NFL

No Huddle – NY Giants diz para DeAndre Baker não participar de reuniões do time

DeAndre Baker, cornerback do New York Giants

No Huddle – O boletim de notícias de NFL do Quinto Quarto

– O New York Giants disse ao cornerback DeAndre Baker para ficar afastado das reuniões do time e focar em seus problemas na Justiça neste momento. A informação é do jornalista Jordan Raanan, da ‘ESPN’ norte-americana.

Baker está enfrentando quatro acusações de roubo armado e quatro acusações de agressão agravada com arma de fogo, derivadas de um incidente ocorrido na noite da última quarta em Miramar, na Flórida. Ele saiu da prisão na manhã deste domingo sob pagamento de fiança de US$ 200 mil (US$ 25 mil por acusação), depois de passar uma noite na cadeia do Gabinete do Xerife de Broward.

Os Giants disseram na quinta, quando um mandado de prisão contra Baker foi emitido, que estiveram em contato com Baker, que está entrando em seu segundo ano na NFL.

O CB esteve participando na maior parte das reuniões virtuais voluntárias de offseason e atividades que começaram no final de abril, segundo a ‘ESPN’.

Selecionado na primeira rodada do draft do ano passado, Baker era um dos favoritos para ser titular como cornerback dos Giants em 2020. Agora, isso parece improvável devido aos seus problemas legais e o seu tempo afastado do time, que está aprendendo novos sistemas sob uma nova comissão técnica.

– O defensive lineman Ed Oliver, do Buffalo Bills, foi preso na noite do último sábado (16), na cidade de Houston, sob acusações de dirigir intoxicado e posse ilegal de arma de fogo.

Oliver foi levado à Cadeia do Condado de Montgomery depois de ser detido na Rodovia Estadual 242. Ambas as acusações são delitos, segundo o site da cadeia.

Atualmente com 22 anos de idade, Oliver tinha uma cerveja aberta entre as pernas enquanto dirigia e foi considerado embriagado depois de passar por testes de campo. O policial que conduziu o teste notou que o atleta também poderia estar intoxicado por outra substância além do álcool. A polícia também encontrou uma pistola no veículo de Oliver, mas não foram encontradas drogas.

Oliver foi selecionado com a nona escolha geral do draft de 2019 pelos Bills e causou impacto imediato no time, somando 43 tackles e cinco sacks como calouro.

– O wide receiver Cody Latimer, do Washington Redskins, foi preso na madrugada do último sábado depois que disparos foram efetuados dentro de um apartamento no Condado de Douglas, no Colorado, segundo o Departamento do Xerife do Condado de Douglas. Latimer foi detido sob fiança de US$ 25 mil.

Segundo um relatório oficial, uma testemunha disse que ouviu uma discussão e o que parecia ser tiros dentro do apartamento. Então, uma pessoa foi encontrada com lesões leves, mas não relacionadas aos disparos.

O jogador de 27 anos de idade foi então preso e levado às Instalações de Detenção do Condado de Douglas. Latimer foi fichado sob acusações de agressão em segundo grau, ameaça e descarte ilegal de uma arma de fogo, além de contravenções de uso proibido de uma arma e perigo imprudente.

Latimer assinou com os Redskins nesta offseason, depois de passar as últimas duas temporadas no New York Giants e de ter vestido a camisa do Denver Broncos por quatro anos, sendo o time do Colorado que o selecionou na segunda rodada do draft de 2014. Em sua carreira profissional até agora, Latimer soma 70 recepções para 935 jardas e seis TDs.

– O safety Anthony Harris, do Minnesota Vikings, assinou sua proposta de franchise tag, como confirmaram a ‘NFL Network’ e a ‘ESPN’ norte-americana neste domingo.

Ao assinar seu contrato, Harris terá um salário garantido de mais de US$ 11,4 milhões para a temporada 2020. Agora, o defensor e os Vikings têm até o prazo final no dia 15 de julho para fecharem uma extensão de contrato.

Atualmente com 28 anos de idade, Harris ficou empatado na liderança da NFL com seis interceptações durante a temporada 2019, seu melhor ano na liga até agora, e soma nove nas últimas duas temporadas, incluindo uma INT contra o quarterback Drew Brees, do New Orleans Saints, na rodada de wild card dos playoffs de 2019.

– Phyllis George, ex-Miss Estados Unidos que se tornou uma pioneira de transmissão de esportes ao apresentar o programa The NFL Today, da ‘CBS’, faleceu aos 70 anos de idade.

Um porta-voz da família disse que George morreu na última quinta, em um hospital de Lexington, Kentucky, depois de uma longa luta contra um problema sanguíneo.

Seus filhos, Lincoln Tyler George Brown e a correspondente da ‘CNN’ na Casa Branca, Pamela Ashley Brown, lembraram George como “a mãe mais incrível que jamais poderíamos pedir”.

– Michael McCaskey, que liderou o Chicago Bears por quase três décadas, depois da morte do seu avô George Halas, morreu neste último sábado depois de uma longa batalha contra o câncer. Ele tinha 76 anos de idade.

Formado em Yale e o mais velho dos 11 filhos de Ed McCaskey e da matriarca do time Virginia McCaskey, Michael ingressou nos negócios da família em 1983 como presidente e CEO após a morte de Halas, pai fundador da NFL e da franquia. Ele sucedeu Ed McCaskey como presidente em 1999 e permaneceu nesse cargo até o irmão George McCaskey assumir o cargo em 2011.

Os Bears fizeram 12 aparições nos playoffs e conquistaram seu único título no Super Bowl durante o mandato de Michael McCaskey na liderança da franquia. Ele foi escolhido como Executivo do Ano da NFL por seus colegas após a temporada 1985.

– Dexter Manley, ex-astro do Washington Redskins, está hospitalizado e recebendo oxigênio para cuidar de problemas respiratórios depois de ser diagnosticado com o novo coronavírus (COVID-19). A informação foi confirmada por dois de seus filhos ao jornal ‘The Washington Post’.

Atualmente com 61 anos de idade, Manley foi hospitalizado na última sexta (15) na região de Washington. A filha Dalis Manley disse que o ex-defensive end testou positivo para COVID-19 no dia 2 de maio e, de forma constante, ficou com temperatura corporal variando entre 38ºC e 40ºC.

“Eu só acho que ele está assustado”, falou Manley, acrescentando que o médico disse à família que Dexter tem pneumonia.

Manley ajudou o Washington Redskins a vencer dois títulos do Super Bowl em nove temporadas com o time.

Comments
To Top