NFL

No Huddle – Adam Gase nega que NY Jets pagou demais por Le’Veon Bell

Adam Gase, técnico do New York Jets

No Huddle – O boletim de notícias de NFL do Quinto Quarto

– Falando em uma coletiva pela primeira vez desde que assumiu o cargo de general manager interino, o head coach Adam Gase, do New York Jets, questionou os boatos de que discordava do ex-GM Mike Maccagnan, demitido na semana passada, por ter gastado muito dinheiro na aquisição do running back Le’Veon Bell.

Perguntado se achava que os Jets pagaram em excesso por Bell, Gase fez uma grande explicação, frisando que discordâncias ocorrem o tempo todo durante o processo de construção do time.

“Nós o contratamos. Estou animado por tê-lo”, falou o técnico/general manager interino, ao ser questionado sobre o contrato de US$ 52,5 milhões assinado por Bell. “Eu tenho estado em constante comunicação com ele. Conversas acontecem… Quando você está passando pela free agency, nós contratamos muitos caras, você está tentando montar um grande quebra-cabeça. Está tentando pensar no dinheiro, no encaixe, no vestiário, todas essas coisas. Muitas coisas entram nisso. Discussões são feitas, e seja ou não, se discordamos de alguma coisa financeiramente, é uma história completamente diferente da pessoa ou do jogador”, analisou.

“Há muitas coisas disso que são mal interpretadas. Le’Veon Bell é um grande jogador. Ele é uma boa pessoa. Ele tem estado em contato constante comigo. Gostei da minha interação com ele quando ele esteve aqui, quando veio para fazer o teste físico, quando nós o contratamos, quando estava aqui para o começo da fase um. Ele me manda mensagens de texto o tempo todo. Todas essas coisas que vocês veem no Instagram, eu recebo primeiro”, afirmou o head coach.

Adam Gase ainda chamou as especulações de que os Jets poderiam trocar Bell de “ridículas” e observou: “não. Essa é a primeira vez que ouvi isso”.

– Em uma das grandes notícias desta quinta, o quarterback Alex Smith compareceu nesta quinta às OTAs (organized team activities) do Washington Redskins e até chegou a lançar uma bola. As fotos foram publicadas no Twitter da franquia da capital dos Estados Unidos.

O signal caller segue com seu duro processo de reabilitação de uma horrível fratura na perna direita sofrida durante a temporada 2018. E, agora, ele está ao lado dos seus companheiros de equipe.

– Jim Kelly, ex-quarterback membro do Hall da Fama do Futebol Americano Profissional (PFHOF), passou por um exame para câncer para ver se ele se livrou do tumor. E o resultado dos testes de imagem mostraram que ele está limpo. A informação foi dada por Jill, esposa do ex-QB, no Instagram.

“MUITO obrigado a todos por rezarem e ficarem ao nosso lado enquanto seguimos nesta jornada… um dia de cada vez, uma oração de cada vez. Tudo isso parece clichê, mas é verdade”, escreveu Jill.

O Buffalo Bills compartilhou o posto de Jill Kelly.

– O tight end veterano Benjamin Watson afirmou nesta quinta que ele começou a repensar sua aposentadoria há cerca de um mês, mas frisou que apenas estava disposto a retornar para sua 16ª temporada na liga se fosse para atuar com a camisa de alguns poucos times.

A lista era encabeçada por New Orleans Saints e New England Patriots. E o TE acabou assinando um contrato de um ano, com valor de US$ 3 milhões, com os Patriots no dia 9 de maio, e chega para ajudar a preencher o vácuo deixado pela aposentadoria de Rob Gronkowski.

Atualmente com 38 anos de idade, Watson chamou Gronkowski de “jogador fabuloso” que ele assistiu por anos, mas garantiu que a aposentadoria do astro não foi uma motivação para ele mudar de ideia e retornar de sua própria aposentadoria.

– O defensive tackle Gerald McCoy disse aos times que estão interessados em seus serviços que sua primeira visita será ao Cleveland Browns nesta sexta-feira, de acordo com Ian Rapoport e Mike Garafolo, da ‘NFL Network. O defensive lineman foi dispensado pelo Tampa Bay Buccaneers nesta semana.

Garafolo acrescenta que o Carolina Panthers e o Cincinnati Bengals também estão interessados em uma reunião com McCoy.

– O cornerback Xavier Rhodes, astro do Minnesota Vikings, fez uma avaliação sincera sobre seu desempenho em 2018, após ser criticado pelo técnico Mike Zimmer nesta offseason.

“Houve erros nos quais preciso trabalhar e jogadas que eu poderia ter desempenhado melhor que eu não fiz”, falou Rhodes nesta semana sobre suas atuações inconsistentes, segundo o ‘St. Paul Pioneer Press’.

Durante o Annual League Meeting da NFL, em março, Zimmer criticou as atuações do CB na temporada passada.

“Eu simplesmente não acho que ele jogou tão bem quanto pode jogar. Ele precisa corresponder ao seu nível de habilidade. Estamos pagando muito dinheiro para ele. Ele precisa fazer valer esse contrato”, afirmou o head coach na ocasião.

– Landon Collins nunca escondeu seu desejo de permanecer no New York Giants. Mas ele foi liberado pela franquia nova-iorquina e acabou assinando com o Washington Redskins, rival de divisão dos Giants, nesta offseason. E o safety participou do programa Good Morning Football, da ‘NFL Network’, nesta quinta e deixou claro que teria atuado nos Giants em toda sua carreira profissional se dependesse dele.

“Foi muito difícil, honestamente. Eu pensei que seria um Giant para sempre. Deixei claro isso para a mídia e os torcedores. Eu queria ser um Giant desde que fui draftado, queria ser um daqueles Michael Strahans, aqueles caras que passaram todos seus anos aqui. As coisas não saíram desse jeito”, declarou.

– Tyler Boyd, wide receiver do Cincinnati Bengals, está entrando no último ano de seu contrato de calouro e mira uma extensão gigantesca em um futuro não tão distante. E o recebedor deseja permanecer na organização.

“É isso que estou dizendo, irmão, eu quero estar aqui. Eu acho que eles sentem isso e sabem disso. Na minha opinião, acho que vai ser feito antes do camp. Mas não há como dizer. Eu só vou continuar a ser paciente e confiar no processo”, disse o jogador, em entrevista ao jornalista Paul Dehner, do ‘The Athletic’.

Comments
To Top