NFL

Jim Caldwell é nomeado assistente do Miami Dolphins e retorna à NFL

Jim Caldwell, treinador da NFL

(Crédito: Twitter/reprodução)

Jim Caldwell está de volta à National Football League. O ex-head coach do Detroit Lions e do Indianapolis Colts foi anunciado nesta sexta-feira (8) como assistente na comissão técnica de Brian Flores no Miami Dolphins.

A franquia da Flórida oficializou a chegada do profissional, que será head coach assistente e treinador de quarterbacks.

“Jim é um ser humano incrível, um homem de fé e um grande treinador de futebol americano. Sua experiência como head coach será inestimável para mim. Jim é um grande professor, altamente organizado e é alguém por quem eu tenho muito respeito”, declarou Flores, em nota oficial emitida pelos Dolphins.

A ‘era Flores’ começou oficialmente na última segunda (4), quando ele foi anunciado como novo head coach dos Dolphins um dia depois de ajudar o New England Patriots a ser campeão do Super Bowl LIII. Flores chega para substituir o demitido Adam Gase, que agora é o novo técnico principal do New York Jets.

Caldwell ficou apenas uma temporada sem emprego na NFL, depois de ser demitido do cargo de head coach dos Lions ao final da temporada 2017.

Além de Caldwell, o restante da comissão técnica dos Dolphins foi revelado, com nomes como o coordenador ofensivo Chad O’Shea, o coordenador defensivo Patrick Graham e o coordenador de special teams Danny Crossman. Assim como Flores, O’Shea chega aos Dolphins depois de fazer um grande trabalho nos Patriots e Graham também faz parte da ‘árvore genealógica’ de treinadores de Bill Belichick, head coach dos Pats.

Caldwell, que fez entrevistas para os cargos de head coach do NY Jets, do Cleveland Browns, do Green Bay Packers e do Arizona Cardinals, anteriormente foi técnico dos Colts e obteve uma campanha de 14-2 na temporada 2009, chegando ao Super Bowl XLIV, mas perdendo a decisão para o New Orleans Saints.

Em sete temporadas como head coach (três com os Colts e quatro com os Lions), Caldwell produziu cinco temporadas com mais vitórias do que derrotas, levou seu time aos playoffs em quatro oportunidades e tem um retrospecto geral de 112 vitórias e 62 derrotas.

Agora com 64 anos de idade, ele vai ajudar a trazer a voz da experiência a Flores, que vai encarar seu primeiro emprego como head coach.

O’Shea é outro produto da chamada ‘dinastia Patriots’, tendo sido treinador de wide receivers da franquia de Foxborough de 2009 a 2018, e ele começou sua carreira na NFL em 2003 como assistente voluntário do Kansas City Chiefs.

“Chad é extremamente esperto  , inovador e trabalhador. Ele traz muita energia para treinos e reuniões. Chad tem um grande relacionamento com os jogadores. Ele conquistou a confiança de muitos caras com quem trabalhou, de Randy Moss passando por Wes Welker até Julian Edelman. Chad extraiu o máximo de seus jogadores nos 10 anos que eu estou ao redor dele”, falou Flores sobre o’Shea.

Já Graham foi assistente dos Patriots de 2009 a 2015, antes de ter passagens por New York Giants e Green Bay Packers.

Crossman tem 16 anos de experiência na NFL e foi trazido do Buffalo Bills, rival dos Dolphins na divisão AFC East, após trabalhar seis anos por lá.

Os anúncios de staff também incluíram Josh Boyer, outro produto dos Patriots, que chega para ser coordenador do jogo aéreo/treinador de cornerbacks, Karl Dorrell como treinador de wide receivers, Pat Flaherty como treinador de linha ofensiva, George Godsey como treinador de tight ends, Marion Hobby como treinador de linha defensiva, Rob Leonard como treinador de linebackers, Tony Oden como treinador de safeties, Jerry Schuplinksi, também ex-Patriots, como treinador assistente de QBs, Eric Studesville como treinador de running backs, e Josh Grizzard, Matt Lombardi e Tiquan Underwood como contratações para o controle de qualidade.

Comments
To Top