NFL

No Huddle – Draft NFL 2020 tem números históricos; confira alguns

NFL Draft 2020

No Huddle – O boletim de notícias de NFL do Quinto Quarto

– O Draft NFL 2020, primeiro virtual em toda a história, obteve marcas históricas. A principal delas de audiência. Ao longo dos três dias, de quinta-feira (23) a sábado (25), houve um recorde de 55 milhões de espectadores espalhados por canais como ‘ABC’, ‘ESPN’, ‘NFL Network’, ‘ESPN Deportes’ e demais plataformas digitais.

O anúncio foi feito pela National Football League neste domingo (26).

Cada dia em separado Draft NFL 2020 teve recordes estabelecidos de audiência, segundo a liga. Uma audiência média de 15,6 milhões de espectadores assistiram a primeira rodada na quinta, um crescimento de 37% em relação a 2019. Então, mais de 8,2 milhões assistiram às rodadas 2 e 3 na sexta, um aumento de 40% em relação ao ano passado. E, no sábado, as rodadas 4 a 7 tiveram uma audiência de mais de 4,2 milhões de espectadores, 32% a mais do que 2019.

Por causa da pandemia de coronavírus, o comissário da NFL Roger Goodell anunciou escolhas de um estúdio em seu porão, com mais de 600 feeds de câmeras nas casas de 85 candidatos em potencial, 32 head coaches e general managers, além de torcedores e técnicos de futebol americano universitário.

E, em outras frentes, o Draft NFL 2020 teve algumas curiosidades e números bem legais:

  • Matt Rhule, novo técnico do Carolina Panthers, ainda não comandou um jogo sequer da NFL, depois de sair do college football e chegar à liga nesta offseason, mas ele fez questão de fazer história. A franquia da Carolina do Norte utilizou todas as suas sete escolhas no Draft NFL 2020 para selecionar jogadores de defesa, recorde na era do draft comum feitas na defesa, segundo o ESPN Stats & Information;

Os Panthers igualaram o Cleveland Browns de 1985 em maior número de escolhas feitas em uma das unidades de um time. Os Browns utilizaram todas as suas picks na época para trazer jogadores de ataque.

  • Uma classe de wide receivers histórica para o Draft NFL 2020 fez mesmo história. Um recorde de 13 wide receivers foram selecionados nas duas primeiras rodadas do processo seletivo deste ano, superando a marca anterior de 12 estabelecida no draft de 2014, que teve grandes nomes como Odell Beckham Jr., Mike Evans, Davante Adams e Jarvis Landry;

Henry Ruggs III (Alabama) foi o primeiro selecionado pelo Las Vegas Raiders, com a 12ª escolha geral. Ainda na primeira rodada, Jerry Jeudy (Alabama, selecionado pelo Denver Broncos na 15ª posição) e CeeDee Lamb (Oklahoma, selecionado pelo Dallas Cowboys com a 17ª escolha) iniciaram o grupo de primeiros selecionados entre WRs.

  • LSU, atual campeão do futebol americano universitário, mandou muito bem também no Draft NFL 2020 e teve 14 selecionados neste ano, empatando o recorde anterior de Ohio State, que também teve 14 draftados em 2004. Vale deixar claro que estes são recordes da era de draft com sete rodadas.

LSU também empatou o recorde de Ohio State em número de selecionados nas três primeiras rodadas, com 10 atletas no total entre quinta e sexta.

– O New England Patriots terminou o Draft NFL 2020 sem um quarterback selecionado. E o técnico Bill Belichick, que viu seu principal astro Tom Brady sair nesta offseason para o Tampa Bay Buccaneers, disse que não foi algo planejado.

“Se acharmos que encontramos a situação certa, certamente vamos draftá-los. Nós os selecionamos em vários anos, vários pontos no draft”, declarou Belichick, segundo o site do time. “Não deu certo nos últimos três dias. Isso não foi planejado. Nós apenas tentamos fazer o melhor que pudemos com o que tivemos neste fim de semana”, frisou o head coach dos Pats.

Os Patriots selecionaram 10 jogadores ao longo do final de semana, incluindo dois tight ends (Devin Asiasi e Dalton Keene), um safety (Kyle Dugger) e um kicker (Justin Rohrwasser).

Sem QB no draft, New England entra na temporada por enquanto com quatro jogadores na posição à disposição Jarrett Stidham, Brian Hoyer e os não-draftados J’Mar Smith (Louisiana Tech) e Brian Lewerke (Michigan State), contratados logo depois do draft.

