NFL

No Huddle – Diretor médico da NFL não dá prazo para retorno de atividades ao redor da liga

Dr. Allen Sills, diretor médico da NFL

No Huddle – O boletim de notícias de NFL do Quinto Quarto

– A National Football League ainda planeja iniciar a temporada 2020 a tempo e disputar um campeonato completo. Mas a liga reconheça o problema do novo coronavírus (COVID-19) e as infecções que vão atingir funcionários ao redor da NFL.

É por isso que o Dr. Allen Sills, diretor médico da National Football League, se pronunciou sobre o assunto nesta terça-feira (19) e destacou que a utilização de testes e procedimentos de isolamento serão necessários.

“Esperamos plenamente que teremos casos positivos que surjam. Como pensamos que esta doença continuará sendo endêmica na sociedade, não deve surpreender o surgimento de novos casos positivos. Nosso desafio é identificá-los o mais rápido possível e evitar a propagação para outros participantes. Estamos trabalhando muito diligentemente nisso, e teremos alguns planos detalhados posteriormente”, frisou Sills.

Sills foi um entre um grupo de oficiais saudáveis que atualizaram os proprietários de franquias durante uma teleconferência de duas horas de duração realizada em meio ao encontro anual de proprietários da liga.

Posteriormente, o diretor médico observou aos repórteres que a liga está trabalhando juntamente com a NFL Players Association (NFPA), sindicato dos atletas da liga, em necessidades mais imediatas, tais como um protocolo para ajudar os jogadores e treinadores a voltarem às instalações dos times.

A NFL permitiu que os times reabrissem suas instalações a partir desta terça. O Atlanta Falcons foi um dos primeiros times a fazer isso e Rich McKay, presidente da franquia da Geórgia, disse que o time está reabrindo as coisas aos poucos, com cerca de 15 pessoas apenas de volta às instalações em Flowery Branch, segundo Mike Giardi, da ‘NFL Network’.

Além dos Falcons, Arizona Cardinals, Indianapolis Colts, Dallas Cowboys e Pittsburgh Steelers também iniciaram as operações de reabertura de suas instalações.

Segundo as regras da NFL, jogadores e treinadores ainda não podem retornar. E, para o bem do equilíbrio competitivo, isso só poderá ser feito quanto todos os 32 times puderem reabrir suas instalações. “Um por todos e todos por um”, como disse McKay.

Apesar disso, ainda não há um acordo sobre quando a comissão técnica completa poderá voltar a frequentar as instalações de treinos ou se haverá qualquer tipo de atividades em campo antes de a liga encerrar as atividades para suas férias de verão, a partir do dia 26 de junho.

“Não estamos colocando datas no calendário neste momento, porque estou vendo isso como não baseado em datas, mas baseado em ciência e tecnologia”, afirmou Sills. “Sentimos que existem algumas etapas importantes que precisam ocorrer, com relação aos testes, com relação à disponibilidade dos testes, com relação à confiabilidade dos testes, e também com a nossa evolução contínua do entendimento de como gerenciar exposições. Todas essas coisas continuam a evoluir. Quando nós e a associação de jogadores sentirmos que estamos em um ponto de satisfação com essa ciência, estaremos prontos para avançar”, ressaltou.

Sills também deixou claro que a NFL não fará testes enquanto eles forem mais necessários em outros lugares mais importantes, como o sistema de saúde, por exemplo.

“Queremos garantir que não estamos afetando de maneira alguma o fornecimento de testes necessários no sistema de saúde em qualquer um de nossos mercados ou em todo o país. Esse é um forte compromisso de todos nós”, finalizou o diretor médico da liga.

– Os proprietários de franquias da NFL aprovaram nesta terça novas medidas com foco em aumentar a diversidade em contratações de técnicos e membros de diretoria. Contudo, ainda não aprovaram uma resolução que recompensaria contratações de funcionários de grupos minoritários com melhores escolhas no draft.

Apesar disso, mudanças significativas foram aprovadas nesta terça, durante a reunião de proprietários. Entre elas:

