NFL

No Huddle – Aaron Rodgers diz que vai superar calouro caso Packers selecionem um QB

Aaron Rodgers, quarterback do Green Bay Packers

No Huddle – O boletim de notícias de NFL do Quinto Quarto

– Aaron Rodgers pode estar prestes a sentir na pele o que Brett Favre sentiu no começo dos anos 2000. Quando Rodgers entrou na liga, em 2005, ao ser selecionado com a 24ª escolha geral do draft, ele chegou em Green Bay com Favre ainda estabelecido como QB.

Três anos depois de ser reserva de Favre, Rodgers assumiu o comando do ataque dos Packers e de lá não saiu mais.

Agora, prestes a completar 37 anos durante a temporada 2020, Rodgers parece pronto para ver a franquia de Wisconsin selecionar um quarterback para o futuro.

Em uma entrevista à rádio ‘ESPN Milwaukee’, Rodgers disse que não ficaria chateado se os Packers draftassem um QB em uma posição alta neste ano. Contudo, ele gostaria que a diretoria trouxesse jogadores que pudessem “chegar e nos ajudar imediatamente”.

“Sou realista; sei onde estamos como organização e sei onde estou na minha carreira”, disse Rodgers, segundo o jornalista Rob Demovsky, da ‘ESPN’ norte-americana.

O camisa 12 acrescentou que, se os Packers selecionaram um QB em rodada alta do draft, ele está confiante de que o tal calouro não será capaz de tirar sua vaga no time titular.

“Estou confiante (que ele) não vai me vencer tão cedo”, afirmou o astro.

– Por falar em Aaron Rodgers, o quarterback dos Packers expressou publicamente sua oposição à nova proposta de acordo coletivo de trabalho (CBA) e, agora, ele aguarda a votação dos jogadores da liga. Mas ele não está contente com o engajamento dos atletas em relação a um assunto tão importante para o futuro deles e da liga.ão importante para o futuro deles e da liga.

E foi isso que ele expressou durante a entrevista à rádio ‘ESPN Wisconsin’.

Representante dos Packers na NFL Players Association (NFLPA), Rodgers disse que mandou várias mensagens eletrônicas aos seus companheiros de equipe sobre os pontos de discussão da nova proposta de CBA, antes da votação, e “quase não obteve respostas”.

“Essa é provavelmente a coisa mais desanimadora”, disse Rodgers no programa Wilde & Tausch. “Esta é uma sociedade em que vivemos agora que está tão distraída com o mundo deslumbrante de aplicativos e mídias sociais. Eu não sei. Será que os caras realmente se importam com essas coisas? Infelizmente, ou felizmente – como quer que você olhe para isso – paras as pessoas que querem tanto aprovar esse acordo, isso é meio que uma vitória, porque ninguém está olhando criticamente para isso ou pensando nisso. Eles são como ‘Oh, qual será o meu salário? Oh, ok, legal.’ Não é como: ‘Estamos cuidando de ex-jogadores? Que tipo de riscos adicionais estamos assumindo? O que estamos recebendo em troca disso?’”, frisou Rodgers.

– Também falando sobre o CBA, o quarterback Ryan Fitzpatrick, do Miami Dolphins, anunciou que vai voltar “sim” para a proposta de novo acordo coletivo de trabalho (CBA) que foi enviado aos jogadores da linha na última quinta.

E isso torna ele o jogador mais famoso entre os que declararam publicamente que vão voltar a favor da ratificação.

Em um vídeo enviado a Trey Wingo, da ‘ESPN’ norte-americana, Fitzpatrick detalhou por que ele está confiante em seu voto. Ele citou aumento de salários mínimos, mudança na política de drogas de maconha, aumento de vagas no elenco, melhores condições de trabalho/ambiente, melhores salários dos elencos de treinamento (practice squad), menos pancadas no training camp e maiores benefícios para jogadores atuais e ex-jogadores.

– Drew Brees, astro do New Orleans Saints, é a cara da franquia da Louisiana, depois de 14 anos de serviços prestados aos Saints. E, durante uma participação na rádio ‘WEEI Boston’, na última quinta, o camisa 9 reiterou seu desejo de só atuar em NOLA.

“Escute, não tenho intenção de ir a lugar algum. Não ligo para qual seria a oferta ou qual seria a situação, sou ‘Who Dat Nation’ por toda a vida”, disse Brees, depois de ser perguntado sobre o que ele acha que Tom Brady, seu companheiro do clube dos Quarentões, poderia fazer nesta offseason e, talvez, deixar o New England Patriots.

– O defensive lineman Quinnen Williams, do New York Jets, foi preso por posse criminosa de arma na noite de quinta-feira, quando ele tentou embarcar em um avião. A informação foi confirmada pela polícia.

A Polícia da Autoridade Aeroportuária de Nova York/Nova Jersey disse que Williams, escolhido pelos Jets na primeira rodada do draft de 2019, foi preso no Aeroporto LaGuardia por volta das 21h15 e indiciado. A polícia disse que Williams tem uma permissão em seu estado natal, no Alabama – mas não em Nova York – para a pistola Glock 19 que ele carregava no voo. Não foi revelado imediatamente se a arma estava carregada.

O Jets divulgou uma nota oficial sobre a prisão de Williams na manhã desta sexta.

“Entramos em contato com Quinnen Williams e estamos plenamente conscientes da situação. Não teremos comentários adicionais, pois esse é um assunto legal pendente”, disse o time no comunicado.

– As casas de apostas de alguns estados americanos já abriram apostas sobre onde Tom Brady vai jogar na temporada 2020, sendo este um momento histórico nas apostas esportivas envolvendo as ligas americanas.

O New England Patriots aparece como favorito para manter Brady nas casas que estão oferecendo este tipo de aposta inusitada. O Tennessee Titans, o Las Vegas Raiders, o Los Angeles Chargers e o San Francisco 49ers vêm logo atrás entre os times que podem atrair o maior quarterback de todos os tempos.

– O futuro de Amari Cooper é incerto, já que o wide receiver está prestes a se tornar um free agent, a menos que o Dallas Cowboys acerte um novo contrato com o atleta ou aplique a franchise tag nele.

E, se depender apenas ao atleta, ele ficará em Dallas.

“Eu amo ser um Dallas Cowboy. Eu amo tudo sobre isso. Penso nisso todos os dias”, disse Cooper, na rádio ‘105.3 The Fan. “Apenas a aura de ser um Dallas Cowboy, você não pode superá-la. Eu quero ser um Cowboys por toda a vida”, completou.

– Dalvin Cook, running back do Minnesota Vikings e uma das peças centrais do ataque da franquia, tem metas ambiciosas para sua quarta temporada na NFL em 2020.

“Duas mil jardas”, disse o RB de 24 anos de idade, ao ‘TMZ’. “Poderíamos ir com 1.500 (correndo) e 500 (recebendo). 1.500, 500. Ou 1.400, 600!”, frisou.

Comments
To Top