NFL

New York Jets dispensa o defensive end Muhammad Wilkerson

Muhammad Wilkerson, defensive end do New York Jets

(Crédito: Twitter/reprodução)

Em uma notícia que já era esperada, mas nem por isso é menos impactante no mercado, o New York Jets dispensou o defensive end Muhammad Wilkerson nesta quarta-feira (28). O anúncio foi feito pela franquia de maneira oficial.

O corte encerra uma passagem de sete anos do pass rusher pela organização e também fecha um relacionamento que se tornou bastante conturbado nos últimos tempos.

Os Jets tinham que cortar Wilkerson antes do dia 16 de março ou seu salário de US$ 16,75 milhões para a temporada 2018 se tornaria completamente garantido.

Mas estava claro desde o final do ano passado que a passagem do camisa 96 pela franquia nova-iorquina estava chegando ao fim.

O jogador de 28 anos de idade foi deixado no banco de reservas pelos três jogos finais da temporada 2017, aparentemente porque ele se atrasou para uma reunião do time no dia 15 de dezembro. Foi a quarta vez desde 2015 que ele foi punido por atraso.

Foi então que os Jets decidiram mantê-lo fora de campo no restante da temporada, porque o time estava preocupado com a possibilidade de uma contusão, o que resultaria na obrigação da franquia de pagar o salário de 2018 do atleta. Assim, com a decisão de deixá-lo de fora das partidas, a organização deixou claro qual seria o destino do defensive lineman.

Há menos de dois anos, Wilkerson assinou uma extensão de contrato de cinco anos, com valor de US$ 86 milhões. Agora, após uma grande reviravolta, ele está disponível no mercado.

O defensive end ia ‘pesar’ US$ 20 milhões no teto salarial da franquia, quarta maior marca da liga para um jogador que não é um quarterback. Ao cortar o defensive end, os Jets liberam US$ 11 milhões no salary cap.

Selecionado na primeira rodada do draft de 2011 pelo New York Jets, com a 30ª escolha geral, Wilkerson parecia um jogador com grande potencial para ser uma estrela na NFL. Mas sua queda de produtividade foi brutal nos últimos anos.

Após uma temporada 2015 em que ele somou 12 sacks, 64 tackles combinados, dois fumbles forçados e sete passes desviados em 16 jogos com a camisa dos Jets (15 como titular), o defensive end foi muito mal nos últimos dois anos.

Nas temporadas 2016 e 2017 combinadas, Wilkerson fez apenas oito sacks o que, em uma conta rápida, significa que o New York Jets desembolsou pouco mais de US$ 6 milhões por sack desde que ele assinou a extensão de contrato em 2016 (o DE faturou US$ 48,5 milhões neste ínterim).

O New York Jets tinha uma das melhores linhas defensivas da NFL em 2015, mas desde então o time perdeu Damon Harrison na free agency e trocou Sheldon Richardson com o Seattle Seahawks. Agora, com a saída de Wilkerson, o único grande nome remanescente no setor é Leonard Williams, selecionado pelos Jets com a sexta escolha geral do draft de 2015.

Isso significa que uma grande reformulação na linha defensiva precisará ser feita a partir desta offseason.

Já Wilkerson vai encontrar um mercado sedento por pass rushers e deve encontrar um novo emprego em breve, mas ele terá que mostrar uma grande mudança de comportamento se quiser colocar sua carreira de volta nos trilhos.

Comments
To Top