NFL

No Huddle – Ezekiel Elliott está “se sentindo bem” após pegar COVID-19

Ezekiel Elliott, running back do Dallas Cowboys

No Huddle – O boletim de notícias de NFL do Quinto Quarto

– O running back Ezekiel Elliott, do Dallas Cowboys, que foi diagnosticado com o novo coronavírus há 10 dias, disse nesta quarta-feira (24) que voltou a se sentir “normal”, mas ainda não foi liberado pelos médicos para voltar a treinar.

Falando em uma transmissão no Twitch, o atleta revelou que teve falta de ar e tosse por alguns dias.

“Agora, eu diria que estou me sentindo bem”, afirmou.

Elliott disse acreditar que, se fosse testado novamente, o resultado seria negativo. No entanto, ele disse que decidiu esperar mais alguns dias.

Três vezes selecionado ao Pro Bowl em sua carreira, ele foi talvez o jogador mais famoso da NFL a revelar que foi diagnosticado com COVID-19. Em relação aos casos positivos de testes contra o vírus, o jogador de 24 anos disse estar preocupado com a segurança dos jogadores, com a NFL se preparando para retornar aos training camps, em julho, em meio à pandemia.

“Sinto que há muitas partes móveis que precisam ser descobertas. Eu simplesmente não sei como eles podem manter os jogadores (saudáveis). Você precisa colocar a saúde dos jogadores em primeiro lugar”, frisou. “E não é tanto, eu diria, a saúde dos jogadores – porque eu peguei corona, e isso realmente não me afetou muito. Mas muitas pessoas têm filhos – eles podem ter filhos com asma; eles podem ter bebês recém-nascidos; seus pais ou avós podem morar com eles. (…) Temos que encontrar maneiras de garantir que os jogadores e suas famílias – e os treinadores também e suas famílias – não sejam colocados em risco”, pontuou Elliott.

– O quarterback Ben Roethlisberger, do Pittsburgh Steelers, admitiu ter dependência de álcool e pornografia e como sua fé cristã o ajudou a lidar com eles. O veterano fez as revelações durante uma conferência virtual do ManUp Pittsburgh para homens cristãos, no último sábado, segundo uma reportagem da ‘ESPN’ norte-americana.

Nem sempre é fácil. As pessoas não percebem o tempo todo que nós atletas, somos humanos. Nós pecamos como todo mundo. Eu não sou diferente. Nós cometemos erros. Ficamos viciados em coisas. Nós pecamos. Nós somos humanos. Acho que às vezes nos colocamos nesse pedestal onde não podemos errar. Eu caí tão baixo quanto qualquer um. Eu fui viciado em álcool. Fui viciado em pornografia, o que me torna, então, não o melhor marido, nem o melhor pai, nem o melhor cristão que posso ser”, falou Big Ben a Tunch Ilkin, ex-jogador dos Steelers e um dos promotores do evento. “Mas você precisa se dedicar e entender que pode sair disso por causa da graça de Deus e Dele dizendo: ‘Escute, você é bom o suficiente para mim do jeito que é. Você não precisa ser perfeito’”, frisou.

Depois de perder grande parte da temporada de 2019, Roethlisberger, de 38 anos de idade, está voltando de uma lesão no cotovelo. No sábado, no entanto, Roethlisberger entrou em detalhes em relação à sua jornada religiosa e como ele considera ser cristão como “legal” e que suas esperanças de ser um cristão melhor têm um ônus maior do que suas aspirações no campo.

– Enquanto a liga se aproxima dos training camps, no final de julho, os proprietários das 32 franquias devem se reunir para debater assuntos importantes para a NFL.

O jornalista Ian Rapoport, da ‘NFL Network’, apurou nesta quarta que a NFL sediará uma reunião de videoconferência com os proprietários nesta quinta para abordar uma série de tópicos, incluindo training camp, planejamento da temporada 2020, os programas de justiça social “Inspire Change” e diversidade no local de trabalho.