  • A Rooney Rule foi expandida (como esperado) para se aplicar a um grande número de posições executivas. Agora, as equipes e o escritório da liga devem entrevistar “minorias e/ou mulheres” para cargos como presidente de equipe e “executivos seniores em comunicação, finanças, recursos humanos, jurídico, operações de futebol americano, vendas, marketing, patrocínio, tecnologia da informação e posições de segurança”.
  • Os times agora deverão entrevistar pelo menos dois candidatos de fora de sua organização para qualquer cargo vago como head coach ou pelo menos um candidato de grupos étnicos minoritários de fora da organização para qualquer vaga em aberto como coordenador ofensivo, defensivo e de special teams. Anteriormente, a Rooney Rule exigia que as equipes entrevistassem apenas um candidato minoritário para o cargo de técnico principal e nenhum para cargo de coordenador.
  • A NFL mudou sua política anti-aliciamento para relaxar as regras que permitiam às equipes negar a treinadores assistentes e executivos sob contrato a oportunidade de fazer entrevistas de trabalhos para outras organizações. A resolução aprovada, de acordo com a NFL, estabelece um sistema “que proíbe que um clube negue (1) um técnico assistente a oportunidade de entrevistar uma nova equipe para uma posição de Coordenador Ofensivo, Coordenador Defensivo ou Coordenador de Equipas Especiais de boa-fé e (2) um executivo de futebol de não-alto nível/não-secundário de ser entrevistado para uma posição de boa-fé de general manager”.
  • Cada um dos 32 times da NFL estabelecerá um programa de bolsas de treinamento para grupos étnicos minoritários. As bolsas de treinamento devem ser de período integral, com um ou dois anos de duração, para “fornecer lendas da NFL, minorias e participantes do sexo feminino com treinamento prático em treinamento da NFL”. A idéia é estabelecer um conjunto maior de candidatos qualificados no processo, a partir do qual os candidatos a head coach são, em última análise, selecionados.

– A NFL está, em grande parte, utilizando atividades virtuais de offseason, em meio à pandemia do novo coronavírus. Mas, em atividades extraoficiais, o quarterback Tom Brady está aproveitando o tempo para ganhar entrosamento com seus novos companheiros de equipe do Tampa Bay Buccaneers.

O jornal ‘Tampa Bay Times’ publicou várias fotos da sessão de lançamento, com duração de duas horas, que foi realizada na Berkeley Preparatory School, em Tampa. A publicação apurou que Brady estava acompanhado do center Ryan Jensen, dos wide receivers Mike Evans e Scotty Miller, dos tight ends Cam Brate e O.J. Howard, dos quarterbacks Blaine Gabbert e Ryan Griffin, e do running back Dare Ogunbowale.

Um porta-voz da liga disse à ‘ESPN’ norte-americana que o signal caller pode realizar esses exercícios desde que siga as recomendações e diretrizes das autoridades estaduais e locais e de especialistas médicos, juntamente com as diretrizes da NFL Players Association (NFLPA).

– A resposta do wide receiver DeVante Parker, do Miami Dolphins, em uma pesquisa no Instagram nesta terça tirou do sério o wide receiver Michael Thomas, do New Orleans Saints. E isso iniciou uma discussão entre os dois wideouts.

A conta da NFL on Fox na rede social perguntou: “Qual é mais difícil? A. Fazer uma recepção enquanto está sendo marcado por Stephon Gilmore, ou B. Defender um passe enquanto marca Michael Thomas”.

Parker, que teve um ano bom com o Miami Dolphins na última temporada, respondeu “A” nos comentários do post. E isso não agradou o astro do New Orleans Saints.

Thomas respondeu: “para você, sim. Vá subir alguns números. Então, você pode conversar. Eu superei você e você está na liga há mais tempo do que eu, (jogador de) primeira rodada”;

Então, Parker respondeu: “Tem algum ressentimento aí, irmão ??? Deixe-me ser acionado 300 vezes por jogo”.

A discussão pela rede social continuou com mais mensagens, até que Thomas publicou a última, dizendo a Parker: “Você nem consegue se sentar à mesa”.

– O cornerback DeAndre Baker, do New York Giants, se declarou inocente das oito acusações relacionadas a um suposto assalto à mão armada que, segundo a polícia, ocorreu na semana passada em Miramar, na Flórida. O cornerback Quinton Dunbar, do Seattle Seahawks, também planeja se declarar inocente de suas quatro acusações de assalto à mão armada, como disse seu advogado Michael Grieco à ‘ESPN’.

– O quarterback Ben Roethlisberger, do Pittsburgh Steelers, cortou a barba e o cabelo para cumprir uma promessa depois de lançar um passe decente para um de seus companheiros de equipe.

O novo visual de Big Ben exigiu uma visita a uma barbearia no Condado de Allegheny, um estabelecimento que ainda não pode ser aberto em alguns condados da Pensilvânia (incluindo Allegheny), à medida que o estado procede à reabertura em vários estágios durante a pandemia do COVID-19, segundo o ‘PennLive.com’. E, ao ser questionado sobre a ida de Roethlisberger ao local, o governador da Pensilvânia Tom Wolf não ficou feliz com a decisão do QB.

“Minha preocupação é apenas uma preocupação geral. Qualquer um que se ponha em perigo é algo que acho que devemos tentar evitar. Quando você vai a uma barbearia e não está protegido, não me importo com quem você é, as chances desse vírus realmente causar estragos em sua vida aumentam”, afirmou o político.

Comments
To Top