NFL

No Huddle – DeAndre Hopkins: troca para os Cardinals “não foi uma grande surpresa”

DeAndre Hopkins, wide receiver da NFL

No Huddle – O boletim de notícias de NFL do Quinto Quarto

– O wide receiver DeAndre Hopkins, agora no Arizona Cardinals, não ficou surpreso quando o Houston Texans o trocou, em março.

Conversando com repórteres via teleconferência pela primeira vez desde que a troca com os Cards foi finalizada, Hopkins deixou claro que ele ouviu rumores sobre potencialmente ser negociado pela franquia texana desde o começo da temporada 2019 da NFL.

“Não foi uma grande surpresa para mim depois da temporada. Eu estava me preparando para isso”, falou Hopkins nesta sexta (17).

O wideout estava em Los Angeles treinando com o wide receiver Julio Jones, do Atlanta Falcons, na manhã do dia 16 de março, quando começou a ouvir sobre uma potencial troca. Seu provável destino? Os Cardinals.

“Fiquei muito empolgado, na verdade, por causa do que o Arizona vem construindo, tendo um jovem quarterback, um time jovem e também com veteranos”, frisou.

– O linebacker Von Miller, do Denver Broncos, agora está em quarentena em sua casa depois de testar positivo para o novo coronavírus. E, nesta sexta, o pass rusher disse que ele é “a prova de que qualquer um pode pegar”.

Miller, oito vezes selecionado ao Pro Bowl em sua carreira, disse no programa NFL Live, da ‘ESPN’ norte-americana, que ele havia tentado tomar todas as precauções no mês passado, mas ainda assim contraiu o vírus.

“O que me mantém em paz é saber que fiz tudo o que deveria fazer. Eu estava aqui em casa. Estou aqui em casa há cerca de um mês e, provavelmente, saí de casa quatro vezes. E quando eu saí, eu não saí do carro ou algo assim”, frisou Miller, que anunciou na última quinta que foi diagnosticado com COVID-19 e que está descansando em casa. “Eu não tive nenhum contato. Eu estava andando com meu irmão na rua para pegar comida. Eu literalmente levei a sério, eu não estava fora de casa. Isso me atingiu aqui na minha casa”, afirmou.

Miller, que tem asma, disse na sexta que optou por fazer o teste depois que começou a tossir há cerca de seis dias.

É muito, muito sério. É meu trabalho manter meu corpo em boa forma, e sinto que meu corpo está em boa forma. Se eu posso pegar isso, qualquer um pode pegar”, pontuou.

– Ex-quarterback da NFL e atual comentarista, Trent Dilfer rasgou elogios a Tua Tagovailoa. Ele, que conhece o jovem QB originário da Universidade de Alabama desde que o prospecto tinha 17 anos de idade, falou sobre o talentoso atleta nesta sexta.

Em participação no programa NFL NOW, da ‘NFL Network’, Dilfer falou bastante sobre Tagovailoa, a menos de uma semana do draft de 2020, e ele não tem dúvidas de que Tua será um astro na NFL.

“Eu vi muitos quarterbacks, estudei muitos quarterbacks nos últimos 12 anos. Este é o melhor prospecto com quem já tive contato, que já estudei”, afirmou Dilfer, de maneira categórica.

– Dave Gettleman, general manager do New York Giants, deixou claro que trocar a quarta escolha geral do draft de 2020 com algum time interessado para conseguir mais escolhas é algo que está sendo considerado por ele e pela organização.

Os Giants são donos da escolha número 4, mas possuem apenas duas escolhas nas primeiras 95 do draft. Assim, trocar uma escolha alta como a quarta geral é uma chance de conseguir escolhas adicionais nas primeiras três rodadas do draft.

“É algo que eu vou cogitar muito seriamente”, declarou Gettleman nesta sexta, em teleconferência com repórteres.

O Detroit Lions também está disposto a trocar a escolha número 3, como deixou claro o general manager Bob Quinn, e isso pode complicar um pouco a vida dos Giants.

– O running back Leonard Fournette, do Jacksonville Jaguars, fez uma campanha pública para seu time contratar o quarterback Cam Newton, ex-Carolina Panthers, e deixou claro que não tem nada contra Gardner Minshew, atual QB da franquia da Flórida.

“Cam foi ao Super Bowl, você sabe, ele é um grande cara. Eu conheço Cam há um minuto agora. Como eu disse a algumas pessoas que conversaram comigo, eu disse a elas que não é desrespeito a (Gardner) Minshew. Estou apenas tentando chegar à melhor posição como equipe para que possamos ganhar. É disso que se trata, apenas uma competição amigável, porque, você sabe, isso extrai o melhor das pessoas”, falou Fournette à ‘ESPN’ norte-americana.

– O cornerback Jaylon Johnson, da Universidade de Utah, recebeu boas notícias nesta sexta em relação à sua saúde.

O jornalista Tom Pelissero, da ‘NFL Network’, apurou que Johnson, que passou por uma cirurgia no ombro direito há seis semanas, está adiantado no cronograma de reabilitação e deve ter uma recuperação completa “sem quaisquer restrições ou limitações”. Essas foram as palavras do Dr. Peter Millett em uma carta enviada aos 32 times da NFL.

Pelissero acrescentou que Millett, que realizou o procedimento artroscópico em 4 de março, afirmou que Johnson deveria estar em plena atividade no início de agosto, depois de não ter levantado preocupações durante um exame de acompanhamento recente com o Dr. Eric Hanson. O agente de Johnson, Doug Hendrickson, também enviou aos times os exames de imagem atualizados e vídeos de reabilitação, observou Pelissero.

– Orlando Brown, tackle do Baltimore Ravens, ainda não se acostumou com a ideia de que vai ter que jogar sem Marshal Yanda na linha ofensiva.

Yanda se aposentou em março, após uma carreira de 13 anos dedicada integralmente aos Ravens. E Brown, que está entrando em sua terceira temporada como profissional, terá que se virar sem um de seus mentores.

“Vai ser tão diferente. Ele esteve ao meu lado quase todos os snaps nos últimos dois anos e me ajudou a crescer como jogador, me ajudou a crescer como pessoa e, o mais importante, vou sentir falta de poder fazer perguntas a ele. É muito raro conseguir alguém que esteja na liga há 13 anos e que consiga jogar em alto nível por tanto tempo. Eu não levei isso com pouco caso de maneira alguma”, frisou Brown à ‘NBC Sports Washington’, rasgando elogios ao amigo.

Comments
To Top