NFL

Michael Vick manda recado para o New York Jets de 2017: “cara, boa sorte”

Michael Vick, ex-quarterback da NFL

(Crédito: Twitter/reprodução)

O New York Jets está passando por uma grande reformulação de seu elenco nesta offseason e o processo de rejuvenescimento do roster não levará apenas uma temporada. O time segue cercado por muitas dúvidas, inclusive na posição mais importante do futebol americano: a de quarterback.

Em meio a isso, Michael Vick, ex-quarterback dos Jets, foi questionado sobre as perspectivas que ele vê para a franquia nesta próxima temporada 2017 e mandou um recado.

“Cara, boa sorte”, falou ele ao ‘NJ.com’, em meio a risadas. “Eu nem sei quem será o quarterback. Boa sorte. Sei que há três deles”, prosseguiu.

Sim, Vick está certo. Atualmente, além do rodado Josh McCown, que chegou à franquia nesta free agency, os jovens Bryce Petty e Christian Hackenberg são as outras opções de signal callers. E, na visão de Vick, a franquia deveria apostar neste último.

“Eu jogaria Hackenberg lá. Eu prepararia Petty. Ouça, você tem dois quarterbacks (Hackenberg e Petty) que, em suas carreiras no futebol americano universitário, foram muito bem-sucedidos. Agora, você tem que trazer alguém que pode atendê-los e fazer esse trabalho. Não é tão difícil. Isso não é ciência de foguetes. Eu acho que, às vezes, complicamos demais o futebol americano. Eles só têm que pegar o cara certo. Acho que o técnico (Todd) Bowles é inteligente o suficiente”, completou.

Uma nova era parece estar começando no New York Jets e este ano de 2017 não parece que será fácil. O time deve perder mais jogos do que vencer e qualquer coisa além disso é um lucro gigantesco. É preciso ter paciência para promover qualquer reformulação e Mike Vick só está dando um alerta.

Nunca é demais desejar boa sorte.

– Michael Vick sai em defesa de Joe Mixon

Se há alguém que tem propriedade para falar sobre problemas extracampo, esse é Michael Vick. Atualmente aposentado, o ex-quarterback passou 18 meses em uma prisão federal depois de uma investigação de 2007 sobre rinha de cães que revelou que o jogador maltratava e matava animais.

Mesmo assim, ele ganhou uma segunda chance de atuar na NFL e, após voltar à liga, o QB teve passagens por Philadelphia Eagles (2009 a 2013), New York Jets (2014) e Pittsburgh Steelers (2015). Ainda que muitas pessoas sigam e seguirão condenando Vick por seus atos de crueldade do passado, ele se mostrou mudado.

Depois de sair da cadeia, Vick se manteve envolvido em várias ações de caridade e várias vezes discursou contra os maus-tratos aos animais. Agora, o ex-quarterback está oferecendo sua visão sobre a situação de um jovem que acaba de entrar na NFL.

Joe Mixon, ex-running back de Oklahoma, foi suspenso pela universidade em 2014 depois de ser flagrado dando um soco em uma estudante, após uma breve discussão em um restaurante no campus da universidade. O caso só veio a público efetivamente em dezembro de 2016, quando um juiz ordenou a divulgação de vídeos das câmeras de segurança.

Mixon serviu um ano de liberdade condicional, prestou 100 horas de serviços comunitários e participou de programas de aconselhamento, como foi exigido pela Justiça depois de ele confessar sua culpa.

Na semana passada, inclusive, Joe Mixon chegou a um acordo civil com a vítima e as duas partes prometeram deixar o episódio no passado.

Michael Vick tem certeza de que o running back de 20 anos de idade pode aprender com o caso e servir de exemplo para as crianças.

“Crianças podem usar isso como um exemplo. Joe teve uma oportunidade porque ele é um talento excepcional. Outros não têm essa oportunidade”, falou Vick, em entrevista ao ‘NJ.com’.

Selecionado na segunda rodada do draft de 2017 pelo Cincinnati Bengals, depois de muitos times o tirarem de suas respectivas listas pré-draft, Mixon terá que fazer vale a oportunidade que recebeu. E Vick ainda alerta que o jovem precisará aprender a lidar com as críticas e protestos por ele ter conseguido um emprego na NFL.

“Joe é jovem, cara, e ele cometeu um erro. Vamos ser honestos, você raramente vê caras tendo encontros como esse. Nunca deve acontecer. Eu nunca iria perdoar isso. Não acho que seja certo”, frisou. “Mas, em termos de sua carreira no futebol americano, se ele pudesse voltar atrás e pensar sobre isso antes de realmente ter feito aquele gesto com aquela garota, ele não teria feito. Não se ele soubesse com o que estaria lidando agora (…) Eu acho que ele aprendeu com isso. Tomara que ele tenha recebido uma lição de humildade com o que aconteceu com ele”, finalizou Mike Vick.

Comments
To Top