NFL

Greg Olsen volta a fraturar o pé direito e será avaliado mensalmente

Greg Olsen, tight end do Carolina Panthers

(Crédito: Twitter/reprodução)

O tight end Greg Olsen, do Carolina Panthers, voltou a fraturar seu pé direito no primeiro quarto do jogo do último domingo (9) contra o Dallas Cowboys, que terminou com vitória da organização da Carolina do Norte por 16 a 8.

O time disse nesta terça-feira (11) que não há planos de cirurgia neste momento e o jogador será avaliado mensalmente.

Olsen fraturou o pé há um ano, na semana 2 da temporada 2017 da National Football League, em jogo contra o Buffalo Bills. Ele passou por um procedimento cirúrgico para corrigir aquela fratura e perdeu nove jogos dos Panthers.

No último domingo, o camisa 88 retornou à lateral do campo na segunda metade do jogo, usando muletas e uma bota protetora.

Em um comunicado publicado via Twitter nesta tarde, Olsen não escondeu sua tristeza devido à mais recente contusão.

“Dizer que eu estou decepcionado com este desenvolvimento seria um eufemismo. Acredito que minha maior conquista profissional foi minha capacidade de jogar todos os jogos por mais de uma década. Infelizmente, as últimas duas temporadas não continuaram essa tendência”, declarou o tight end em trecho da nota. “Dito isso, estamos otimistas de que não será assim que minha temporada 2018 vai acabar”, observou.

Também nesta terça, os Panthers anunciaram que o offensive tackle Daryl Williams lesionou o joelho direito durante o jogo contra os Cowboys, quando um jogador do time de Dallas caiu sobre ele. Williams saiu da partida no carrinho-maca, com menos de dez minutos remanescentes.

No começo do training camp, Williams já havia sofrido uma ruptura no ligamento colateral medial do joelho e um deslocamento na patela direita.

A cirurgia é o método recomendado para o offensive lineman e os Panthers devem colocar Williams na injured reserve, de acordo com informações da ‘ESPN’ norte-americana.

Amini Silatolu, que substituiu Williams neste último domingo, deve ficar com a vaga na linha. O recém-adquirido Corey Robinson também deve brigar por espaço.

Atualmente com 33 anos de idade, Greg Olsen assinou uma extensão de contrato de dois anos em abril que o deixa com vínculo com os Panthers até a temporada 2020 da NFL.

No último sábado, o TE acabou aparecendo no relatório de lesionados dos Panthers em cima da hora, devido a uma rigidez nas costas, mas ele conseguiu atuar contra os Cowboys.

Olsen é o primeiro tight end na história da NFL a ter três temporadas consecutivas com mais de mil jardas recebidas (2014 a 2016).

Ele fez duas recepções para 33 jardas antes de sair do duelo contra os Cowboys.

O tight end calouro Ian Thomas, selecionado na quarta rodada do draft de 2018 pelos Panthers (101ª escolha geral), deve ser o substituto de Olsen como TE recebedor. Chris Manhertz é o único outro TE disponível no elenco, então os Panthers devem correr atrás de um reforço para a posição.

Em uma entrevista à ‘ESPN’ durante o training camp, Olsen elogiou Ian Thomas e afirmou que não via um tight end mais completo saindo do draft deste ano.

“Ian tem todas as características para ser um verdadeiro tight end da NFL. Ele é forte o suficiente. Ele pode bloquear na linha de scrimmage. Ele é suave. Ele é mais rápido do que acham. Ele recebe bem a bola. Então acho que Ian tem a chance de ter todas as características para ser um cara completo”, falou Olsen.

O técnico Ron Rivera disse na última segunda que Thomas estava “muito bem preparado” para substituir Olsen.

Comments
To Top