NFL

Não durma no ponto no Draft NFL 2020: jogadores de sétima rodada que deram certo

Bo Jackson, ex-running back da NFL

A Draft Week já chegou aqui no Quinto Quarto. Nesta semana de Draft NFL 2020, vamos trazer alguns conteúdos legais para vocês, que são sedentos por futebol americano como a gente. E que tal falar de alguns jogadores de sétima rodada que deram certo?

Meu amigo Miguel Amado já iniciou esta minissérie com os jogadores de sexta rodada que se deram bem na liga. Agora, eu vou mais além.

Encontrar grandes talentos em rodadas avançadas de draft é um trabalho para poucos. Algo digno de ‘Escola Bill Belichick de Draft’. Então, aqui vou separar cinco nomes interessantes que saíram na última rodada do processo seletivo da National Football League e fizeram seu nome na liga.

E não se esqueça que, na Draft Week QQ, também teremos um texto dos jogadores não-draftados que deram certo. Então, fique conosco.

Quando o draft começar, na quinta (23), até o sábado (25) também traremos o nosso listão com todos os selecionados em 2020.

Sem mais enrolação, vamos lá…

Bo Jackson, RB, Los Angeles Raiders (1987)

Eis um grande nome da história da National Football League, conhecido sobretudo para os que jogaram o icônico Tecmo Bowl no Nintendinho (NES). Considerado um dos melhores atletas de todos os tempos, Jackson foi selecionado na verdade com a primeira escolha geral do draft de 1986 pelo Tampa Bay Buccaneers.

Contudo, ele nunca assinou um contrato com a franquia da Flórida, optando por jogar beisebol. Então, no ano seguinte, o Los Angeles Raiders o selecionou na sétima rodada, com a 183ª escolha geral.

Então, o running back atuou pelos Raiders de 1987 a 1990, causando um impacto interessante. E isso mesmo atuando no máximo 10, 11 jogos por temporada, já que manteve em paralelo sua carreira na Major League Baseball.

Em 38 jogos na NFL, foram 515 corridas para 2.782 jardas e 16 touchdowns, uma média de 5,4 jardas por carregada, além de 40 recepções para 351 jardas e dois TDs.

Em 1990, uma grave lesão no quadril em um jogo de playoffs contra o Cincinnati Bengals encerrou sua trajetória na NFL.

Shannon Sharpe, TE, Denver Broncos (1990)

Eis aqui um espetacular tight end. Shannon Sharpe foi selecionado com a 192ª escolha geral pelos Broncos e lá jogou até 1999, antes de ter uma passagem de dois anos pelo Baltimore Ravens (2001 e 2002). Posteriormente, ele ainda voltou aos Broncos, onde jogou em 2002 e 2003 antes de se aposentar.

Na carreira, foram oito Pro Bowls, quatro idas ao time All-Pro, eleição ao All-Decade Team dos anos 1990 da NFL e três títulos de Super Bowl (XXXII, XXXIII e XXXV). Em 2011, ele entrou no Hall da Fama do Futebol Americano Profissional (PFHOF).

Sharpe encerrou sua carreira de 14 anos na NFL com 815 recepções para 10.060 jardas e 62 touchdowns. TE dominante, em resumo.

Ryan Fitzpatrick, QB, St. Louis Rams (2005)

Eis aqui o único desta lista que ainda está em atividade. Conhecido como Fitzmagic (melhor não entrar em muitos detalhes), Ryan Fitzpatrick foi selecionado com a 250ª escolha geral em 2005 pelo então St. Louis Rams. Contudo, ele só atuou em duas temporadas em St. Louis.

Desde então, o quarterback barbudo é mais rodado que prato de micro-ondas. Cincinnati Bengals (2007 e 2008), Buffalo Bills (2009 a 2012), Tennessee Titans (2013), Houston Texans (2014), New York Jets (2015 e 2016), Tampa Bay Buccaneers (2017 e 2018) e (pausa para respirar) atualmente é o quarterback titular do Miami Dolphins (desde 2019).

Graduado em Harvard (VISH, HUMILHA NÓIS AÍ), ele acertou 60,3% de seus passes para 32.886 jardas, 210 touchdowns e 161 interceptações até agora em sua carreira. É um QB, para dizer o mínimo, arrojado.

Tá, é um verdadeiro por*@ louca, vamos ser sinceros…

Marques Colston, WR, New Orleans Saints (2006)

Selecionado com a 252ª escolha em 2006 pelo New Orleans Saints, Marques Colston foi um wide receiver marcante no período mais vencedor da história da franquia da Louisiana. Aliás, ele só vestiu a camisa do time em toda a sua carreira, que foi até 2015.

Nos Saints, ele foi campeão do Super Bowl XLIV, ajudando o time a bater o Indianapolis Colts naquela decisão, jogo em que fez sete recepções para 83 jardas. De suas 10 temporadas em New Orleans, ele ultrapassou as 1.000 jardas recebidas em seis delas e passou das 900 em outras duas.

É recordista dos Saints em jogos disputados por um WR (146), além de também ser recordista da franquia em todas as seguintes estatísticas: recepções (711), jardas recebidas (9.759) e touchdowns recebidos (72). Isso entre outras marcas.

Apesar disso, injustamente jamais foi selecionado ao Pro Bowl e ao time All-Pro.

Stevie Johnson, WR, Buffalo Bills (2008)

Stevie Johnson foi selecionado apenas na 224ª posição do draft de 2008 pelo Buffalo Bills e é considerado um dos grandes nomes selecionados em rodadas avançadas em toda a história da NFL.

Jogou nos Bills até 2013 e, depois, teve passagens por San Francisco 49ers (2014) e San Diego Chargers (2015 e 2016). É o único WR dos Bills a ter três temporadas consecutivas com 1.000 jardas recebidas.

Em 99 jogos disputados em sua carreira no futebol americano profissional, Johnson somou 381 recepções para 4.764 jardas e 34 touchdowns.

Comments
To Top