NFL

Joey Bosa recebe enorme extensão dos Chargers e é mais um pass rusher a embolsar na NFL

Joey Bosa, defensive end do Los Angeles Chargers

Quando, em quatro temporadas, a produtividade fica evidente, os times da National Football League não ficam receosos de soltar o dinheiro. E Joey Bosa é mais uma prova viva disso. O defensive end recebeu uma megaextensão do Los Angeles Chargers nesta terça-feira (28).

De acordo com informações dos jornalistas Ian Rapoport, da ‘NFL Network’, e Adam Schefter, da ‘ESPN’ norte-americana, a extensão é de cinco anos de duração, com valor total de US$ 135 milhões. Isso mantém o camisa 97 na franquia californiana pelos próximos seis anos.

Segundo fontes, o DE recebe US$ 102 milhões garantidos e US$ 78 milhões são completamente garantidos logo na assinatura do contrato. Este é um novo recorde para defensores na NFL.

O acordo também é o maior da história dos Chargers e o primeiro contrato de US$ 100 milhões da história da franquia, segundo pesquisa do ESPN Stats & Information.

Bosa, que desejava um novo contrato, se reapresentou nesta terça aos Chargers, em cima do limite de horário para os jogadores darem as caras no CT. E tal presença foi recompensada com muitas verdinhas.

Selecionado pelo então San Diego Chargers com a terceira escolha geral do Draft NFL 2016, Bosa entrou na liga ‘causando’. Logo em seu primeiro ano, em 12 jogos disputados, ele cravou 10,5 sacks e um fumble forçado, além de 41 tackles combinados. Como recompensa veio o prêmio de Calouro Defensivo do Ano da NFL.

Tal produtividade melhorou no segundo ano na NFL. Isso porque, em 2017, o grandalhão anotou 12,5 sacks, quatro fumbles forçados, um fumble recuperado e 70 tackles combinados, além de um passe desviado, em 16 partidas.

O ano de 2018 foi marcado por uma lesão no pé que o fez perder mais da metade inicial da temporada. Ainda assim, em sete jogos na temporada regular, foram 5,5 sacks, um fumble recuperado e 23 tackles combinados. Bosa ainda fez sua estreia nos playoffs, anotando um sack e dois tackles na vitória sobre o Baltimore Ravens por 23 a 17, na rodada de wild card.

Então, em 2019, tudo voltou ao normal. O astro da linha defensiva dos Chargers fez 11,5 sacks, um fumble forçado e 67 tackles combinados em 16 jogos, provando que a lesão do ano anterior tinha ficado para trás.

Quando, em quatro anos e 51 jogos de temporada regular disputados, você mostra que consegue produzir 40 sacks, seis fumbles forçados e 201 tackles, é natural que o dinheiro venha.

Como temos visto recentemente, os pass rushers são os novos queridinhos na NFL. Ao lado dos quarterbacks, são eles os que vêm sendo selecionados com escolhas altas do draft. E são esses monstros que aterrorizam os QBs adversários que estão sendo capazes de mudar o rumo de uma franquia.

Os Chargers encontraram a sua estrela em 2016 e, quatro anos mais tarde, viram todos os motivos do mundo para liberaram US$ 135 milhões.

Bosa não precisará se preocupar em atuar em 2020, uma temporada absolutamente atípica e cercada de temores relacionados ao COVID-19, sob o último ano de seu contrato de calouro. Joey recebeu segurança em meio a tanta insegurança. Porém, ele provou que merecia tal condição.

Agora, o dono de um DROY e de duas seleções ao Pro Bowl teve seu futuro financeiro garantido. E, em troca, os Chargers têm o seu futuro garantido no lado defensivo da bola.

– Bônus

No mesmo dia em que recebeu a extensão gigantesca de contrato, Bosa foi anunciado na 34ª posição do NFL Top 100, eleição da ‘NFL Network’ dos 100 melhores jogadores da última temporada.

Em resumo: Bosa terá uma noite de terça muito especial.

Comments
To Top