NFL

No Huddle – Brett Favre acredita que Aaron Rodgers não terminará carreira no Green Bay Packers

Brett Favre, ex-quarterback do Green Bay Packers, e Aaron Rodgers

No Huddle – O boletim de notícias de NFL do Quinto Quarto

– O ex-quarterback Brett Favre, ídolo do Green Bay Packers, disse que ele acha que Aaron Rodgers seguirá a mesma trilha que ele seguiu um dia e vai finalizar sua carreira na National Football League em outro time que não seja a franquia de Wisconsin. Isso depois que os Packers selecionaram Jordan Love na primeira rodada do Draft NFL 2020.

“Eu acho que ele vai jogar em outro lugar”, disse Favre nesta quarta-feira (29) na ‘NBC Sports Network’.

Favre até cortou o apresentador Rich Eisen antes de ele terminar a pergunta e, ao receber outro questionamento sobre se ele acha que Rodgers seguirá em Green Bay até se aposentar, o Hall of Famer complementou.

“Meu instinto me diz que não. Não sei ao certo, mas garanto que as engrenagens estão girando na mente de Aaron. Se for esse o caso, isso significa que há algo a provar para a organização que, de outra forma, não estava lá. Tudo o que ele precisa é de um motivo que não seja esse motivo para acelerar as coisas”, frisou Favre.

Atualmente com 36 anos de idade, Rodgers tem quatro anos remanescentes em uma extensão de contrato de US$ 134 milhões que ele assinou em 2018. E, por motivos de teto salarial, ele é virtualmente um jogador que não pode ser trocado até depois da temporada 2021 da NFL.

Favre revelou que conversou com Rodgers desde que o time selecionou Love com a 26ª escolha na quinta-feira passada.

“Eu não vou falar sobre tudo o que falamos, mas ele estava (…) digamos surpreso que eles foram nessa direção”, afirmou Favre.

– Recém-contratado pelo New Orleans Saints, o quarterback Jameis Winston vem dizendo há anos que ele foi a primeira criança a conseguir um autógrafo de Drew Brees depois que o astro se juntou aos Saints em 2006.

E, atualmente com 26 anos, o ex-QB do Tampa Bay Buccaneers agora terá a chance de aprender diretamente com um de seus ídolos na infância.

“Existem apenas algumas pessoas nesta liga que realmente acompanham você quando você faz uma pergunta, quando entra em contato com ela. E desde então, ele sempre foi um cara que eu posso papear durante a temporada e fazer uma pergunta, e ele me responde”, falou Winston, rasgando elogios a Brees. “Então, eu simplesmente amo a pessoa que ele é e o cara que ele é, e estou muito animado para aprender com ele e ajudar a servi-lo de qualquer maneira”, ressaltou.

Sem nomear outros times, Winston disse que tinha outras oportunidades na NFL para, talvez, ganhar mais dinheiro ou ter mais chance de ser titular em um curto prazo. Mas ele observou que agarrou esta oportunidade de trabalhar com Brees, o técnico Sean Payton e os demais jogadores dos Saints “em um piscar de olhos”.

“Ser parte do New Orleans Saints, estar ao lado de Drew Brees, Taysom Hill, Sean Payton, técnico Joe Lombardi e técnico Pete Carmichael. Quando você pensa nesse grupo, é como uma educação de Harvard na escola de quarterbacks”, pontuou.

Como foi apurado por Field Yates, da ‘ESPN’ norte-americana, o acordo de um ano de Winston com os Saints é de US$ 1,1 milhão, com outros US$ 3,4 milhões disponíveis em incentivos por produtividade.

– Atualmente com 47 anos e um free agent no momento, o kicker Adam Vinatieri disse ao jornalista Tom Pelissero, da ‘NFL Network’, que ele deseja continuar jogando em 2020, no que seria sua 25ª temporada na National Football League. Contudo, a atual pandemia do novo coronavírus tem atrapalhado um pouco a reabilitação de cirurgia no joelho realizada no ano passado.

Vinatieri ainda não sabe se estará 100% curado no início da próxima temporada da NFL.

