NFL

Malcolm Jenkins não irá protestar durante o hino antes do confronto contra Seahawks

Malcolm Jenkins, safety do Philadelphia Eagles

(Crédito: Instagram/reprodução)

O safety Malcolm Jenkins, do Philadelphia Eagles, anunciou sua decisão após a NFL e a coalizão de jogadores, co-fundada por ele, ter chegado em um acordo de um investimento de US$ 89 milhões ao longo de sete anos em projetos de reforma da justiça criminal, relacionamento com a comunidade e educação.

“Sei que muitas pessoas estão olhando para o montante que a liga ofereceu nesse acordo, mas eu estou mais interessado na plataforma que eles nos ofereceram. A razão pela qual levantei meu pulso pela primeira vez foi para aumentar a conscientização da injustiça nesse país, ainda mais com pessoas de cor. Eu queria desenvolver interesse (no assunto)”, disse ele.

“E eu acho que o que a liga está propondo é uma plataforma e campanha similar a de conscientização do câncer, My Cause, My Cleats e Salute do Service (exército), mas espero que de uma maneira ainda maior”, continuou Jenkins.

“E, se formos capazes de amplificar nossas vozes para mostrar a causa, esse problema e jogar uma luz nas organizações que estão trabalhando e precisam de apoio, para contar a história dessas pessoas injustiçadas, eu acho que isso é mais valioso do que o dinheiro. Então, de boa fé, espero que isso prospere”.

Malcolm Jenkins revelou que sua decisão de não estender mais o seu pulso para o alto assim como vem fazendo desde a semana 2 da temporada de 2016 se aplica ao jogo do domingo.

“Tudo isso é de boa fé e acredito que a liga continua avançando e cumprindo suas promessas, então não vejo necessidade de continuar fazendo o que eu estava fazendo”.

Jenkins disse que não sabia se seus colegas de equipe ou membros da coalizão, que conta com mais de 40 jogadores, irão cessar seus protestos.

Comments
To Top