NFL

J.J. Watt no Arizona Cardinals é uma surpresa e tanto (e uma muito interessante)

J.J. Watt vai para o Arizona Cardinals. Segundo informações… DELE MESMO… ele fechou contrato com a franquia de Glendale. E, assim, o defensive end define seu futuro depois da saída amarga do Houston Texans.

Ainda que Watt tenha anunciado ele mesmo sua contratação via Twitter, os eternos insiders Ian Rapoport, da ‘NFL Network’, e Adam Schefter, da ‘ESPN’ norte-americana, trouxeram os detalhes. O contrato é de dois anos de duração, com valor total de US$ 31 milhões, sendo US$ 23 milhões garantidos.

O pass rusher de 31 anos foi dispensado pelos Texans no mês passado, depois de pedir para sair do time que o selecionou no NFL Draft 2011. Foi um êxodo a tempo, após o defensor ver que o navio estava afundando de vez.

Mas, a meu ver, a escolha pelos Cardinals é um tanto quanto inesperada. Ouvimos falar em Green Bay Packers, em Pittsburgh Steelers, em outras equipes. Mas, no final das contas, Watt optou por uma equipe que não era cotada entre as favoritas para ficar com seus serviços.

Nos Cardinals, Watt vai trabalhar em uma franquia com um jovem head coach (Kliff Kingsbury), com um jovem quarterback (Kyler Murray), com um wide receiver monstruoso (DeAndre Hopkins) e sua adição será interessante em um sistema defensivo que já conta com nomes interessantes como o pass rusher Chandler Jones, além dos defensive backs Budda Baker e, ao menos por enquanto, Patrick Peterson.

Watt foi, por anos e anos, a cara da defesa dos Texans. Ele faturou três prêmios de Jogador Defensivo da NFL de 2012 a 2015, sendo um de um grupo seleto de três jogadores a faturarem o prêmio em três oportunidades. E, não fosse por algumas lesões nos últimos anos, ele teria provavelmente concorrido a mais um desses troféus.

Tudo bem, Watt não soma dois dígitos em sacks desde 2018 (quando teve 16) e teve duas temporadas bem apagadas em 2016 e 2017 (1,5 e zero sacks, disputando três e cinco jogos, respectivamente). Mas ele vem de uma temporada 2020 no mínimo decente: 52 tackles totais, cinco sacks, dois fumbles forçados, um fumble recuperado e uma interceptação (retornada para touchdown), além de sete passes desviados.

Segundo o ESPN Stats & Information, Watt ficou em 15º entre 119 pass rusher qualificados em termos de taxa de vitória no pass rush. E isso apenas em sua segunda temporada disputando todos os 16 jogos desde 2015.

Cinco vezes selecionado ao Pro Bowl e ao primeiro time All-Pro, Watt é, de longe, o pass rusher mais produtivo da história dos Texans, com 101 sacks na carreira.

É difícil imaginar que ele consiga replicar esse mesmo sucesso (em termos estatísticos) nos Cardinals. Mas Watt pode dar MUITO certo e tem MUITA lenha para queimar. Além disso, sua contratação é aquela que vai muito além dos números.

Watt é uma figura imponente, que motiva todos ao seu redor. E isso, por si só, já deve significar um aumento na solidez do sistema defensivo de Arizona. É aquela típica contratação que você faz sem pensar muito.

Certamente, a NFL é um negócio baseado na produtividade pura e simples. Mas, em determinados casos, uma contratação deve ser feita analisando coisas além disso.

J.J Watt é esse caso. E, imediatamente, a defesa dos Cards é elevada a um novo patamar.

Comments
NFL, NBA e MLB. Notícias, relatos e colunas. E uma pitada de humor de tiozão. Contato: [email protected]
Copyright © 2021 - https://www.quintoquartobr.com/

+18


Jogue com responsabilidade


To Top