NFL

No Huddle – Hall da Fama do Futebol Americano anuncia que Classe de 2020 terá 20 membros

Pro Football Hall of Fame, em Canton, Ohio

No Huddle – O boletim de notícias de NFL do Quinto Quarto

– O Hall da Fama do Futebol Americano Profissional (PFHOF) vai expandir o número de possíveis candidatos para 20 em 2020, como parte das comemorações pela 100ª temporada da National Football League.

Chamando-a de classe do centenário, David Baker, presidente do Hall, disse nesta sexta que cinco jogadores da era moderna, 10 sêniors, três colaboradores e dois treinadores poderão ser eleitos no próximo ano. O grupo da era moderna seria decidido pelos 48 membros do comitê de seleção, como sempre na véspera do Super Bowl, em fevereiro.

Os demais 15 seriam votados como um bloco, não individualmente, pelo comitê de seleção. Eles seriam escolhidos por um comitê de 25 membros que incluirá Hall of Famers, historiadores e eleitores atuais.

Parte de Classe de 2020 seria introduzida em começo de agosto. Os demais entrariam de maneira oficial no dia 17 de setembro de 2020, a data que marca exatamente 100 anos do primeiro jogo da NFL.

– O wide receiver Antonio Brown ainda não participou completamente de um treino no training camp do Oakland Raiders, em Napa, na Califórnia, e o técnico Jon Gruden certamente está sentindo falta do seu astro, que perdeu as últimas duas atividades devido a uma contusão não especificada.

“Eu acho que todos estamos decepcionados. Queremos começar a festa”, afirmou Gruden, segundo Lindsay Jones, do ‘The Athletic’.

– Jerry Jones, proprietário do Dallas Cowboys, afirmou que está permanecendo paciente em meio ao boicote de Ezekiel Elliott e ele garantiu que não está preocupado em relação às chances de não chegar a um acordo com o running back.

“Não, eu não considero isso… quando eu nunca fechei um?”, falou Jones, de acordo com o site oficial da franquia texana. “Você apenas continua ligando. Eu não quero ver um clichê, mas é o que dizemos a esses (jogadores), é um pé na frente do outro e vamos. Faça o que tiver que fazer na próxima jogada e continue”, frisou.

– Drew Lock, quarterback calouro do Denver Broncos, minimizou sua atuação apagada no Hall of Fame Game, jogo que abriu a pré-temporada da NFL, quando seu time derrotou o Atlanta Falcons por 14 a 10.

“Eu vou classificá-lo como um jogo de aprendizagem. Definitivamente, há coisas que aprenderei lá, mas estou empolgado por estar sentado aqui e essa foi a primeira vez que saí de campo”, falou Lock, segundo o site oficial da franquia do Colorado. “Foi o Hall of Fame Game. Não foi o Super Bowl, não foram os playoffs – então há muitas coisas para eu aprender, muitas coisas para eu ficar ansioso, para progredir um pouco”, completou.

– O técnico John Harbaugh, do Baltimore Ravens, disse recentemente que Lamar Jackson vai correr tanto quanto ele correu na temporada passada. Mas o jovem quarterback da franquia de Maryland não pensa da mesma maneira.

Jackson estabeleceu um recorde de uma temporada da NFL em corridas por um quarterback, com 147 no total. E ele disse no The Rich Eisen Show, na última quinta, que ele não espera carregar a bola em 2019 tanto quanto em sua temporada de calouro.

Questionado se ele pode aguentar esse aspecto físico do jogo, Jackson respondeu: “Absolutamente. Eu ganhei massa. Mas não acho que vou correr tanto quando no ano passado. Houve muitas (run-pass options) e muitas mudanças repentinas no jogo do ano passado. Agora vai ser totalmente diferente”.

– Kenny Golladay, wide receiver do Detroit Lions, está vindo de uma temporada 2018 em que fez 70 recepções para 1.063 jardas e cinco touchdowns, melhores números de sua carreira na NFL até agora. E o camisa 19, atualmente com 25 anos, acredita que pode melhorar ainda mais neste ano.

“Eu, com certeza, como qualquer recebedor diria, posso ser um cara de 100 recepções. Mas eu não vou exigir a bola a cada jogada apenas para conseguir 100 recepções. Vou fazer o que for preciso para ajudar o time”, declarou Golladay, segundo Dave Birkett, do ‘Detroit Free Press’.

– Thomas Dimitroff, general manager do Atlanta Falcons, disse na última quinta, em entrevista à ‘NFL Network’ antes do Hall of Fame Game, que as conversas com os representantes de Julio Jones têm sido boas e que a expectativa é a de chegar a um acordo que o torne o wide receiver mais bem pago da NFL.

“Nós sabemos o que Julio é nesta liga. Temos uma boa ideia de aproximadamente onde ele estará, o que não vou compartilhar especificamente. O bom é que nunca fomos contidos pelo nosso dono para limitar alguém e estamos muito bem com nossos jogadores aqui. Sentimo-nos orgulhosos de como encaramos isso”, frisou Dimitroff. “E, mais uma vez, quando chegarmos a isso com Julio, olhamos para tudo, é claro. Acreditamos que ele deveria ser o jogador mais bem pago – desculpe, não quis dizer jogador – o wide receiver mais bem pago da liga. E eu sei que ele acredita nisso. É exatamente como vamos abordar isso e como vamos fazer. Acredito que está bem próximo, mas não quero saber quando será”, completou.

Comments
To Top