NFL

No Huddle – DE dos Cowboys, Aldon Smith é reintegrado pela NFL

Aldon Smith, defensive end da NFL

No Huddle – O boletim de notícias de NFL do Quinto Quarto

– O defensive end Aldon Smith, do Dallas Cowboys, está voltando à National Football League. O jogador foi reintegrado pela liga nesta quarta-feira (20), após uma teleconferência com o comissário Roger Goodell.

A informação foi confirmada pelos jornalistas Ian Rapoport, Tom Pelissero e Mike Garafolo, da ‘NFL Network’.

Smith não joga desde 2015 devido aos seus problemas com a Justiça e suspensões diversas. Apesar disso, o pass rusher está recebendo a chance de voltar à NFL, cinco anos mais tarde, para retomar sua carreira profissional aos 30 anos de idade.

Para dar uma nova oportunidade ao atleta, os Cowboys acertaram um novo contrato de um ano, com valor de US$ 4 milhões, com Smith em abril. Isso mesmo antes de saber se o defensor seria reintegrado oficialmente.

Smith jogou seus últimos snaps na NFL com a camisa do Oakland Raiders, antes de ser suspenso por tempo indeterminado devido às suas violações das políticas de abuso de substâncias e de conduta pessoal da liga. Ainda na franquia californiana, Smith foi dispensado em 2018 depois de um incidente de violência doméstica no qual ele foi nomeado como suspeito.

Quando esteve em campo, ele mandou bem. Em cinco temporadas, ele somou 47,5 sacks, incluindo uma temporada 2012 na qual ele somou 19,5 sacks. Contudo, o pass rusher não atua em mais de nove jogos desde a temporada 2013.

– O New England Patriots resolveu recompensar Patrick Chung e acertou uma extensão de contrato de dois anos com o safety veterano, segundo informações de Mike Garafolo, da ‘NFL Network’. Agora, o defensive back tem vínculo com a franquia de Foxborough até a temporada 2023.

Chung vai receber um extra de US$ 1,6 milhão em 2020 e sua compensação total no ano será de US$ 5 milhões, de acordo com Garafolo. Já a compensação dele para 2021 segue a mesma, em US$ 2,4 milhões.

O safety não teve um bom início de carreira profissional na NFL, enfrentando dificuldades após ser selecionado pelos Patriots na segunda rodada do draft de 2009 e em seu ano vestindo a camisa do Philadelphia Eagles, em 2013. Depois que retornou aos Pats, em 2014, ele engrenou e conquistou três Super Bowls (XLIX, LI, LIII), desfalcando o time em apenas um jogo de temporada regular.

– Devonta Freeman segue disponível na free agency, depois de ser dispensado pelo Atlanta Falcons nesta offseason. Contudo, o running back parece estar atraindo interesse do mercado. Segundo o jornalista Michael Silver, da ‘NFL Network’, o Seattle Seahawks ofereceu um contrato de um ano, com valor de US$ 4 milhões, ao atleta.

O Philadelphia Eagles e o New York Jets também demonstraram interesse em contar com os serviços de Freeman, como acrescentou Silver.

– O wide receiver Antonio Gandy-Golden foi selecionado pelo Washington Redskins no Draft NFL 2020. Mas, antes disso, o atleta teve que superar um problema: o novo coronavírus.

Gandy-Golden testou positivo para o COVID-19 no final de março e ficou de quarentena enquanto lidava com os sintomas, que foram leves, como revelou o recebedor em um comunicado.

“Durante meu treinamento pré-draft, testei positivo para COVID-19 no dia 24 de março. Felizmente, meus sintomas foram leves, mas fiquei em quarentena por duas semanas e segui todas as orientações dos especialistas em saúde. Fui totalmente liberado em 7 de abril. Sinto-me 100% agora e mal posso esperar para entrar em campo para os Redskins o mais rápido possível!”, falou o wideout, em comunicado divulgado por seu agente.

