NFL

Josh Rosen corrige declaração e afirma que houve “três erros” antes dele

Josh Rosen, quarterback selecionado pelo Arizona Cardinals com a décima escolha do draft de 2018

(Crédito: Instagram/reprodução)

Já fora do calor do momento, um Josh Rosen mais contido deu a sua entrevista coletiva de apresentação no Arizona Cardinals e se retratou após os comentários feitos na noite da última quinta-feira (26), após ser selecionado com a décima escolha geral do draft de 2018.

“Eu estava um pouco emotivo na noite passada”, falou o quarterback nesta sexta (27).

Durante uma entrevista pós-draft, em Dallas, Rosen afirmou que “nove erros foram cometidos antes de mim”, referindo-se aos nove jogadores selecionados antes dele na primeira rodada do draft.

Nesta sexta, ele retratou-se e frisou que não queria incluir os jogadores de outras posições que foram selecionados no top 10. Assim, Rosen corrigiu para apenas “três erros” cometidos antes dele, referindo-se aos quarterbacks Baker Mayfield, Sam Darnold e Josh Allen, escolhidos por Cleveland Browns, New York Jets e Buffalo Bills, respectivamente.

“Eu diria realmente que não estava com tanta raiva por haver nove caras à minha frente, apenas os três quarterbacks”, observou. “Isso é o que me incomoda. Então, houve três grandes erros antes de mim, mas, honestamente, é uma bênção disfarçada. Esse é um time incrível que eu acho que está realmente preparado para fazer coisas incríveis no futuro, e eu acho que, simplesmente, tive sorte”, disse.

Rosen, que não escondeu sua frustração por ter sido escolhido na décima posição durante a noite de quinta, encerrou seu discurso de abertura falando: “não tenho muito a dizer”.

Bastante extrovertido, o signal caller não acredita que sua personalidade vai atrapalhar suas chances de fazer uma transição mais tranquila ao vestiário do Arizona Cardinals. Na realidade, o jovem crê que isso pode ajudá-lo.

“Eu acho que, provavelmente, a única razão pela qual me dou muito bem com meus companheiros de equipe é que sou eu mesmo. Quem eu sou neste palco e como estou falando com vocês é exatamente a mesma maneira como falo com meus companheiros de equipe, minha família, todo mundo”, garantiu. “Eu sou muito real. Eu sou quem eu sou, e eu acho que é por isso que sou muito grato por ser um Arizona Cardinal, porque o time que me escolheu, me escolheu. Eu não tentei disfarçar. Eu não tentei fazer um show, e é por isso que eu acho que sou um ajuste perfeito aqui”, prosseguiu.

Rosen planeja usar a camisa número 3 nos Cardinals, mesmo número que era utilizado por Carson Palmer nos últimos cinco anos. Palmer anunciou sua aposentadoria nesta offseason e criou uma necessidade na franquia para a posição de QB.

O calouro também afirmou nesta sexta que o único equívoco em relação a ele que ele quer afastar é uma suposta falta de paixão pelo futebol americano. Rosen disse que teve que responder repetidamente às perguntas de times sobre o assunto, acrescentando que sentiu que precisava continuar a dar respostas do time para convencer as equipes que amava o futebol americano.

Mike McCoy, coordenador ofensivo dos Cards, assegurou que não vê problema na personalidade de Rosen.

“Eu já trabalhei com muitas personalidades diferentes”, frisou.

Comments
To Top