NFL

No Huddle – Ex-running back da NFL e do Texas Longhorns, Cedric Benson morre aos 36 anos

Cedric Benson, ex-running back da NFL

No Huddle – O boletim de notícias de NFL do Quinto Quarto

– Cedric Benson, ex-running back da NFL e do Texas Longhorns, morreu em um acidente de moto no Texas. Ele tinha 36 anos de idade.

Um dos running backs mais produtivos da história da NCAA (futebol americano universitário), ele atuou na Universidade do Texas de 2001 a 2004, somando 5.540 jardas, segunda maior marca da história da instituição e nona na história da NCAA.

Sam Bassett, advogado do jogador, disse que a polícia de Austin lhe disse que Benson morreu no acidente ocorrido na noite de sábado. Apesar disso, Bassett afirmou que não tem detalhes sobre o que ocorreu.

“Cedric não era apenas um cliente, ele era meu amigo. Era imensamente talentoso e resistente no campo de futebol americano, ainda que muitos não tenham nenhuma ideia das dificuldades que ele superou para conquistar o que conseguiu. Apesar de imperfeito em alguns aspectos, uma vez que Cedric se tornava seu amigo, você entendia quão gentil, sensível e leal ele era como homem”, afirmou Bassett.

Benson foi selecionado com a quarta escolha geral do draft de 2005 da NFL pelo Chicago Bears e ajudou o time a chegar ao Super Bowl XLI. Ele teve seus melhores anos no Cincinnati Bengals, de 2008 a 2011, sendo o principal RB de um time que foi aos playoffs em duas oportunidades.

O RB também vestiu a camisa do Green Bay Packers em uma temporada. Benson finalizou sua carreira na NFL com 6.017 jardas e 46 touchdowns.

– O running back calouro Tony Pollard, do Dallas Cowboys, voltou a impressionar na noite do último sábado, na vitória sobre o Los Angeles Rams, em jogo válido pela semana 2 da pré-temporada. O camisa 36 correu cinco vezes para 42 jardas e um touchdown.

Foi a segunda grande apresentação do RB e isso fez com que Jerry Jones, proprietário da franquia texana, brincou com os repórteres e afirmou que o atleta selecionado na quarta rodada é o melhor negociador de Ezekiel Elliott: “quem? Agora Zeke é quem?”.

Elliott segue afastado do time enquanto busca um novo contrato. E, durante sua ausência, Pollard tem dado conta do recado.

Em outra notícia relacionada a Elliott, Zeke não vai ter que responder a acusações da polícia de Las Vegas por uma suposta agressão ocorrida em maio. A informação foi confirmada por Frank Salzano, um dos agentes e advogados do RB.

No dia 19 de maio, a polícia de Las Vegas brevemente deteve Elliott durante um incidente em que Kyle Johnson, um segurança de um festival de música, foi empurrado e caiu no chão. O running back dos Cowboys foi liberado e pediu desculpas ao segurança.

– Depois da contratação do quarterback Josh McCown, que saiu da aposentadoria, o técnico Doug Pederson, do Philadelphia Eagles, elogiou o signal caller veterano e se mostrou contente com as perspectivas que o atleta com 17 anos de experiência na liga acrescenta ao seu time.

“Você tem que confiar no jogador, o que ele está dizendo é a verdade. Conhecendo Josh e o tipo de pessoa que ele é, o grande caráter e pessoa de qualidade que ele é, conhecendo sua dinâmica familiar e tudo mais, quero dizer que ele ainda tem o fogo para jogar”, falou o head coach. “Eu acho que ele está nesse ponto de sua carreira, se as coisas derem certo, se ele é o reserva, o que quer que seja, ele pode estar contente neste papel. Ele só quer ajudar e ele tem esse desejo”, completou.

– Os jogadores do New England Patriots estão animados para receber o wide receiver Josh Gordon de volta ao time, depois que ele foi reintegrado de forma condicional na última sexta por Roger Goodell, comissário da NFL.

“Nós vamos fazer tudo o que pudermos para apoiá-lo. Eu acho que tudo o que podemos fazer é levar as coisas dia a dia, como é o caso de qualquer um de nós. E vamos ver como vai ser”, afirmou Matthew Slater, capitão do time, depois da vitória por 22 a 17 sobre o Tennessee Titans, em jogo da semana 2 da pré-temporada.

– O Arizona Cardinals ainda está trabalhando com a NFL para corrigir os problemas relacionados às palmas de snap que o quarterback Kyler Murray fez na noite da última quinta, contra o Oakland Raiders, e que levaram a duas faltas de false start. O técnico Kliff Kingsbury disse que “nós estamos em um bom lugar com isso”.

O head coach disse que conversou com Al Riveron, chefe de arbitragem da NFL, desde o jogo da última quinta e frisou: “acho que chegamos a um entendimento. E me sinto bem com isso”.

Comments
To Top