Nos últimos 14 anos, Vinatieri foi kicker do Indianapolis Colts. Neste período, ele acertou 336 de 394 tentativas de field goal e 507 de 524 extra points, tendo sido nomeado a um Pro Bowl e entrando no primeiro time All-Pro também em uma oportunidade, ambas em 2014.

– O cornerback Bashaud Breeland, do Kansas City Chiefs, foi preso na última terça (28) sob várias acusações e, agora, terá as atenções da NFL ainda mais voltadas para si.

Antes de sua prisão recente, o jogador já estava enfrentando uma punição de quatro jogos por uma violação da política de abuso de substâncias da liga, como apuraram Tom Pelissero e Mike Garafolo, da ‘NFL Network’.

Breeland está apelando da suspensão, que pode acabar sendo reduzida graças ao novo acordo coletivo de trabalho (CBA) implementado pela NFL e NFLPA no mês passado. Entre as mudanças no CBA estão os novos padrões da política de abuso de substâncias, que incluem punições por violações significativamente reduzidas. Essa mudança torna mais provável que uma apelação resulte em uma punição menor para Breeland, segundo Garafolo.

Quanto à sua prisão, os advogados de Breeland divulgaram um comunicado quarta-feira alegando que o quarterback do Chiefs é inocente até que se prove o contrário.

– O quarterback Lamar Jackson, do Baltimore Ravens, fez história na temporada 2019 ao correu para 1.206 jardas, fator que o ajudou a ser eleito o MVP da NFL no ano. Contudo, ele estará sob pressão para ter um desempenho semelhante em 2020.

Aproveitando isso, as casas de apostas de Las Vegas já abriram o mercado de aposta de jardas corridas para o QB dos Ravens. A linha atual no Caesars Sportsbook é de 999,5 jardas terrestres em 2020. Os apostadores podem apostar em menos ou mais a partir desta linha.

– O Pittsburgh Steelers parece estar satisfeito com a situação atual no grupo de quarterbacks além do titular Ben Roethlisberger. Pelo menos é o que garantiu Kevin Colbert, general manager da equipe, durante uma participação na rádio ‘Pittsburgh 93.7 The Fan’.

Apesar das dificuldades enfrentaram por Mason Rudolph em 2019, os Steelers vão mantê-lo como QB reserva ao que tudo indica.

“O que realmente gostamos na maneira como ele lidou com o banco de reservas foi que ele era positivo, trabalhou mais, manteve o rumo e, quando foi chamado no jogo dos Jets, jogou seu melhor quarto e meio e, infelizmente, se machucou”, falou Colbert, comentando sobre Rudolph.

E Colbert, apesar de avaliar o mercado, parece estar contente com as opções de QBs em seu elenco atualmente.

“Bem, sempre vamos ver o que está por aí. É meu trabalho avaliar qualquer posição, qualquer jogador que esteja disponível, e fazemos isso. Mas posso dizer honestamente que absolutamente não fizemos nenhuma negociação ou oferta a nenhum quarterback veterano”, ressaltou o executivo.

– O linebacker Clay Matthews está apresentando uma queixa contra o Los Angeles Rams em relação a um valor de mais de US$ 2 milhões em garantias que não foi pago pela franquia californiana. As informações são de Jeremy Fowler, da ‘ESPN’ norte-americana.

Matthews e o running back Todd Gurley, que foram dispensados pelos Rams em março, expressaram publicamente o descontentamento com o time em relação aos valores não pagos. E o linebacker resolveu tomar uma atitude junto à NFL Players Association (NFLPA), que vai apresentar oficialmente a queixa em seu nome.

O contrato do linebacker, de dois anos e que incluía US$ 5,5 milhões em garantias, previa um bônus de elenco no valor de US$ 2 milhões.

– A NFL renovou seu contrato de streaming com a Amazon para o Thursday Night Football por três anos. O Amazon Prime Video e o Twitch também terão direitos exclusivos de streaming para mais um jogo da temporada regular em 2020.

A NFL e a Amazon fizeram parceria pela primeira vez para os jogos das noites de quinta durante a temporada de 2017.

Comments
To Top