NFL

No Huddle – Chris Long: Aaron Donald é o “melhor jogador de futebol americano do mundo”

Aaron Donald, defensive lineman do Los Angeles Rams

No Huddle – O boletim de notícias de NFL do Quinto Quarto

– Aaron Donald chegou à NFL em 2014, um tanto quanto desacreditado devido ao seu tamanho, e por isso mesmo só foi selecionado na 13ª posição geral, apesar de seu talento evidente. Agora, ele é o melhor jogador da National Football League na atualidade.

E quem reforça essa noção em relação ao defensive tackle do Los Angeles Rams foi Chris Long que estava no então St. Louis Rams durante as duas primeiras temporadas de Donald na liga.

“Eu gostaria de me creditar em ser a primeira pessoa a saber que ele seria incrível. Nós costumávamos brincar em seu camp de calouros que ele estaria no Hall da Fama, mas eu meio que não estava brincando”, falou Long ao jornalista Gus Frerotte no podcast Huddle Up with Gus.

Long também chamou Donald de “o melhor jogador de futebol americano do mundo, na minha opinião”.

Agora aposentado, Long observou que não apenas os atributos físicos, a força, a velocidade e a agilidade que tornam o camisa 99 tão espetacular, mas sim também a resistência mental e determinação de ser grande.

“Eu nunca vi alguém trabalhar tanto, que tivesse tanto talento e jogasse de forma tão violenta e com tanta tenacidade. Esse cara iria brigar com você no campo para tirar o chapéu, e eu o respeito por isso, e ele trabalha mais do que todo mundo”, frisou.

– Shaq Lawson, defensive end do Buffalo Bills, disse que ele vai pagar pelo funeral de uma menina de 11 anos de idade, da Carolina do Sul, que morreu depois que alguém disparou mais de 35 tiros contra sua casa.

Vários veículos da imprensa dos Estados Unidos noticiaram que um parente anunciou a contribuição de Lawson na noite de quarta-feira, durante uma vigília em nome de Ja’Naiya Scott. A irmã de 18 anos de Ja’Naiya e a prima de 11 anos também foram baleadas.

Lawson cresceu na Carolina do Sul e jogou na Universidade de Clemson antes de ser selecionado na primeira rodada do draft de 2016 da NFL. O defensor disse que leu sobre o tiroteio e se sentiu na obrigação de contatar a família. Lawson afirmou que tem uma irmã com praticamente a mesma idade de Ja’Naiya.

– A apenas um mês do início dos training camps ao redor da NFL, o futuro do wide receiver Josh Gordon no New England Patriots segue incerto. E nem mesmo seus companheiros de equipe sabem dizer algo sobre o futuro do wideout.

Coloque o wide receiver Julian Edelman, MVP do Super Bowl LIII, entre esses nomes.

“É uma situação da vida e você está torcendo por ele… para melhorar. E, egoisticamente, eu o quero porque ele é um bom jogador de futebol americano e pode nos ajudar”, falou Edelman na última quarta, segundo o ‘Barstool Sports’. “Eu não sei de nada (sobre se Gordon será reintegrado). Nada mesmo. Eu perguntei a 30 pessoas dentro da organização e fora: ‘você sabe o que vai acontecer?’. E ninguém sabe de nada. Então, estamos apenas sentados e esperando para ver quais serão as circunstâncias com ele, porque ele seria uma ótima ferramenta para ter. Ele sabe jogar bola”, completou.

Gordon e o quarterback Tom Brady treinaram juntos na semana passada, segundo uma postagem de Brady no Instagram. Mas o recebedor segue suspenso sob a política de abuso de substâncias da NFL.

– O Buffalo Bills melhorou seu grupo de running backs nesta offseason, adicionando Frank Gore, T.J. Yeldon e o calouro Devin Singletary a um vestiário que já conta com o titular LeSean McCoy. Agora, podemos esperar por uma boa competição, como disse Yeldon recentemente ao jornal ‘The Buffalo News’.

“Isso é uma bênção. Chegando eu meus primeiros anos, eu não tive veteranos como esses (McCoy e Gore)”, falou. “Estar aqui nesta situação, eu posso aprender muito com esses caras. É muito para eu levar comigo em meus anos futuros. Vai ser uma competição acirrada. Foi uma coisa que eles me disseram quando eu cheguei. Vai haver competição, independentemente de qualquer coisa”, completou Yeldon.

– O tight end Hayden Hurst, selecionado na primeira rodada do draft do ano passado pelo Baltimore Ravens, teve sua primeira temporada na liga prejudicada devido a uma fratura no pé que o tirou dos quatro primeiros jogos do campeonato. E o TE somou apenas 13 recepções para 163 jardas e um touchdown em 2018.

Nesta offseason, Hurst perdeu algumas OTAs (organized team activities) devido a um problema no músculo posterior da coxa. E questionamentos em relação à sua durabilidade começam a surgir.

Agora, o próprio TE fez questão de ressaltar em entrevista à ‘105.7 The Fan’, em Baltimore, que ele estará “pronto para jogar” assim que o training camp começar no dia 24 de julho.

– K.J. Wright, linebacker do Seattle Seahawks, está indo para o Quênia para dar uma olhada nos poços que ele ajudou a financiar no ano passado.

“Isso apenas atingiu meu coração. Estou sempre tentando ajudar as pessoas sempre que posso, e eu só tomei conhecimento de uma situação sobre a qual não tinha ideia, e isso me tocou para fazer alguma coisa”, falou Wright sobre sua última visita ao Quênia, segundo o site oficial dos Seahawks.

Wright ajudou a arrecadar mais de US$ 75 mil, incluindo US$ 25 mil recebidos por ter sido nomeado o representante dos Seahawks no prêmio Walter Payton NFL Man of the Year 2018, para pagar dois poços, com algum dinheiro sobrando para financiar ajuda futura na região.

“Você vê de onde eles tiram a água deles, é terrível o que eles têm que fazer para conseguir água, então isso pode ser enorme para eles”, observou.

– Malik McDowell, defensive tackle que foi escolhido pelo Seattle Seahawks na segunda rodada do draft de 2017, está enfrentando acusações de agressão, resistência à prisão e de dirigir embriagado, derivadas de um incidente ocorrido em fevereiro em Michigan. No caso, ele supostamente lutou com dois policiais depois de ter seu carro parado, de acordo com o relatório policial obtido pela ‘ESPN’.

Comments
To Top