NFL

Mercado dos tight ends vai explodir com George Kittle

George Kittle, tight end do San Francisco 49ers

No futebol americano moderno, os tight ends são representantes de uma das posições mais importantes no esporte. São jogadores híbridos, com grande versatilidade. Por isso mesmo, eles vêm sendo cada vez mais valorizados na National Football League. E George Kittle deve ser um dos beneficiados por isso em um futuro não tão distante.

Se até por volta dos anos 1960 os tight ends eram basicamente bloqueadores, as funções deles como recebedores de passes cresceram. E, no século XXI, a posição passou por uma transformação total. Os tight ends agora são skill players de fato, seguindo a tendência de monstros da posição como Tony Gonzalez e Rob Gronkowski.

Mas Kittle (ao lado de Travis Kelce, do Kansas City Chiefs) está elevando os TEs a um patamar ainda superior e dando continuidade ao termo que acabei de inventar de ‘Escola Gronkzalez de Tight Ends Mutantes’.

Contudo, Kittle ainda não ganha como merece.

Selecionado na quinta rodada do Draft NFL 2017 pelo San Francisco 49ers, com a 146ª escolha geral, Kittle está tendo um contrato dos sonhos… para os Niners.

O camisa 85 atualmente joga sob seu contrato de calouro, que é uma verdadeira barganha para qualquer time da NFL.

Neste momento, Kittle é apenas o 35º tight end mais bem pago da liga em termos de dinheiro a faturar em 2020 (quando ele vai embolsar cerca de US$ 2,13 milhões), ficando logo atrás de nomes como MyCole Pruitt (Tennessee Titans) e Marcedes Lewis (Green Bay Packers). E, em termos de média salarial de seu contrato (um acordo de quatro de quatro anos, com valor total de pouco mais de US$ 2,698 milhões), Kittle fica na 146ª posição da liga para tight ends, faturando pouco mais de US$ 674 mil por ano.

Isto para um jogador que vem rendendo tanto quanto ele rende…

As últimas duas temporadas de George Kittle

Após uma temporada de calouro relativamente modesta em 2017, quando fez 43 recepções para 515 jardas (12 jardas por recepção) e dois touchdowns, Kittle explodiu a partir de 2018.

Há dois anos, ele disputou todos os 16 jogos da franquia californiana, somando 88 recepções para 1.377 jardas (15,7 jardas/recepção) e cinco touchdowns. Naquela temporada, ele foi selecionado ao Pro Bowl pela primeira vez e ainda ficou no segundo time-All-Pro.

As 1.377 jardas recebidas estabeleceram um novo recorde para tight ends em uma única temporada.

E, em 2019, na campanha que levou os 49ers até o Super Bowl LIV, ele disputou 14 jogos e, mesmo com dois jogos a menos do que no ano anterior, ainda fez 85 recepções para 1.053 jardas e cinco TDs. Com o desempenho, ele foi selecionado para o primeiro time All-Pro, além de ir ao seu segundo Pro Bowl.

Isso com um mísero fumble sofrido na carreira (e que foi recuperado pelo próprio time). Espetacular.

E Kittle ainda é um BAITA de um bloqueador.

Tudo bem que ele não se destacou nos playoffs desta temporada passada, fazendo apenas oito recepções para 71 jardas e nenhum TD em três jogos (incluindo o SB), mas ele revelou em janeiro deste ano que vem atuando desde 2018 com uma ruptura grave em seu ombro direito.

MONSTRUOSO? SÓ UM POUQUINHO.

Os cinco tight ends mais bem pagos em 2020

Se levarmos em conta as médias salariais, o tight end mais bem pago da NFL em 2020, ao menos por enquanto, é Hunter Henry, do Los Angeles Chargers. Ele recebeu a franchise tag da franquia californiana e vai atuar sob um contrato de um ano de duração, com valor de quase US$ 10,61 milhões.

Entre os TEs que estão sob contratos de longa duração com suas equipes, Austin Hooper, do Cleveland Browns, é o mais bem pago, com média de US$ 10,5 milhões. Ele acertou um contrato de quatro anos, com valor total de US$ 42 milhões, com a franquia de Ohio em março deste ano.

Ainda segundo dados do Spotrac (simplesmente o melhor e mais confiável site para contratos da NFL), completam o top 5 de tight ends mais bem pagos em 2020 em termos de salário médio:

  • Travis Kelce (Kansas City Chiefs) – US$ 9,368 milhões/ano;
  • Rob Gronkowski (Tampa Bay Buccaneers) – US$ 9 milhões/ano;
  • Kyle Rudolph (Minnesota Vikings) – US$ 9 milhões/ano.

Agora vamos mencionar rapidamente a produtividade de três dos cinco nomes citados acima.

Desde que foi selecionado pelos Chargers, no Draft de 2016, Henry mais ficou lesionado do que qualquer coisa. E ele vem da melhor temporada de sua carreira até agora, já que, em 2019, fez 55 recepções para 652 jardas e cinco TDs. Ele anotou oito TDs em 2016, vale lembrar, mas caiu de produção nos dois anos seguintes.

Hooper, que jogou pelo Atlanta Falcons de 2016 a 2019, também teve sua melhor temporada no ano passado, com 75 recepções para 787 jardas e seis TDs. As 2.244 jardas que Hooper somou em quatro anos de carreira, Kittle já deixou para trás em três anos (2.945 jardas).

E, para fechar, vamos para Travis Kelce. Este sim é um bom concorrente para Kittle.

Selecionado pelos Chiefs na terceira rodada do draft de 2013, com a 63ª escolha geral, o camisa 87 de Kansas City vem de quatro temporadas consecutivas ultrapassando as 1.000 jardas recebidas (incluindo uma temporada 2018 com 103 recepções para 1.336 jardas e 10 TDs).

Entretanto, vale destacar que, em seus três primeiros anos na NFL, Kelce teve um ano de 2013 em branco e, nos dois anos seguintes, ultrapassou as 860 jardas e anotou cinco TDs em cada ano.

Se o alvo favorito de Patrick Mahomes pode ser um pequeno indicativo, os melhores dias de George Kittle ainda estão por vir.

A explosão que George Kittle causará no mercado de tight ends

Ao ver os valores mencionados acima, podemos ter certeza que Kittle e seu empresário querem pulverizar os US$ 10,61 milhões de Henry e os US$ 10,5 milhões de Hooper por ano de trabalho.

No final de maio, o jornalista Michael Silver, da ‘NFL Network’, conversou com Jack Bechta, agente de Kittle, e o empresário disse que ele não “se preocupa com o mercado de tight ends. Estou sendo pago para fazer um acordo com George Kittle”.

Isso é papinho. Bechta sabe que seu cliente está pronto para estabelecer um novo mercado para TEs.

Contudo, Silver também observou que, dadas as demandas pesadas de Kittle, não anda havendo muita movimentação nas conversas de extensão de contrato entre os 49ers e seu astro desde os papos preliminares, em fevereiro. As duas partes “não estão próximas” de um acordo, o que é certamente compreensível devido à pandemia do COVID-19.

George provavelmente deseja um contrato perto dos valores que wide receivers ganham na NFL. E não é nenhum absurdo ele pensar assim.

No total de sua carreira até agora, são 216 recepções para 2.945 jardas e 12 TDs em 45 jogos de temporadas regulares disputados.

Kittle é o tight end mais completo da NFL na atualidade e será pago como tal. Resta esperar só um pouquinho.

Comments
To Top