NFL

No Huddle – Chris Harris quer ser o cornerback mais bem pago da NFL

Chris Harris, cornerback do Denver Broncos

No Huddle – O boletim de notícias de NFL do Quinto Quarto

– Depois de receber um aumento salarial na noite da última terça, Chris Harris se tornou o cornerback mais bem pago do Denver Broncos. Mas, depois da temporada 2019, o defensive back vai ficar disponível na free agency e, então, ele desejará se tornar o mais bem pago da liga em sua posição.

“Estou pronto para rolar. Estou pronto para voltar com o time e começar a trabalhar na camaradagem com meus companheiros de equipe. Eu sou o quarto cornerback neste ano (em salário para 2019) e, depois desta temporada, eu vou chegar na free agency e ser o número 1”, declarou Harris ao jornalista Mike Klis, do ‘9News’.

Os Broncos subiram o salário de Harris para US$ 12,05 milhões, mas não estenderam o acordo. É um bom crescimento em relação aos mais de US$ 8,5 milhões que o CB ia ganhar em 2019.

Harris está mirando um futuro contrato com média de US$ 15 milhões por ano. Mas, por enquanto, ele terá que se contentar em ser o mais bem pago da posição na franquia do Colorado e Harris se acha merecedor do título, apesar de Kareem Jackson também estar por lá.

“Eu só queria ser o cornerback mais bem pago do time. Não tinha nada a ver com Kareem. Eu apenas achei que merecia ser o corner número 1 do time. Nada contra Kareem”, analisou.

– O defensive tackle Gerald McCoy segue com seu tour na free agency. O ex-jogador do Tampa Bay Buccaneers deixou o Baltimore Ravens nesta quarta-feira, último dia de sua visita à franquia, sem um contrato. A informação é de Ian Rapoport, da ‘NFL Network’.

McCoy, que também visitou o Cleveland Browns na semana passada, está despertando o interesse do Cincinnati Bengals e do Carolina Panthers. E sua visita aos Panthers vai começar na noite de quinta e vai até esta próxima sexta, quando ele tomará sua decisão final, segundo Rapoport.

De acordo com o jornalista, McCoy estava tentando iniciar uma disputa entre Browns e Ravens por seus serviços, mas a compensação oferecida não era a que ele desejava (leia-se mais do que os US$ 10 milhões que Ndamukong Suh recebeu dos Bucs recentemente).

– O quarterback Nick Foles, do Jacksonville Jaguars, esteve ausente do time nas OTAs da última terça porque ele estava cuidando de sua esposa, depois que ela sofreu um aborto espontâneo no último final de semana.

Tori Foles anunciou no Instagram na noite desta quarta que ela estava com apenas 15 semanas de gravidez quando entrou em trabalho de parto precoce na manhã de sábado e foi hospitalizada. Ela também revelou que teve uma infecção sanguínea.

“As emoções vão e voltam de uma imensa e esmagadora tristeza, confusão e raiva para uma firme crença de que Deus tem isso totalmente em suas mãos e vai usar isso para o bem. Nem sempre podemos compreender ou explicar, mas sabemos que isso é verdade”, escreveu Tori Foles na postagem.

– O segurança que foi supostamente agredido por Ezekiel Elliott em um festival de música em Las Vegas, semanas atrás, disse que ainda está esperando um pedido de desculpas genuíno por parte do running back do Dallas Cowboys.

Kyle Johnson, de 19 anos de idade, disse à ‘KCBS-TV’ em Los Angeles que ele não se lesionou no incidente do dia 19 de maio, o que levou Elliott a ser contido, mas observou que ficou decepcionado com as ações do atleta.

“Eu não me machuquei nem nada, mas apenas ver alguém que você admira empurrá-lo no chão sobre uma cerca de metal? Não é a maior coisa do mundo, mas, na verdade, (dizer) que nada aconteceu? Poxa, vamos lá”, falou Johnson à estação de TV. “Eu recebi um pedido de desculpas dele. Não foi um pedido sincero de desculpas. Ele não manteve contato visual. Não pareceu sincero”, completou.

– O Minnesota Vikings contratou Nate Kaeding, ex-kicker da NFL, como consultor em tempo parcial, como apurou o jornalista Tom Pelissero, da ‘NFL Network’. A franquia de Minneapolis enfrentou problemas com kickers nos últimos anos.

Entrando em sua sexta temporada como head coach, Mike Zimmer está com seu quarto kicker em Dan Bailey, que substituiu Daniel Carson. Carson substituiu Kai Forbath e este último substituiu Blair Walsh.

Kaeding estava no campo de treinamentos na manhã desta quarta, trabalhando bastante com a unidade de field goals, segundo Andrew Krammer, do ‘Star-Tribune’.

– Entrando no ano final de seu contrato de calouro, o cornerback Marcus Peters afirmou nesta semana que não está tão preocupado com um futuro novo contrato e, sim, em ganhar um Troféu Vince Lombardi.

“Eu quero chegar ao Super Bowl e ganhar desta vez, é isso que eu quero atingir, realmente. Todo o resto das coisas vai se resolver”, declarou Peters, segundo a agência ‘Associated Press’.

Peters, que foi selecionado na primeira rodada do draft de 2015, deve faturar US$ 9,069 milhões no último ano do seu contrato de calouro.

– DeMaurice Smith, diretor executivo da NFL Players Association (NFLPA), mandou uma carta na última terça para todos os agentes de jogadores certificados para que eles encorajem seus atletas a guardarem dinheiro para o caso de haver um locaute em 2021.

“Estamos aconselhando os jogadores a se planejar para uma paralisação de pelo menos um ano. Também estamos incentivando os jogadores a guardarem 50% de seus salários e bônus e a economizar a totalidade das quantias de Pagamento Baseado em Desempenho que devem ganhar nas próximas duas temporadas regulares”, escreveu Smith na carta, cuja cópia foi obtida pela ‘ESPN’.

– O Detroit Lions deseja continuar a seguir correndo com a bola em 2019, mas a equipe pretende também ter um ataque aéreo bastante agressivo com Matthew Stafford

“Nós queremos ser explosivos no jogo de passe. Quando lançarmos a bola, queremos ser capazes de lançá-la campo abaixo e conseguir grandes jogadas”, falou o coordenador ofensivo Darrell Bevell, segundo o site oficial do time.

– O New York Jets segue intensificando sua busca por um novo general manager e a franquia pediu para entrevistar Terry Fontenot, atual diretor de scouting profissional do New Orleans Saints, segundo informações de Ian Rapoport, da ‘NFL Network’.

Fontenot está entrando em sua 17ª temporada nos Saints e trabalha de perto com o general manager Mickey Loomis, com o general manager assistente/diretor de scouting de college Jerr Ireland e com o head coach Sean Payton para construir o elenco da organização da Louisiana.

Terry Fontenot se torna o quinto candidato conhecido para a vaga de general manager que os Jets estão interessados desde a demissão de Mike Maccagnan, no dia 15 de maio.

– O Jacksonville Jaguars está testando o wide receiver free agent Terrelle Pryor, como apurou o jornalista Ian Rapoport, da ‘NFL Network’. O ex-quarterback, que migrou para a posição de WR anos atrás, jogou mais recentemente com as camisas do Buffalo Bills e do New York Jets em 2018.

Desde que mudou de QB para WR depois da temporada 2013, Pryor teve apenas um ano excelente com os Browns em 2016, recebendo 77 passes para 1.007 jardas em 16 jogos.

Comments
To Top