NFL

Le’Veon Bell não assina com Steelers e decide perder toda a temporada 2018 da NFL

Le'Veon Bell, running back do Pittsburgh Steelers

(Crédito: Twitter/reprodução)

A longa novela envolvendo Le’Veon Bell e sua decisão sobre jogar ou não na temporada 2018 da National Football League chegou ao fim nesta terça-feira (13). O running back não assinou sua franchise tag até o prazo final e, portanto, não poderá entrar em campo neste ano.

Com a decisão de não assinar o contrato de um ano com valor de US$ 14,5 milhões, é bem improvável que Bell volte a jogar com a camisa do Pittsburgh Steelers.

Kevin Colbert, general manager da franquia da Pensilvânia, confirmou que Bell não assinou sua proposta e, portanto, não estará elegível para atuar nesta temporada, como determina o acordo coletivo de trabalho firmado entre a liga e a NFL Players Association (NFLPA).

“Eu quero confirmar que Le’Veon Bell não assinou sua Franchise Tender hoje e, como resultado, ele não estará elegível para jogar futebol americano durante a temporada 2018”, declarou o executivo dos Steelers, em nota oficial.

Ainda que Art Rooney II, proprietário dos Steelers, tenha declarado na semana passada que Bell assinaria sua proposta e jogaria na reta final da temporada, se tornou claro ao longo desta última semana que o RB não tinha nenhum incentivo a longo prazo para assinar já que isso não teria um efeito negativo em suas perspectivas para a free agency de 2019.

Mike Tomlin, técnico dos Steelers, falou sobre a situação envolvendo Bell antes do prazo final desta terça.

“Eu compreendo que negócios são um elemento do futebol americano. E os elementos do jogo, relacionamentos dentro do esporte, relacionamentos relacionados ao futebol americano que todos nós mantemos próximos e entendemos. E então, no futebol americano neste nível, também há o elemento de negócios. Mesmo quando não entendemos isso, somos sensíveis a isso. Então, não ficamos chocados quando as coisas acontecem do ponto de vista de negócios”, afirmou o head coach.

Como os jornalistas Tom Pelissero e Aditi Kinkhabwala, da ‘NFL Network’, noticiaram na semana passada, com o conselho de administração da NFL e a NFLPA concordando que os Steelers não podem usar os termos de segundo ano da franchise tag para Le’Veon Bell em 2019, é quase certo que o time não vai usar a tag no jogador pelo terceiro ano seguido porque os valores seriam proibitivos. Isso se dá porque a tag em um terceiro ano seguido pagaria a Bell um valor do nível que quarterbacks faturam e, assim, é altamente improvável que os Steelers paguem a Bell mais de US$ 20 milhões por um ano de trabalho.

Os Steelers têm outras duas opções: deixar Bell se tornar um free agent quando o novo ano da liga começar, em março, ou utilizar a transition tag no running back.

Sob a transition tag, Bell também estaria sob contrato de um ano, mas ele poderia negociar com outros times da NFL. Entretanto, o time de Pittsburgh teria o direito e igualar qualquer oferta que o jogador recebesse de outra equipe, mas não receberia qualquer compensação caso o atleta saísse.

Bell disse no mês passado que ele acredita que os Steelers vão acabar aplicando a transition tag nele.

Agora, com Bell oficialmente fora, os Steelers vão apostar mais do que nunca no bom rendimento que James Conner vem tendo, tanto no jogo terrestre quanto no jogo aéreo.

Nesta temporada 2018, em nove jogos com a camisa dos Steelers (oito como titular), Conner correu 164 vezes para 771 jardas e 10 touchdowns, além de ter feito 39 recepções para 387 jardas e um TD.

Conner sofreu uma concussão durante a vitória fácil dos Steelers sobre o Carolina Panthers, no último Thursday Night Football, mas o time está confiante de que o RB conseguirá passar pelo protocolo de concussão antes do jogo de domingo contra o Jacksonville Jaguars.

Em relação a Bell, ele agora passará o ano de 2018 torcendo de longe e a próxima data importante é o dia 19 de fevereiro, data a partir da qual os Steelers podem aplicar a transition tag no atleta.

Comments
To Top