Os Redskins selecionaram o WR na quarta rodada do draft, em abril. Gandy-Golden é o mais recente atleta profissional a ter sido infectado pelo COVID-19, juntando-se ao pass rusher Von Miller, do Denver Broncos, e o center Brian Allen, do Los Angeles Rams.

– Um jogador da NFL que não quis se identificar está processando a United Airlines, alegando que foi assediado sexualmente, agredido e violado por uma passageira em um voo de fevereiro de Los Angeles para Newark, Nova Jersey, e que a companhia aérea não respondeu adequadamente às reclamações.

A ação civil, movida no Tribunal Superior do Condado de Los Angeles na última segunda-feira (18), busca indenizações estatutárias e punitivas não especificadas por parte da companhia aérea.

De acordo com a ação, o jogador e outro passageiro da mesma fila fizeram quatro reclamações aos comissários de bordo de que a mulher estava fazendo “avanços sexuais indesejados” antes de ser transferida para um assento diferente.

Os dois homens estão processando a United, diz a ação, porque a companhia aérea se recusou a dar o nome da mulher, as comissárias de bordo e as testemunhas em potencial, e porque a companhia aérea não seguiu as políticas para responder ao assédio e agressão sexual no voo do dia 10 de fevereiro.

– O running back Miles Sanders ganhou mais espaço no ataque do Philadelphia Eagles em 2019, em meio à sua campanha de calouro, depois de uma lesão sofrida por Jordan Howard. Em 16 jogos, ele liderou os Eagles em carregadas, correndo 179 vezes para 818 jardas e três touchdowns em 16 jogos, também fazendo 50 recepções para 509 jardas e mais três TDs.

E, em entrevista à ‘SiriusXM NFL Radio’, Sanders disse que “absolutamente” se vê tendo uma carga de trabalho mais pesada na temporada 2020.

“Acredito que foi por isso que eles me draftaram, em primeiro lugar. Foi realmente apenas uma mudança, honestamente, que mudou. De repente, eu era um running back titular e não fui titular no início da temporada. Então, eu apenas olhei para isso como uma oportunidade, e apenas aproveitei”, afirmou o atleta.

– Em cinco temporadas com a camisa do San Diego/Los Angeles Chargers, Melvin Gordon somou 6.113 jardas a partir da linha de scrimmage. Ele somou três temporadas com 12 ou mais touchdowns.

Mesmo diante desse sucesso, Gordon disse ao jornalista Ian Rapoport, da ‘NFL Network’, no RapSheet + Friends Podcast, que, de determinada maneira, o ataque dos Chargers não permitiu que ele atuasse no máximo do seu potencial.

“Realmente não deu certo com meus pontos fortes, especialmente nos primeiros dois anos lá. Eu meio que tive que me ajustar e fazê-lo funcionar. Não era um sistema criado para mim. Mas sinto que Denver (Broncos) meio que segue meu estilo de futebol americano, e acho que é um ótimo ajuste”, afirmou Gordon, que foi contratado pelos Broncos nesta free agency, após sair dos Chargers.

– Chad Johnson, ex-wide receiver da NFL, deixou uma gorjeta de US $ 1.000 para o garçom depois de jantar em um restaurante na Flórida que recentemente reabriu em meio à pandemia do novo coronavírus.

“Parabéns pela reabertura, desculpe pela pandemia, espero que ajude. EU AMO VOCÊS”, escreveu Johnson, na última segunda, em sua conta no valor de US$ 37.

Johnson publicou a foto do recibo do Havana’s Cuban Cuisine, em Cooper City, com a legenda “Provérbios 11:25”, que é um versículo da Bíblia que diz “o generoso prosperará; quem dá alívio aos outros, alívio receberá”.

O restaurante também compartilhou uma foto do recibo de Johnson no Facebook para agradecer ao ex-receiver da NFL por seu “patrocínio contínuo” e generosidade a seus funcionários durante “esses momentos mais difíceis”.

Comments
To Top