NFL

No Huddle – Bill O’Brien diz que vai ajoelhar com seus jogadores

Bill O'Brien, técnico do Houston Texans

No Huddle – O boletim de notícias de NFL do Quinto Quarto

– O técnico e general manager Bill O’Brien, do Houston Texans, apoiou a ideia de seus jogadores protestarem contra o racismo sistêmico e a brutalidade policial durante a temporada 2020 da National Football League.

“Sim, vou me ajoelhar – sou a favor disso. Os jogadores têm o direito de protestar, o direito de serem ouvidos e o direito de serem quem são. Eles não estão de joelhos porque estão contra a nossa bandeira. Eles estão de joelhos porque não são tratados igualmente neste país há mais de 400 anos”, afirmou O’Brien, segundo o jornal ‘Houston Chronicle’.

O’Brien tem o apoio da família McNair, que é proprietária dos Texans e ajudou a franquia a ter um impacto nos movimentos antirracismo. O quarterback Deshaun Watson e os companheiros de Texans se juntaram à marcha em prol de George Floyd no dia 3 de junho.

“Eu sempre senti muita injustiça racial porque fui educado dessa maneira. Acredito muito fortemente que os brancos têm que apoiar os negros em nosso país”, frisou O’Brien. “Vidas negras são importantes. A brutalidade policial faz parte disso, obviamente, mas isso é muito mais profundo do que isso. Existem 800.000 policiais neste país, e muitos deles estão tentando fazer o que é certo para sua comunidade. É como o que foi dito no funeral de George Floyd: trata-se de a humanidade se unir e se tratar como iguais”, completou.

– Vários membros da organização Baltimore Ravens participaram de um vídeo publicado nas redes sociais nesta sexta, no qual discutiram a necessidade de mudança e unidade nos Estados Unidos.

Entre os participantes estavam o proprietário Steve Bisciotti, o técnico John Harbaugh, o quarterback Lamar Jackson, MVP da NFL em 2019, o defensive end Calais Campbell, ganhador do prêmio Walter Payton Man of the Yeare em 2019, e o general manager aposentado e Hall of Famer Ozzie Newsome.

– Antonio Brown não contestou na sexta-feira as acusações de roubo e bateria decorrentes de um incidente de janeiro na Flórida. O pedido do ex-WR do Pittsburgh Steelers foi aceito por um tribunal do condado de Broward.

Brown recebeu ordem de cumprir dois anos de liberdade condicional e 100 horas de serviço comunitário, participar de um programa de tratamento de raiva de 13 semanas e passar por avaliação e tratamento psicológico/psiquiátrico, se necessário, por ordem de disposição do Tribunal do Condado de Broward.

Atualmente com 31 anos de idade, Brown pode viajar dentro dos EUA por motivos de trabalho, mas não pode ter contato direto com as vítimas.

Brown se entregou a uma prisão da Flórida em 24 de janeiro depois que um mandado foi emitido por sua prisão referente a uma briga com uma empresa de mudanças no início da semana. Ele foi acusado de roubo com bateria, roubo de transporte desocupado e danos criminais e liberado da prisão sob fiança de US$ 110 mil logo depois.

Brown está fora da NFL desde que o New England Patriots o dispensou, em setembro do ano passado, depois que o recebedor supostamente enviou mensagens de texto intimidadoras para uma mulher acusando Brown de ter feito avanços indesejados no passado.

A NFL está atualmente investigando acusações civis de agressão sexual e estupro contra Brown, além dos textos intimidadores.

– O quarterback Mitchell Trubisky, do Chicago Bears, sabe que pode estar com os dias contados na franquia. Os Bears acertaram uma troca com o Jacksonville Jaguars para adquirir o quarterback Nick Foles nesta offseason e, de quebra, não exerceram a opção pelo quinto ano do contrato de calouro de Trubisky, referente à temporada 2021.

Apesar disso, em contato com a imprensa nesta sexta, o signal caller disse que a troca para adquirir Foles não o decepcionou e, sim, servirá como mais motivação para manter a vaga de titular.

“Foi meio interessante para mim, mas esse é o negócio em que estamos. Eu fiquei meio chateado de um jeito bom. Estou motivado desde que nossa temporada terminou no ano passado. Eu não senti que foi do jeito que queríamos. Nós deixamos muito por aí. Mas estou animado por este ano”, falou. “Eu sinto que vai ser uma boa competição. Foles também teve uma carreira louca, então foi legal tê-lo em nosso grupo, conversando sobre futebol americano. Eu sei que vamos nos pressionar, mas ainda sinto que esse é meu time. Estou empolgado com a competição e apenas entrando em campo com meus colegas e mostrando a todos o que ainda posso fazer e o quanto tenho trabalhado nessa offseason para ajudar os Bears a vencer jogos nesta temporada”, completou.

– Em meio à pandemia do novo coronavírus, os planos da National Football League seguem sendo adaptados de tempos em tempos. E John Harbaugh, técnico do Baltimore Ravens, expressou suas preocupações com os últimos protocolos e exigências da liga para distanciamento social quando os jogadores se reapresentarem aos seus times durante o training camp.

Harbaugh chamou as expectativas de “humanamente impossíveis” durante uma participação em um programa de rádio nesta semana.

“Vamos fazer tudo o que podemos. Vamos para o espaço, vamos ter máscaras. Mas, sabe, é um esporte de comunicação. Temos que ser capazes de nos comunicar pessoalmente. Nós temos que treinar”, observou o head coach.

– Roger Goodell, comissário da NFL, anunciou nesta sexta (12), em um memorando interno, que a liga vai cumprir o feriado Juneteenth na sexta, dia 19 de julho.

O Juneteenth comemora o fim da escravidão nos Estados Unidos e marca o aniversário de 19 de junho de 1865, quando soldados da União desembarcaram em Galveston, no Texas, e anunciou que a escravidão havia terminado e que a Guerra Civil havia terminado.

“Este ano, enquanto trabalhamos juntos como uma família e em nossas comunidades para combater as injustiças raciais que permanecem profundamente enraizadas no tecido de nossa sociedade, a NFL observará o dia 11 de junho na sexta-feira, 19 de junho como um feriado reconhecido e nossos escritórios da liga serão fechados. É um dia para refletir sobre o nosso passado, mas, mais importante, considerar como cada um de nós pode continuar aparecendo e se unindo para trabalhar em direção a um futuro melhor”, disse Goodell.

– O running back Sony Michel, do New England Patriots, passou por cirurgia em seu pé, neste último mês de maio, para ajudar a aliviar o desconforto. A informação foi apurada em primeira mão pela ‘ESPN’ norte-americana e confirmada por Mike Giardi, da ‘NFL Network’.

Seu cronograma de retorno ainda não é conhecido.

Comments
To Top