“Jarrett teve um bom ano no ano passado. Ele melhorou muito. Vamos ver aonde isso o leva”, pontuou Belichick.

– O Green Bay Packers tomou uma decisão surpreendente na primeira rodada do Draft NFL 2020 e selecionou o quarterback Jordan Love, de Utah State, com a 26ª escolha geral.

Isso gerou um certo flashback com a situação do próprio Aaron Rodgers, hoje astro dos Packers, que foi selecionado com a 24ª escolha do draft de 2005, quando Brett Favre ainda era o líder da organização de Wisconsin.

E Favre resolveu analisar a decisão recente dos Packers e disse que não há motivos para grande comoção.

“Olha, ninguém vai substituir Aaron, a menos que Aaron escolha ser substituído”, falou Favre ao ‘TMZ Sports’. “Não há preocupação para ele que ele seja removido. Ele é muito bom jogador”, prosseguiu

Favre ainda disse que acredita que Rodgers oferecerá bastante sabedoria ao jovem Love.

“Você precisa continuar fazendo o que está fazendo. E Aaron e eu assistimos muitos filmes extras juntos, não tive problemas em dar a ele qualquer insight que ele pedisse se eu pudesse, e acho que Aaron vai fazer isso também”, observou.

– Sem surpresa alguma, Joe Burrow foi selecionado com a primeira escolha geral do Draft NFL 2020 pelo Cincinnati Bengals. E o quarterback de LSU não teve que participar de eventos como o NFL Scouting Combine, já que era consenso que ele seria o primeiro escolhido.

E isso deu ao signal caller a chance de seguir com seus treinos específicos para futebol americano. Burrow espera que isso lhe dê uma vantagem na transição do college para a NFL.

“Fazendo o que tenho feito nos últimos meses. Você sabe que o privilégio de fazer o que fizemos na última temporada foi que eu não tive que treinar para uma corrida de 40 jardas, ou um (treino de) 3 cones, um 5-10-5, então eu só estava trabalhando no meu jogo e assistindo filmes e fazendo coisas que realmente se traduzem em jogar na posição de quarterback. Então, eu vou continuar com esse processo”, pontuou Burrow, ao jornalista Ian Rapoport, da ‘NFL Network’, no podcast RapSheet + Friends. “Quando estou na minha situação, não preciso gastar dez horas trabalhando nas minhas largadas para uma corrida de 40 jardas. Eu posso passar essas 10 horas descansando meu corpo, ou cuidando do meu braço, ou jogando mais, assistindo filmes, como você quiser dividir. Mas você sabe, essa foi uma vantagem que eu tenho (na) offseason”, ressaltou.

– Jay Cutler, ex-quarterback da NFL, e Kristin Cavallari, astro de reality show, estão se divorciando após quase uma década juntos. Cavallari fez o anúncio no Instagram neste domingo (26).

“Com muita tristeza, após 10 anos juntos, chegamos a uma conclusão amorosa para se divorciar. Não temos nada além de amor e respeito um pelo outro e somos profundamente gratos pelos anos compartilhados, pelas memórias feitas e pelas crianças das quais temos tanto orgulho”, escreveu Cavallari.

Atualmente com 36 anos de idade, Cutler jogou na NFL por 12 temporadas, incluindo oito no Chicago Bears e três no Denver Broncos. Ele anunciou sua aposentadoria em maio de 2017, mas voltou da aposentadoria mais tarde naquele ano para atuar por mais uma temporada com a camisa do Miami Dolphins.

– O Chicago Bears utilizou o término do Draft NFL 2020 para contratar alguns free agents não-draftados, entre eles o edge rusher Ledarius Mack, da Universidade de Buffalo. Reconheceu algo neste nome? Sim, ele é irmão de Khalil Mack, um dos astros defensivos dos Bears.

“Com o irmão de Khalil, isso é definitivamente algo que estamos ansiosos para. É algo que funcionou para nós. Será único ter dois irmãos no mesmo time”, disse o general manager Ryan Pace, segundo o jornal ‘Chicago Sun-Times’.

– O Seattle Seahawks está dispensando o center Justin Britt e o right guard D.J. Fluker, em meio à reformulação da linha ofensiva da equipe.

Com os cortes, o time libera US$ 12,2 milhões no teto salarial. Eles carregam quase US$ 3,5 milhões de dinheiro ‘morto’ com as saídas de Britt e Fluker.

Comments
To Top