completou.

– O novo uniforme do Los Angeles Rams gerou opiniões positivas e negativas na internet. E Eric Dickerson, ex-running back da NFL e um dos maiores ídolos da história dos Rams, detonou o novo visual da equipe durante uma entrevista de rádio concedida à ‘AM 570 LA Sports’.

Dickerson, que estabeleceu um recorde de jardas corridas em uma temporada da NFL, com 2.105 jardas em 1984, já havia criticado o novo logotipo da organização. Agora, foi a vez dos uniformes.

Entre seus comentários, ele disse que os chifres no capacete parecem “duas bananas” e que as mudanças fazem a equipe parecer “suave”.

“Isso é futebol americano. Isso não tem nada a ver com surfe. Isso não tem nada a ver com ondas. Isso é futebol americano. Isso é esporte de homem”, falou Dickerson. “E para mim, parece suave. Não parece futebol americano. Não parece durão”, frisou.

– James Harrison, ex-astro do Pittsburgh Steelers, disse que o técnico lhe entregou um envelope após a forte pancada dada pelo linebacker no wide receiver Mohamed Massaquoi, do Cleveland Browns, em 2010.

“A melhor coisa que Mike Tomlin já fez, ele me entregou um envelope depois daquilo. Eu não vou dizer o quê, mas ele entregou um envelope depois daquilo”, falou Harrison no podcast Going Deep, do ‘Barstool’.

Na época, Harrison foi multado em US$ 75 mil pela pancada, sendo esta a maior multa que ele tomou, segundo ele mesmo. Massaquoi sofreu uma concussão como resultado da pancada de capacete contra capacete, que não foi marcada como falta na ocasião.

“Escute, por tudo que eu amo, no túmulo do meu pai, eu bati naquele homem com cerca de 50% do que eu podia, e eu apenas bati nele porque queria que ele soltasse a bola”, falou Harrison. “Se eu soubesse que eles me multariam em 75.000 dólares, eu teria tentado matá-lo”, afirmou o ex-linebacker

A multa de Harrison foi tão alta porque ele foi considerado um reincidente em tal tipo de violação.

A NFL se recusou a comentar e o Steelers não responderam imediatamente a um pedido de comentário.

– O técnico Doug Pederson, do Philadelphia Eagles, tinha consciência de que seu time precisava de uma mudança no ataque depois de uma temporada 2019 frustrante. E ele espera que, em 2020, isso fique bem evidente.

Pederson demitiu o coordenador ofensivo Mike Groh após a eliminação dos Eagles nos playoffs passados. E, agora, o head coach espera que seu ataque seja mais parecido com o dos melhores times ofensivos da liga.

“Eu acho que o que fizemos como equipe na offseason com a nossa avaliação do esquema, melhorando as coisas, as contratações para o staff que eu fiz para trazer novos pensamentos e novas ideias e maneiras de melhorar nosso ataque, eu acho (que o ataque) vai parecer um pouco diferente”, falou Pederson, segundo o ‘Philadelphia Inquirer’.

– O Atlanta Falcons contratou o running back Todd Gurley, ex-Los Angeles Rams, na free agency deste ano. E o jogador vem de L.A. com um histórico de problemas físicos, mais precisamente falando no joelho.

E Dirk Koetter, coordenador ofensivo dos Falcons, admitiu que o status do ex-MVP da NFL é uma incógnita atualmente.

“A principal questão é que ninguém parece saber: qual é o seu estado de saúde? Qual é a carga de trabalho dele? Ele teve em média cerca de 17 toques em um jogo no ano passado, o que é um pouco menor do que quando ele foi All-Pro. Só precisamos descobrir isso quando chegarmos aqui e fazê-lo trabalhar. Colocá-lo em funcionamento”, frisou Koetter, segundo o ‘Atlanta Journal-Constitution’.

– Marqise Lee, novo wide receiver do New England Patriots, disputou apenas seis jogos nas últimas duas temporadas com a camisa do Jacksonville Jaguars. Ele perdeu toda a temporada 2018 e disputou apenas seis jogos (um como titular) pelos Jags em 2019.

Depois de ser dispensado pela franquia da Flórida, de uma maneira um tanto quanto surpreendente, ele está ansioso para voltar aos gramados e ressurgir na liga.

“Tem sido bastante difícil com a lesão no joelho e voltar com a lesão no ombro. Tem sido difícil, mas foi uma tarefa em que gostei no sentido de ter me conhecido. Após essas certas lesões, você tem algumas pessoas que ficam para baixo consigo mesmas e tendem a querer se afastar. Para mim, é como um fator de motivação. Eu só quero ver onde estou neste momento. Será bom chegar lá e jogar futebol americano, o que sinto que não joguei nos últimos dois anos. Eu só estou pronto para chegar lá”, frisou Lee, segundo o site oficial dos Patriots.

– O Green Bay Packers tem US$ 385 milhões em seu fundo de reserva e, dependendo do que acontecer com a temporada da NFL em 2020, eles podem ter que utilizá-lo.

Os Packers, que não têm um único proprietário com grande poderio financeiro, há muito tempo estabeleceram uma conta de poupança especificamente para garantir que a equipe pudesse cobrir as despesas por um ano, caso a receita da liga e local secassem.

Em uma carta enviada aos acionistas da equipe nesta quinta-feira (14), o presidente dos Packers, Mark Murphy, disse que espera que a temporada da NFL comece no tempo certo “com estádios cheios, mas também estamos planejando uma série de contingências e examinando as implicações financeiras”.

Comments
To Top