NFL

Filha de Randall Cunningham irá representar os Estados Unidos nas Olimpíadas; veja manchetes

No Huddle – O boletim de notícias de NFL do Quinto Quarto

– Filha de Randall Cunningham irá representar os Estados Unidos nas Olimpíadas do Rio de Janeiro: aos 18 anos, Vashti Cunningham é a atleta mais jovem desde 1980 a representar o país em modalidades de atletismo, para competir no salto em altura. Nesta segunda-feira, Vashti conseguiu atingir a marca de 1,97 metro, se classificando para os Jogos Olímpicos.

– Morris Claiborne, cornerback do Dallas Cowboys, revela grandes expectativas para 2016: após quatro anos na franquia, Claiborne quer mostrar que conseguiu superar completamente sua lesão no tendão patelar, que o fez passar por uma cirurgia na offseason de 2015. Sexta escolha geral no draft de 2012, o atleta está determinado. “Eu sei que espero muito de mim mesmo. Nada menos. Tenho algumas metas altas este ano, e eu vou tentar fazer tudo o que for preciso para chegar lá”, comentou Claiborne para o ‘Fort Worth Star-Telegram’.

– Cardinals têm planos para colocar Drew Stanton como titular após Carson Palmer: quarterback na NFL desde 2003 e nos Cardinals desde 2013, Carson Palmer é considerado um dos melhores da liga, mas um dia terá de se aposentar. Apesar de estar já com 32 anos, quem parece ser uma opção para a franquia do Arizona é Drew Stanton, que teve apenas 12 jogos como titular em toda a carreira. “Quem sabe quanto por tempo Carson vai jogar? Mas eu tive discussões em comprimento com todos na franquia que há uma chance para eu ser capaz de ser o titular quando ele se aposentar”, disse Stanton nesta segunda-feira.

– Bruce Arians, técnico do Arizona Cardinals, dispensa jogador que parou em sua vaga no estacionamento: em um episódio da série ‘All or Nothing’, que mostra o dia-a-dia da offseason dos Cardinals, o público conheceu um outro lado de Bruce Arians, aparentemente muito preocupado com as vagas do estacionamento na sede da franquia. Lawrence Okoye, que estava quase atrasado para o treino, decidiu parar na primeira vaga que viu para chegar logo, mas Bruce Arians não gostou e decidiu dispensar o jogador.

– Danny Amendola compara ataque dos Patriots a dirigir sem sinalização de rua: wide receiver dos Pats desde 2013, Danny Amendola tem uma maneira só sua de entender o ataque do time. “Em nosso ataque, especialmente na posição wideout, é tudo sobre o sentimento. É sobre tentar encontrar espaço aberto, usando seus olhos”, disse Amendola para a ‘ESPN’ americana. “Outros ataques em que eu joguei , na Costa Oeste, todas as rotas são executados em etapas. Eu meio que relaciono a dirigir um carro”.

Comments
To Top