NFL

Michael Sam chegou para dar um tackle no preconceito. E que seja o first down de uma nova era…

(Crédito: Reprodução/Twitter)

(Crédito: Reprodução/Twitter)

Nesta semana, a coluna Redzone vem falar de um assunto bastante delicado, mas que talvez não poderia ser abordado em melhor hora. No último domingo, um homem de coragem, para dizer o mínimo, resolveu revelar a todos que não estava disposto a negar quem era. A esconder sua essência e suas opções. A mostrar a todos que não usar uma máscara é, sim, a melhor alternativa. Michael Sam é o nome da bravura, podemos assim dizer.

O defensive end de Missouri concedeu entrevistas ao jornal The New York Times e à ESPN norte-americana para fazer uma revelação. E, mais do que uma revelação, o jogador, cujo sonho passa pela sigla NFL, quebrou paradigmas, deu um verdadeiro tapa na cara dos preconceitos e assumiu sua homossexualidade.

E o atleta, além de querer provar que pode superar seus próprios limites dentro de campo, já deu mostras de que conseguiu muito mais. Em um esporte no qual o machismo ainda prevalece, Michael Sam deseja ser o primeiro jogador abertamente gay a atuar na National Football League.

“Eu sou abertamente e orgulhosamente um homem gay”, disse à ESPN.

“Eu só quero ter a certeza de que posso contar a minha história da maneira que desejo. Só quero ser o dono da minha verdade”, declarou ao The New York Times.

Palavras de bravura, de coragem. O medo de aceitar que somos muitas vezes nos priva de viver. Pensar no que os outros vão pensar acaba tolhendo nossa capacidade de lembrarmos que somos mais importantes do que a ideia dos demais. Mas com Michael Sam, isso não vai acontecer.

O defensive end de 24 anos de idade pode ser o pivô do início de uma nova era não só no futebol americano, mas como nos esportes profissionais de maneira geral. Sam pode ter sido o responsável pela faísca que vai acender o fogo de novos tempos. Tempos esses que, esperamos, não seja movido por preconceitos banais e sem o menor sentido.

Esperamos que entre os dias 8 e 10 de maio de 2014, Michael Sam tenha seu nome pronunciado pelo comissário Roger Goodell e suba ao palco do draft da NFL para segurar a camisa de seu futuro time na liga. Time esse que também ficará marcado na história por dar outro tapa na cara do preconceito.

Michael Sam, a sua hora vai chegar. Torcemos para ninguém atrapalhar seus sonhos. Entre no campo e mostre de uma vez por todos que esporte é lugar para todos. Mostre com seus tackles e sacks que os imbecis que ainda acreditam que homossexualidade é doença estão completamente enganados. Entre em campo e brilhe, garoto!

Comments
To Top