NFL

No Huddle – Defensive tackle do Miami Dolphins tem braço amputado após acidente

Kendrick Norton, defensive lineman do Miami Dolphins

No Huddle – O boletim de notícias de NFL do Quinto Quarto

– O defensive tackle Kendrick Norton, do Miami Dolphins, teve seu braço amputado e segue hospitalizado após sofrer um acidente de carro na região de Miami, no começo da manhã desta quinta-feira (4). A informação foi confirmada pelo agente do jogador.

O tenente Alex Camacho, da Patrulha Rodoviária da Flórida, disse que o Ford F250 que estava sendo guiado por Norton, atualmente com 22 anos de idade, bateu em uma barreira de concreto na State Road 836, perto de Miami. A picape capotou e parou de ponta cabeça.

As equipes dos Bombeiros de Miami-Dade prestarem socorro a Norton, que sofreu ferimentos graves no braço esquerdo e foi transportado para o Ryder Trauma Center do Jackson Memorial Hospital.

“Com tristeza, posso confirmar que Kendrick Norton sofreu um acidente de carro na noite passada e sofreu vários ferimentos, incluindo a amputação de seu braço. Pedimos a vocês que continuem a orar por ele”, declarou Malki Kawa, agente do atleta, em um tweet.

Norton não corre risco de morrer, mas o jornal ‘Sun Sentinel’ noticiou que o jogador está em condição crítica.

“Nós fomos informados nesta manhã sobre um grave acidente de carro envolvendo Kendrick Norton. Nossos pensamentos e orações estão com Kendrick e sua família durante este momento”, declarou o Miami Dolphins, em nota emitida nesta quinta.

Norton foi selecionado na sétima rodada do draft de 2018 pelo Carolina Panthers e os Dolphins fecharam com ele, tirando-o do elenco de treinamento (practice squad) dos Panthers em dezembro. A expectativa era a de que ele fosse competir por uma vaga no elenco final de 53 jogadores dos Dolphins nesta temporada.

– Eli Manning, quarterback do New York Giants, segue motivado entrando em sua 16ª temporada na NFL e os pensamentos de aposentadoria ainda não estão rondando sua mente.

“Você leva isso ano a ano. Eu tenho sido abençoado de entrar no meu 16º ano. Isso tem sido uma bênção por si só. Eu amo o que faço. Amo o trabalho que envolve isso. Você nunca sabe quando será seu último ano ou quando vai ser o fim para você, então você tenta tirar vantagem dos anos em que está aqui e aproveitar cada momento”, disse Manning, em uma entrevista muito legal ao jornalista Rod Walker, do ‘NOLA.com’.

Eli tem 15 temporadas na NFL em seu currículo até agora, com dois títulos de Super Bowl e quatro seleções ao Pro Bowl. Algum dia, ele pode parar no Hall da Fama, como alguns acreditam, e o QB não tem pressa de pendurar o capacete.

“Eu não estou correndo para me aposentar, e Peyton está me dizendo para não correr. Eu ainda amo estar perto dos caras e dos companheiros de equipe e jogar este esporte. Eu vou jogar por tanto tempo quanto eu acho que puder ficar com esses caras”, frisou.

– O safety Eddie Jackson, do Chicago Bears, acredita que o time pode ser campeão do Super Bowl em 2019 e ele não está se importando com as altas expectativas que giram em torno da equipe. O defensive back inclusive traçou uma meta que terá o poder de irritar alguns torcedores mais nostálgicos da franquia: igualar os Bears de 1985, que ganharam o único Super Bowl da história da organização.

“Nosso objetivo agora é que a defesa seja a número 1 em todos os aspectos. Reverência aos Bears de 85, mas queremos superar tudo o que eles fizeram”, declarou Jackson à ‘SiriusXM NFL Radio’. “Estou realmente animado para este ano, vai ser algo especial. Como eu disse, eu mantenho o que eu disse mais cedo neste ano. Nós planejamos levar tudo, planejamos ganhar o Super Bowl”, completou.

– O linebacker Ryan Kerrigan, do Washington Redskins, está prestes a completar 31 anos de idade e sua filha Lincoln veio ao mundo em março. E tornar-se pai inspirou Kerrigan a alongar sua carreira na NFL.

“Eu quero que minha filha e, quem sabe, mais filhos futuramente possam se lembrar de algum aspecto da minha carreira no futebol americano. Eu não quero que eles me ouçam falar sobre futebol americano e depois digam: ‘ah, papai está vivendo no passado, como se ele provavelmente não fosse muito bom’”, falou Kerrigan, no podcast Rundown, segundo o site oficial dos Redskins. “Eu quero que eles possam experimentar a muita diversão que vem acompanhada de ser um jogador de futebol americano profissional e lembrar as experiências que eles têm”, frisou.

Kerrigan marcou dois dígitos em sacks por três temporadas consecutivas, e em quatro das últimas cinco. E, com 84,5 sacks na carreira, o quatro vezes selecionado ao Pro Bowl está em segundo na lista de todos os tempos do Washington Redskins no quesito, atrás apenas de Dexter Manley (91 na carreira com os Redskins).

Se Kerrigan mantiver o ritmo, ele vai superar Manley nesta próxima temporada: “eu nunca encaro qualquer sack como algo garantido porque eles são difíceis de conseguir. Mas, sim, vamos chegar nisso quando for a hora”.

– DeShone Kizer, quarterback reserva do Green Bay Packers, está motivado para mostrar que pode ser mais do que a opção número 1 depois de Aaron Rodgers. Entrando em seu terceiro ano na liga, o segundo com os Packers depois de ter sido trocado pelo Cleveland Browns, o signal caller expressou sua fome de provar que merece estar na NFL.

“Agora, é tudo uma questão de garantir que, toda vez que eu entrar nesse campo, eu esteja dando 100% de mim. Não há complacência. Não há ‘próximo ano’ mais. Você cresce dentro dos esportes realmente se concentrando no desenvolvimento e compreendendo de que há uma linha do tempo rolando, então você não necessariamente pressiona a si mesmo para fazer as coisas imediatamente”, falou Kizer a Jim Owczarski, do Packers News, do jornal ‘USA Today’. “Bem, essa linha do tempo está começando a encolher para mim no sentido de que a o tempo de carreira médio de um atleta na NFL é de três anos. E esse é o terceiro ano para mim. Eu fui até lá, coloquei imagens nos vídeos e agora trata-se de assegurar que a partir de agora tudo o que eu coloco no vídeo realmente reflete quem eu sei que posso ser”, observou.

E Kizer foi além: “eu não vejo eu mesmo como reserva de Aaron Rodgers pela era final de sua carreira. Eu me vejo como futuro MVP de Super Bowl. Esse é o objetivo que quero alcançar. Esse é o nível em que quero jogar. Portanto, se eu estou competindo e focado na competição de reserva, então, mais uma vez, estou me limitando.

 

Comments
To Top