A reunião é importante em meio a vários desenvolvimentos interessantes que afetam o futuro da National Football League. No começo de junho, a NFL anunciou sua promessa de comprometer US$ 250 milhões em um período de 10 anos em esforços destinados a combater o racismo sistêmico.

No que diz respeito à pandemia em curso do COVID-19, que alterou fundamentalmente a offseason as da liga, o Dr. Anthony Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas, declarou na terça-feira que é “impossível prever” neste momento se a pandemia vai ou não impedir que a temporada seja realizada neste ano.

– Shaq Barrett, líder de sacks na temporada 2019, é um de cinco jogadores na NFL que ainda não assinaram suas propostas de franchise tag. E o pass rusher ainda não sabe quando vai colocar a caneta no papel.

“Ainda está no ar agora, cerca de 50-50. Teremos um pouco mais de informações na sexta-feira”, falou Barrett no programa NFL Total Access, da ‘NFL Network’, ao ser questionado pela jornalista Colleen Wolfe sobre qual era a história por trás do fato de ele ainda não ter assinado o acordo de um ano com o Tampa Bay Buccaneers.

Além do defensor dos Bucs, o wide receiver A.J. Green (Cincinnati Bengals), o defensive lineman Chris Jones (Kansas City Chiefs), o defensive end Yannick Ngakoue (Jacksonville Jaguars) e o safety Justin Simmons (Denver Broncos) ainda não assinaram suas franchise tags.

Barrett somou 19,5 sacks em 2019 e estabeleceu um novo recorde para um jogador de Tampa Bay, ultrapassando a marca de 16,5 estabelecida por Warren Sapp em 2000.

– O Washington Redskins está removendo o nome de George Preston Marshall de seu Ring of Fame no FedEx Field, segundo um porta-voz da equipe, menos de uma semana depois que sua estátua foi removida do antigo estádio do time. Marshall foi o último proprietário da NFL a integrar sua franquia.

Os Redskins também vão removê-lo de seu muro histórico fora do vestiário de suas instalações de treino.

Marshall foi o último proprietário a contratar um jogador afro-americano na liga.

– A pandemia de COVID-19 afetou todo o mundo da National Football League e, ainda mais, os calouros.

Um mês antes de se apresentarem aos training camps de seus respectivos times, mais de 180 jogadores selecionados no Draft NFL 2020 seguem sem assinar seus contratos de calouro. Isso inclui 29 dos 32 atletas selecionados na primeira rodada, segundo Tom Pelissero, da ‘NFL Network’. A informação consta em um memorando da NFL Players Association (NFLPA).

Algumas equipes continuam dizendo aos agentes que estão esperando para realizar exames físicos em suas instalações, que permanecem barradas por causa do COVID-19.

O quarterback Tua Tagovailoa, selecionado pelo Miami Dolphins, foi um dos jogadores de primeira rodada que já colocaram a caneta no papel, além do offensive tackle Austin Jackson, também selecionado pelos Dolphins. O outro é o defensive tackle Derrick Brown, selecionado pelo Carolina Panthers.

O Buffalo Bills, o Indianapolis Colts e o New England Patriots são os únicos três times da NFL a terem selado o contrato com todos os seus selecionados no draft de 2020. Nenhum deles tinha uma escolha de primeira rodada neste ano.

– O running back Adrian Peterson, do Washington Redskins, completou 35 anos de idade em março. Mas se engana quem acha que ele pretende parar de jogar tão cedo. O atleta tem uma estimativa de quanto tempo mais ele pretende mostrar suas habilidades na NFL.

“Cara, por que não mais quatro anos? Por que não?”, disse AP ao ‘TMZ Sports’.

Ele explicou por que ainda quer jogar profissionalmente: “não quero nunca estar em uma posição em que olho para trás e digo: ‘Cara, eu deveria ter jogado mais dois anos’. ‘Eu deveria ter jogado mais um ano’. Eu quero aproveitar. Eu ainda estou buscando um título. Você sabe, eu ainda posso jogar o esporte em alto nível. Por essas razões, e tendo esse amor e paixão pelo jogo, vou continuar mantendo a bola rolando”.

Comments
To Top