NFL

Nickell Robey-Coleman é multado por pancada dada em jogo contra Saints

Nickell Robey-Coleman, cornerback do Los Angeles Rams

(Crédito: Twitter/reprodução)

O cornerback Nickell Robey-Coleman, do Los Angeles Rams, foi multado em US$ 26.739 pela National Football League devido a uma pancada capacete contra capacete dada em cima do wide receiver Tommylee Lewis, do New Orleans Saints. O lance foi o mesmo que gerou toda a polêmica das faltas não-marcadas na final da Conferência Nacional (NFC).

A informação da multa foi dada em primeira mão pelo jornalista Adam Schefter, da ‘ESPN’ norte-americana, nesta sexta-feira (25).

A pancada ocorreu quando Robey-Coleman fez contato com Lewis antes de a bola lançada pelo quarterback Drew Brees chegar ao recebedor dos Saints. O lance ocorreu em uma situação de terceira descida para 10 da linha de 13 jardas do campo dos Rams.

A jogada controversa aconteceu com 1min45s remanescentes em um jogo empatado em 20 a 20.

Uma marcação de interferência no passe teria dado aos Saints uma primeira descida e o time da casa teria uma nova série de descidas e uma chance de gastar o relógio antes de tentar um field goal curto com menos de 20 segundos restantes. Isso seria dado ao time de Nova Orleans a provável classificação ao Super Bowl LIII.

Os Rams empataram o jogo em 23 pontos, forçaram a prorrogação e venceram por 26 a 23 no tempo extra, avançando assim para pegar o New England Patriots na decisão da temporada 2018.

Robey-Coleman admitiu que pensou brevemente que a bandeira amarela seria lançada, mas falou que um árbitro no campo disse a ele que suspeitava que a bola tinha sido desviada, o que anularia a marcação da falta. Os replays, contudo, mostraram que esse claramente não foi o caso.

Nenhuma falta foi marcada, nem a de pass interference e nem a de contato capacete contra capacete, e o técnico Sean Payton, dos Saints, revelou em sua coletiva pós-jogo que Alberto Riveron, chefe de arbitragem da liga, ligou para ele logo após o jogo e disse que os árbitros erraram completamente ao não penalizar o cornerback dos Rams.

“Foi simples. Eles perderam a marcação. Eles disseram que isso nunca deveria não ter sido marcado”, falou Payton depois do jogo sobre a explicação que ele recebeu. “Eles disseram que não apenas foi interferência, foi capacete contra capacete. Eles apenas – eles não poderiam acreditar”, observou o head coach.

Desde a partida, Payton conversou com Roger Goodell, comissário da NFL, com Troy Vincent, vice-presidente executivo de operações de futebol americano da NFL, com Rich McKay, presidente do comitê de competição, e Riveron. Essa informação foi obtida por Schefter nesta sexta.

A explicação dada a Payton, segundo uma fonte, foi que foi uma chamada que os árbitros deveriam ter feito.

Goodell também conversou com Gayle Benson, proprietária do New Orleans Saints, segundo uma fonte consultada por Schefter.

Depois da não-marcação, houve uma série de protestos, com jogadores expressando seu descontentamento e torcedores dos Saints entrando com ações na Justiça, alugando outdoors de protesto na região de Atlanta, e até boicote à NFL na região de Nova Orleans. Houve inclusive uma carta do governador da Louisiana criticando Goodell.

Mickey Loomis, general manager dos Saints, disse na última quarta que o time não ouvir nenhum pronunciamento por parte do escritório da liga desde a noite do domingo.

O GM também mencionou o comunicado emitido por Gayle Benson no começo da semana.

Comments
To Top