NFL

Kirk Cousins comanda e Minnesota Vikings derrota o rival Green Bay Packers

Crédito: Instagram/reproduçãoVikings e Packers sabiam que uma vitória no Sunday Night Football significaria seguir vivo na briga pelos playoffs. Pior para a franquia de Green Bay, que saiu derrotada do U.S. Bank Stadium pelo placar de 24 a 17 e viu suas chances de pós-temporada diminuírem significativamente.

Kirk Cousins, vindo de uma apresentação miserável contra os Bears há uma semana atrás, fez uma grande partida quando a franquia de Minnesota mais precisava. O quarterback completou 29 dos 38 passes, somou 342 jardas e passou para três touchdowns. E claro, o mais importante, não lançou para nenhuma interceptação.

O primeiro tempo terminou empatado em 14 pontos. O time da casa poderia ter ido para os vestiários na frente do placar, mas Minnesota perdeu dois field goals com Dan Bailey. Vale lembrar que este é o quinto FG que eles perdem diante dos Packers na temporada. No primeiro encontro entre as equipes, que terminou empatado em 29 a 29, Daniel Carlson perdeu os três chutes que tentou. Não preciso nem dizer que chutaram Carlson.

Mas o segundo tempo de Minnesota foi bem diferente. A equipe marcou 10 pontos e não cedeu nada, derrotando um rival de divisão e mais do que isso: agora os Packers, rivais históricos, precisam vencer todos os cinco jogos restantes para terem alguma chance.

O resultado deixa os Vikings vivos na briga por uma vaga nos playoffs e mantem uma esperança remota de ainda tirar Chicago do topo da Divisão Norte da Conferência Nacional. Já os Packers se complicaram muito. Enquanto a equipe de Aaron Rodgers soma apenas 4 vitórias em 11 partidas, os Bears tem o dobro de triunfos na temporada, e os Vikings chegaram a sexta vitória.

E por falar em Rodgers, o QB foi muito pressionado, principalmente no segundo tempo, sendo sackado quatro vezes ao longo da partida. Com apenas um TD, o astro dos Packers não conseguiu resolver as coisas. E muito porque a defesa de Minnesota jogou muito bem, venceu a batalha na de linha de scrimmage e sufocou o QB adversário.

Menções honrosas para Danielle Hunter, Sheldon Richardson e Linval Joseph.

Na próxima semana, os Vikings enfrentam os Patriots fora de casa, enquanto Green Bay pega os Cardinals, em Wisconsin.

MUITO EQUILIBRADO

Se a noite acabou bem para Minnesota, ela começou muito mal. Logo na primeira posse, o time enfrentou uma quarta descida para uma jarda. Na dúvida entre pedir um desafio, colocar os especialistas em campo ou arriscar, a equipe gastou um tempo. Após a pausa, 12 jogadores entraram em campo, estragando a primeira campanha de forma bizonha.

Contudo, os Packers também responderam com um punt na primeira posse. Mas Aaron Rodgers não costuma vacilar seguidamente. A segunda posse resultou em TD de Davante Adams, em tremendo passe do QB de Green Bay. Uma sintonia bonita de se ver.

O lance acordou o time da casa. Kirk Counsins começou sua mágica. Dalvin Cook contou com um tremendo bloqueio, recebeu um passe na medida e marcou seu primeiro touchdown aéreo. Minnesota deve explorar mais seu corredor. Mas o empate não durou muita coisa.

A defesa dos Vikings foi facilmente batida na red zone, Aaron Jones recebeu um passe de seis jardas e recolocou os visitantes na frente. Novamente, a vantagem durou pouco. Na posse seguinte, Cousins respondeu com uma obra prima para Stefon Diggs: 30 jardas, TD e jogo empatado em 14 a 14.

DESEQUILIBRADO

Mas se as equipes foram para vestiário empatadas, o segundo tempo foi todo dos Vikings. Finalmente, Dan Bailey acertou um FG na partida, deixando Minnesota com 17 a 14 no placar. Embalado, o time se manteve versátil no ataque e Adam Thielen entrou na festa. Cousins saiu bem do pocket e achou seu recebedor, que encarou três marcadores e marcou um TD de 14 jardas.

Com 21 a 14 e a defesa jantando Rodgers, os Vikings estavam bem perto da vitória. Mas um presente dos Packers deixou tudo mais fácil.

EQUILÍBRIO

Mike Zimmer disse antes da partida que gostaria de ver seu time correndo mais, evitando que Cousins se desgaste com muitos passes e deixando o time com mais possibilidades no ataque. Diante dos Packers, a franquia de Minnesota correu 29 vezes e foi para o passe 29 vezes.

É claro que a vantagem de duas posses no quarto período fez com que o time corresse mais no minutos finais. Entretanto, o equilíbrio no ataque foi evidente e trabalhado ao longo da semana.

Outro ponto interessante da vitória foi a estabilidade que a defesa de Minnesota voltou a apresentar. Anthony Barr voltou bem, e permite que o trio Danielle Hunter, Sheldon Richardson e Linval Joseph faça um estrago na linha adversária. Harrison Smith também foi muito bem, inclusive parando uma quarta descida e esfriando o ataque dos Packers.

Comments
To Top