NFL

Kromer é afastado dos Bills após ser preso; veja manchetes de terça

No Huddle – O boletim de notícias de NFL do Quinto Quarto

– Aaron Kromer, treinador de linha ofensiva do Buffalo Bills, é temporariamente afastado da equipe: depois de ter sido preso no último final de semana, por bater em um garoto e ameaçar de morte a família dele, os Bills anunciaram a decisão de suspender o treinador.

– Nível de álcool no sangue de Donovan McNabb era maior do que o dobro permitido: de acordo com informações divulgadas pela polícia nesta terça-feira, o quarterback foi preso no último mês de junho sob acusação de dirigir embriagado. Nesta semana, ele declarou que havia tomado remédio para tosse, não bebidas alcoólicas.

– Caso Dez Bryant e Demariyus Thomas não renovem seus contratos até quarta-feira, a NFLPA irá dar continuação à investigação sobre o possível complô entre as equipes para assinarem contratos similares com os jogadores: já na segunda-feira, a Associação dos Jogadores da NFL já advertiu as duas franquias que precisarão arquivar todos os e-mails e ligações telefônicas para caso haja a investigação.

– Tennessee Titans permanece irredutível em relação à linguagem do contrato de Marcus Mariota: o único draftado em 2015 ainda sem contrato assinado, o quarterback tem sido resistente a cláusula que determina que seu pagamento garantido depende do cumprimento total do contrato.

– A.J. Green vai jogar sob o último ano de seu contrato com o Cincinnati Bengals: a opção pelo quinto ano do acordo do wide receiver tem valor de US$ 10,1 milhões.

– Robert Mathis motiva seus companheiros de Indianapolis Colts: “deixem (a temporada) 2006 acontecer novamente”, falou o outside linebacker aos parceiros de time, em referência ao ano no qual os Colts foram campeões do Super Bowl.

– Alex Smith, ex-quarterback do San Francisco 49ers e atual jogador do Kansas City Chiefs, fala sobre brusca mudança de elenco dos 49ers: “vocês sabiam que muito disso não iria durar para sempre. Nós não seríamos capazes de manter isso sob o ponto de vista do teto salarial e os anos. Vocês sabiam que iria mudar”, afirmou.

– Damon Harrison, nose tackle do New York Jets, economiza na modéstia: “se você me perguntasse após meu primeiro ano como titular como eu era como jogador, eu daria uma resposta humilde. Mas se você me perguntar agora, eu sinto que sou o melhor nose tackle do futebol americano. Se você olhar para o trabalho do nose tackle, ninguém faz isso melhor do que eu e sou confiante para dizer isso”, assegurou.

– Linebacker Derrick Johnson, do Kansas City Chiefs, revela estar sentindo falta de futebol americano, depois de romper o tendão de Aquiles e ficar fora de 15 jogos no ano passado: “eu não posso esperar pelo training camp. Eu senti muita falta do futebol americano no ano passado e estou me coçando para voltar”, falou.

Comments
To Top